enem 1 (1)

Principais vestibulares têm grande queda de inscrições

TV 247

Rui Costa Pimenta fala sobre o discurso de Bolsonaro na ONU

O presidente do Partido da Causa Operaria falou também sobre a situação da terceira via nas eleições de 2022 e sobre a estagnação dos sindicatos

Rui costa apresenta mais uma analise politica no TV 247 – Imagem retirada da transmissão

Receba o DCO no Email

Nesta terça-feira, 21 de setembro, Rui Costa Pimenta participou de mais uma análise política no canal TV 247, entrevistado por Nathalia Urban. O presidente do Partido da Causa Operária falou sobre o discurso de Bolsonaro na ONU e sobre as eleições de 2022. Além disso, a entrevista contou também com uma análise da situação de João Doria como candidato da terceira via.

Logo ao inicio, a apresentadora do 247 questionou sobre o discurso de Bolsonaro e sobre a listagem de empresas a serem privatizadas no Brasil. Para Rui, a fala do presidente foi direcionada para a sua candidatura no ano que vem, “o discurso de Bolsonaro enveredou, novamente, pela linha do bom-mocismo, evitou de causar escândalos e procurou apresentar um panorama cor de rosa. Como nós estamos vendo nos últimos acontecimentos ele está adotando uma posição mais fácil de ser digerida pela opinião pública”. Sobre as privatizações, Bolsonaro, ao apresentar um panorama das empresas a serem vendidas, está novamente se preparando para as eleições, já preparando o terreno para uma disputa contra o Dória, conhecido por privatizar grande parte das empresas de São Paulo. “Esse é o principal calcanhar de aquiles de Bolsonaro diante do setor internacional da burguesia, e ele está tentando resolver. Ele está fazendo uma demonstração de boas intenções para esse grupo”, completou Rui.

Para que o Bolsonaro conseguisse cativar a confiança dos demais países seria necessário que seu discurso soasse como democratico, que tivesse um apelo para os principais países do mundo. Segundo o presidente do PCO, “foi o que ele tentou fazer, o problema é que ele não tem essa versatilidade. No Brasil você tem o Dória, que passa de Bolsodoria a defensor das mulheres e dos LGBTs, e você tem o Bolsonaro, que é uma pessoa petrificada em uma ideologia que não é corrente no mundo hoje”.

Sobre a terceira via, Rui Costa fez novamente um alerta de que não devemos subestimá-los. Segundo ele, mesmo que nas pesquisas a terceira via apareça com poucos votos, isso tende a mudar, haja visto a grande propaganda feita pela imprensa em apoio ao Doria, além da grande campanha feita para apresentá-lo como o salvador na pandemia. “A campanha dele vem sendo levada adiante com cautela, e essa cautela mostra que essas pessoas não são amadores. Está sendo montada uma operação de grande vulto, não será como a candidatura do Alckmin, que eles não conseguiram enfrentar a situação. É uma candidatura com capacidade de disputar as eleições”.

Além disso, a pré-candidatura do PSDB transmitida pela Globo será o início desta campanha, onde serão apresentados os candidatos como um grupo que possui divergências mas é completamente civilizado e democratico. “Sera um espetáculo repugnante de hipocrisia. Mas irá lançar a candidatura do Doria para o país inteiro e a partir daí nós vamos ver qual é a viabilidade da candidatura dele. Nós temos que tomar muito cuidado, porque se por acaso a burguesia conseguir essa proeza de elegê-lo, nós vamos pagar caro por isso, não vai ser melhor que o Bolsonaro não”.

Rui Costa Pimenta também foi questionado sobre a paralisia dos sindicatos diante da situação política atual. Segundo ele, o movimento sindical já está paralisado desde o segundo mandato de FHC, após a derrota da greve dos petroleiros, desta forma eles vem atravessando a pior fase da história, comparável com a época do regime militar. “Isso é uma situação difícil de romper, os sindicalistas se acostumaram com essa situação e eles vivem em um estado de acomodamento permanente. Para que nos tivéssemos um ressurgimento do movimento sindical seria necessário o surgimento de um movimento de baixo para cima, o que me parece que está relativamente proximo”, afirmou Rui.

Para que essas mobilizações aconteçam é necessário que cresça uma radicalização na base da sociedade, no entanto a maioria da população está muito insatisfeita com a realidade atual do país. Segundo Rui, para que a água transborde do copo e a população desperte para a luta política seriam possíveis duas situações. A primeira seria um movimento organizado dos trabalhadores a partir de organizações ou partidos populares que conseguem canalizar essa revolta. A outra possibilidade seria de que algum acontecimento aleatório acabe servindo como estopim de um movimento geral, “como o caso da Tunísia, quando um trabalhador sofreu um confisco de sua propriedade, e desesperado, jogou fogo em seu próprio corpo. Isso gerou uma revolta generalizada no pais que derrubou um governo que era uma ditadura de vinte ou trinta anos. Aqui o acontecimento não precisa ser tão dramático quanto esse, mas esses acontecimentos podem levar a uma explosão geral no Brasil”.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.