whatsapp image 2021 12 01 at 18.01.38 (1) (1)

Sanguessugas do Citigroup comemoram dividendos da Petrobras

Coletivos

O negro da casa

João Cândido

Edição 30 – Jornal Partido

Receba o DCO no Email

Por muito tempo Malcolm X denunciou os “negros da casa”, ou seja, o negro que recebe migalhas da mesa do patrão para ser bem comportado. Para denunciar os negros revoltosos, para servir de alcaguete, para, nos dias atuais, dar um ar democrático ao regime de opressão total do povo negro.

Não é só porque uma pessoa é negra que ela tem as credenciais de falar em nome da luta do negro contra a opressão, contra o racismo. A direita, vendo que existe uma tendência da esquerda identitária de enxergar apenas a cor da pele, faz questão de eleger os seus negros. Um caso famoso foi o do próprio Barack Obama, ex-presidente da maior potência imperialista mundial, os Estados Unidos.

No Brasil recente, o PSDB, diante do ódio que o povo tem desse partido, teve a desfaçatez de criar a TucanAfro, uma organização de direitistas, negros, do partido. Na insólita tentativa de limpar a barra de um dos partidos mais odiosos existentes. 

Em um dos atos da avenida Paulista, no dia 03 de julho, a bandeira do PSDB foi trucidada por manifestantes da esquerda, em um ato que resultou em confusão e expulsão dos tucanos da manifestação.

O acontecimento se deu em razão dos ataques históricos do PSDB aos direitos dos trabalhadores, considerando não só as gestões do partido no estado de São Paulo, mas nacionalmente, especialmente quando da presidência de Fernando Henrique Cardoso, o homem que fez muito mais contra o povo que o próprio Jair Bolsonaro. 

Faz tempo, também, que a direita tenta, de todo jeito, se infiltrar nas manifestações da esquerda, no que resultou no ato do dia 2 de outubro, com a presença de Ciro Gomes (PDT), a banqueira-herdeira Neca Setúbal, o presidente municipal do PSDB no carro de som, etc., em manobra que foi preciso montar um esquema gigantesco de segurança para o negócio não terminar em guerra civil. 

Mesmo assim, Ciro foi vaiado e teve corre-corre atrás do Masp, quando Ciro escapuliu da manifestação onde era malquisto. Eram inimigos do povo negro, pobre e trabalhador falando ao carro de som.

Da mesma forma, a direita, sabendo que não pode se apresentar como tal, contrata seus garotos para enfrentar uma situação que pode até resultar em morte. Foi o caso do presidente municipal do PSDB, Fernando Alfredo, que é negro, e que foi corajosamente ao carro de som falar que era pelo fora Bolsonaro, debaixo de muito lixo jogado pelos manifestantes.

Sérgio Camargo, da Fundação Palmares, Fernando Holiday e outros também foram contratados tempos atrás para dar um ar democrático para a direita, tão odiada pelo povo, conforme ficou comprovado nas manifestações do último sábado, dia 2. No movimento sindical se equivalem aos pelegos, quer dizer, não representam quem deveriam representar.

Toda a farsa montada para colocar a direita nos atos da esquerda tem um ponto de apoio especial: usar um negro para defender a manutenção das coisas tais como estão. 

Em grande medida até a esquerda pequeno-burguesa também se utiliza desse truque para fazer qualquer coisa, como é o caso da Coalizão Negra por Direitos (mas leia-se dinheiro), que brilha em todas as manifestações sem apresentar nenhuma política séria de combate ao racismo. Isso quando não ataca diretamente a esquerda, como é o caso do PCO, sempre chamado de racista por integrantes da Coalizão nos atos de São Paulo. 

Por seu turno, o povo vaia, rasga bandeiras verde e amarelas, e promove o corre-corre. A raiva é justificada, e legítima é a reação.

Nada mais natural a reação dos manifestantes diante da presença da direita em atos da esquerda. Nada mais natural que o povo perca a paciência diante dos desmandos dos golpistas, diante do desastre social que o país enfrenta.

E o fato é que os atos demonstraram que os manifestantes estão evoluindo para posições da esquerda combativa, e que os truques de bastidores, colocar negros defendendo posições direitistas, enfim, nada disso vai servir para empurrar goela abaixo do povo a terceira via e os objetivos da direita cientítifica.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.