PM agride mulher com tapa na cara e revolta moradores

Assista ao curso

Rui Costa Pimenta explica a verdade sobre o “comunismo”

O stalinismo é a antíteses do bolchevismo, do marxismo e do comunismo

Winston Churchill e Josef Stálin – Foto: Reprodução

Receba o DCO no Email

O comunismo sempre teve como uma de suas principais tarefas a luta contra as calúnias, os ataques vis, as mentiras, as falsificações e as acusações grotescas da burguesia. E não poderia ser diferente: o comunismo é a doutrina das condições de libertação do proletariado, é o programa de um movimento poderoso, que irá, inevitavelmente, colocar o capitalismo abaixo.

Há, no entanto, um episódio sombrio na história do movimento operário que alimenta a campanha da burguesia contra o comunismo. A política da burocracia que comandou a União Soviética durante cinco décadas, conhecida como stalinismo, é chamada pelos setores mais ignorantes e reacionários da intelectualidade de “comunismo”. E, como o stalinismo é a antítese do comunismo, a confusão entre stalinismo e “comunismo” serve apenas de propaganda contra a verdadeira tradição marxista.

O comunismo é uma etapa superior da sociedade, a superação completa do capitalismo e a abolição das classes sociais. Só pode ser concebido, portanto, por meio de uma revolução mundial. O stalinismo, por sua vez, é um fenômeno soviético, localizado, resultado de condições muito específicas. Os comunistas são aqueles que dedicam a sua vida à luta pelo comunismo. Compreendem que o comunismo não é uma forma de engenharia social, mas sim que, a cada momento, a luta de classes exigirá dos comunistas uma posição que dirija os trabalhadores para uma posição mais avançada. Os stalinistas, por outro lado, consideram que o comunismo é a União Soviética, e que, por isso, a tarefa maior dos comunistas seria a de proteger os interesses de sua burocracia, independentemente dos interesses da classe operária mundial.

Chamar a União Soviética de “comunismo” não foi, no entanto, uma mera jogada de propaganda dos stalinistas. Dizer que haviam estabelecido o comunismo era uma espécie de licença para levar adiante uma política criminosa. A burocracia stalinista tomou de assalto o Estado Operário russo, conquistado após a revolução mais espetacular da história moderna, e o manipulou de todas as maneiras para impedir a revolução mundial.

Apenas para manter os seus privilégios, a burocracia soviética sabotou a revolução na Alemanha, afogou em sangue a revolução na China, impediu a revolução na Inglaterra e traiu a revolução na Grécia, entre tantos outros estragos. Liquidou toda uma geração de revolucionários na Rússia, inclusive a maior expressão da Revolução Russa de 1917 após Vladimir Lênin, o ucraniano Leon Trótski.

Nenhuma propaganda da burguesia contra o comunismo é tão forte como os feitos de Josef Stálin. Afinal, os crimes de Stálin, que não cabem em um único livro, são reais. Embora haja distorções por parte da extrema-direita, é fato que Stálin conseguiu fazer o que Adolf Hitler não fez: matou milhares e milhares dos mais importantes quadros revolucionários do planeta.

Não é de se espantar, diante disso tudo, que pessoas progressistas, envolvidas com a classe operária, não se declarem comunistas. Tendo Stálin como modelo, o comunismo não parece algo pelo que se valha a pena lutar.

Para limpar o terreno e separar o joio do trigo, demonstrando o que é o comunismo e o que foi a barbárie stalinista, o Partido da Causa Operária está, desde janeiro, oferecendo o mais completo curso da história sobre o stalinismo. O curso, que é inteiramente online, podendo ser assistido em qualquer lugar do mundo, já concluiu a sua primeira parte. A segunda, no entanto, ainda está acontecendo. “O que foi o stalinismo — parte 2”, que trata da Segunda Guerra Mundial até a queda do Muro de Berlim, já está em sua sétima aula, trazendo, como sempre, um conteúdo exclusivo, analisado sob a ótica do marxismo.

Todas as aulas da primeira parte foram ministradas por Rui Costa Pimenta, presidente nacional do PCO e militante trotskista há mais de 40 anos. As aulas da segunda parte também estão sendo lecionadas pelo companheiro Rui.

Se você ainda não se inscreveu, ainda há tempo! Todas as aulas ministradas encontram-se disponíveis na plataforma da Universidade Marxista. Além de servir para transmitir o curso ao vivo, que tem aulas terças e quintas-feiras às 19h, a Universidade Marxista conta ainda com um grande acervo de obras raras e importantes na Biblioteca Socialista, bem como um amplo repertório de verbetes na Enciclopédia Marxista para consulta ilimitada.

Não fique de fora dessa oportunidade de estudar os principais acontecimentos do século XX sob um ponto de vista científico! Inscreva-se já:

www.universidademarxista.pco.org.br

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.