IPCA: alimentos, gás e aluguel ficam mais caros

Coletivo Rosa Luxemburgo

Mulheres discutem direitos democráticos e o Talibã

Vitória do Talibã é derrota das mulheres?

As reuniões do coletivo são abertas e acontecem virtualmente aos sábados às 17h – Foto: Reprodução

Receba o DCO no Email

O coletivo de mulheres Rosa Luxemburgo se reuniu no sábado passado (28) com as militantes do PCO e companheiras e companheiros de outras organizações políticas, juntando dezenas de pessoas, para discutir aspectos da polêmica que se construiu em torno da vitória do Talibã sobre o Imperialismo e que diz respeito  ao tratamento dado às mulheres por parte do agrupamento afegão.

No debate estiveram presentes companheiras residentes na Europa as quais conhecem mais de perto a questão dos refugiados afegãos, tendo os países de sua residência recebido alguns dos refugiados do Afeganistão devido aos últimos acontecimentos. Uma companheira da Alemanha, que trabalha com imigrantes, frisou a importância de não assumir que as mulheres afegãs seriam vítimas do talibã sem nem mesmo saber o que acontece lá de fato, o que vem sendo feito intensamente por parte dos identitários.

Uma outra companheira do coletivo também lembrou que para muitas dessas mulheres a burca já se tornou um costume do qual, mesmo durante a ocupação americana, quando deixou de ser obrigatório o uso, muitas não quiseram abrir mão. E que portanto falar em nome delas sem conhecer os seus costumes e deduzir daí que essas mulheres não estão do lado da vitória do Talibã, é para dizer o mínimo, uma falta de respeito.

Durante o debate as companheiras trouxeram dados e fatos que mostram claramente que o período no qual o exército imperialista esteve presente em território afegão a vida da população do Afeganistão não melhorou em nada, muito menos a das mulheres.

O percentual de vítimas dos bombardeios americanos, por exemplo, foram jogadas 300.000 bombas durante o período de ocupação, e 43% das vítimas eram do sexo feminino. Também foi lembrado que o índice de escolarização no país continua extremamente baixo mesmo depois de 20 anos da presença americana, com cerca de 80% da população analfabeta e com escolas que não possuem sequer estrutura física , com prédios sem paredes , muitas vezes sem estrutura física nenhuma.

Não apenas falta escolaridade no Afeganistão após a ocupação dos Estados Unidos como falta até mesmo alimentação. Cerca de 70% das crianças afegãs estão subnutridas , isso segundo dados da ong Human Rights  Watch. A grande maioria das crianças afegãs não podem estudar simplesmente porque precisam ajudar os pais no trabalho , tamanha a pobreza do país , um dos mais pobres do mundo.

A companheira Natália Pimenta concluiu o debate reforçando a denúncia contra a política identitária , denúncia essa que permeou toda a conversa. Essa política vem sendo usada no caso do Afeganistão, pelo imperialismo, para opor a luta  pela autodeterminação dos povos oprimidos aos direitos das minorias como no caso das mulheres , oposição essa que não existe. A vitória do Talibã já aponta uma mudança nos rumos da vida das mulheres afegãs tendo em vista que o agrupamento tomou o poder com apoio da população e, além disso, já deu declarações no sentido de garantir o acesso a escolaridade para as mulheres, o que eles terão realmente de fazer tendo em vista inclusive a estabilidade do governo.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.