Venezuelanos saem às ruas mais uma vez contra ataques do imperialismo

venezuela

O povo venezuelano está novamente ocupando as ruas de todo o país para mais uma vez protestar contra as medidas criminosas do governo Trump e dos capitalistas ianques contra a nação sul-americano. As sanções impostas ao regime bolivariano representam o mais duro ataque dos últimos trinta anos a uma nação do continente, depois do bloqueio à Cuba, que já completou mais de meio século.

A ofensiva do imperialismo contra uma nação soberana do continente representa uma violação grotesca e abjeta das normas e dos tratados mais elementares do direito internacional, prática que vem sendo sistematicamente adotada pelo país que detém a maior e mais mortífera máquina militar de guerra do planeta, usada em larga escala desde a segunda guerra mundial para pressionar, ameaçar e intimidar os povos que se levantam em luta contra o jugo e a opressão em todo o mundo.

Em 2018, de forma soberana e democrática, o povo venezuelano sufragou nas urnas, para mais um mandato constitucional o presidente Nicolás Maduro, em pleito reconhecido e legitimado pela comunidade internacional que esteve presente ao país para atestar a lisura e a transparência do processo, conferindo legitimidade ao mandato de Maduro. Inconformada com mais uma derrota, a oposição pró-imperialista não reconheceu a vitória de Maduro, passando a adotar atos de sabotagem contra o governo eleito, contando para isso com a “assessoria” da Casa Branca e de Washington, articuladores de duas tentativas fracassadas de golpe contra o presidente Maduro.

A alegação de Donald Trump para a aplicação das criminosas sanções econômicas e embargos à Venezuela estaria no fato do regime chavista “violar os direitos humanos”, o que aparece como uma justificativa não somente cínica como risível em se tratando dos Estados Unidos, que não só apóia como dá sustentação política, econômica e militar a dezenas de regimes ditatoriais e violadores dos direitos humanos nos quatro cantos do planeta.

A motivação real dos ataques e da ofensiva ianque contra o país sul-americano – essa é a verdade – está na estratégia político-militar do imperialismo em exercer o controle e a manipulação, através da pressão e da chantagem, dos regimes em todo o continente americano, submetendo os povos e as nações aos interesses do imperialismo. Portanto, as ameaças do imperialismo aos povos do continente, em especial neste momento contra o povo venezuelano, está no desejo do imperialismo em roubar as riquezas do país, suas reservas de petróleo (umas das maiores do mundo), nada tendo a ver com uma suposta “cruzada humanitária” do país que é o maior violador dos direitos humanos em todo o planeta, os Estados Unidos da América.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.