Disparada de preços

O efeito bumerangue das sanções contra a Rússia

EUA e UE tentaram sancionar a Rússia, mas os efeitos estão voltando como um bumerangue e atingindo em cheio a economia europeia e mundial

bumerang

Europa tentou atingir a Rússia, mas está sentindo a volta do bumerangue. – reprodução

Segundo dados recentes, em um ano a inflação na União Europeia chegou a 8,6%, segundo dados divulgados em 1º de julho pela Eurostat.

De acordo com os índices, a inflação nos preços da energia atingiu 41,9%; alimentação, álcool e tabaco chegou a 8,9%. Os preços de bens industriais tiveram uma alta de 4,3%. Dos 19 países que utilizam o Euro como moeda, 9 estão com inflação acima de 10%. Na Estônia a inflação atingiu 22%; Lituânia, 20,5% e Letônia 19%.

Artigos Relacionados
Inflação UE
Inflação dispara desde o início dos conflitos na Ucrânia

A situação é explosiva na Europa. Crescem as manifestações de rua e muitas já estão se posicionando abertamente contra a guerra. Os europeus sabem que este é um problema criado pelos EUA, que forçaram uma medida drástica da Rússia na Ucrânia e, agora, eles é que estão pagando o pato. Não bastasse isso, vários países já estão prevendo aumento nos investimentos militares.

Existe um temor de que a Europa se torne palco de uma guerra generalizada. No entanto, como economias tão debilitadas vão pode sustentar um conflito de grande magnitude?

O fracasso das sanções

As sanções contra a Rússia foram um verdadeiro fracasso. A prova disso é o efeito bumerangue que está elevando a inflação aos maiores patamares da história na Zona do Euro. Logo que as sanções foram impostas, com o início da operação especial na Ucrânia, o rublo despencou, mas rapidamente voltou a seu patamar anterior.

Isso se deveu ao fato de que países importantes, como Índia, continuaram comercializando gás e petróleo com os russos, o que por si demonstra a dificuldade de o imperialismo conseguir uma unidade global para enfrentar a Rússia.

O fato é que o governo russo não foi pego de surpresa, durante anos veio se preparando para uma mudança econômica que tornava a moeda russa independente do sistema financeiro mundial, a salvo do dólar, lastreando a moeda em ouro em suas exportações de gás e petróleo. A Rússia percebeu que se houvesse algum desentendimento com imperialismo, estaria vulnerável e poderia sofrer um ataque financeiro. Os resultados dessa política se demonstraram acertados.

Isolamanento russo?

A tentativa de isolar a Rússia se tornou outro grande fracasso. Além da Índia, países como o Paquistão, Turquia, Austrália, Japão, Argentina e todos os países do Brics. Lembrando que Austrália, Índia e Japão, além dos EUA, formam o QUAD, que é uma espécie de Mini-Otan no Indo-Pacífico. Ou seja, uma coalizão militar que não consegue estabelecer uma unidade no campo econômico está com graves problemas.

A ordem imperialista mundial está caminhando para a dissolução. Isso se manifesta na rebeldia de países de todos os continentes, na negativa de aderir integralmente às sanções contra a Rússia.

A subida de preços

Os EUA estão pressionando a Opep para aumentar a produção de petróleo, mas para suprir a produção russa teriam que produzir um excedente de 7 milhões de barris diários. Obviamente, o imperialismo não vai querer um aumento de preços, o que, em outras palavras, seria jogar o ônus da crise nas costas dos árabes.

Na Espanha, o governo prorrogou um auxílio de cinquenta centavos por litro de gasolina por três meses. Recentemente, nos EUA o galão de gasolina atingiu US$ 5, o que está causando um grave problema político no país. O governo anunciou que não cobraria impostos sobre a gasolina. Em Nova Iorque, por exemplo, existem 80 mil moradores de rua.

Além da alta nos preços dos combustíveis, a Ucrânia e a Rússia são responsáveis por 30% da produção de grãos, o que força para cima alta dos preços.

Trabalhadores x imperialismo

As políticas neoliberais colocaram a classe operária mundial em um enorme refluxo. Porém, as crescentes manifestações de rua estão colocando na ordem do dia o confronto dos trabalhadores contra o imperialismo.

A inflação corrói as economias dos trabalhadores e, no cenário atual, está muito claro que o fenômeno está sendo produzido pela ação do imperialismo no Leste Europeu.

Essa inflação, ao que tudo indica, não atingiu seu auge. Se escalarem as provocações contra a Rússia, a Europa pode ficar sem energia para tocar a sua indústria. Países como Itália e Alemanha dependem enormemente do gás para a sua produção.

Guerra de desgaste

Ainda que o imperialismo venha tentando promover uma guerra de desgaste contra a Rússia, a própria Europa é quem primeiro está dando sinais de cansaço. O próprio presidente da Ucrânia, Volodimir Zelensky, pediu para que a UE dê um jeito de terminar o conflito até o final do ano. A Ucrânia teve seu exército praticamente destruído e tem perdido partes importantíssimas de seu território, como o acesso ao Mar Negro e ao Mar de Azov. As repúblicas do Leste praticamente já se livraram das forças nazistas.

O tiro tem saído pela culatra. O imperialismo ainda procura se reorganizar enquanto China e Rússia investem nos Brics. O governo Chinês alertou que se continuarem as sanções contra o país, o aumento das relações com a Rússia se torna inevitável e plenamente justificadas.

O governo Putin declarou que está conseguindo todos os seus objetivos na Ucrânia e que, portanto, a operação levará o tempo de necessitar. De certa maneira, são os russos que estão devolvendo a guerra de desgaste. O tempo está correndo e em breve o inverno europeu mostrará o quanto dependem de fontes de energia.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.