Por uma campanha nacional

Não aos embargos criminosos contra Cuba!

PCO coloca nas ruas campanha contra a criminosa política imperialista contra o povo cubano

embargo

Embargo criminoso – Latuff

O Sionismo terrorista patrocinado tanto pelo imperialismo na forma do Partido da Guerra (OTAN) quanto pelos próprios EUA, foi o primeiro a abertamente utilizar do aparato de repressão internacional para massacrar os internacionalistas, ou seja, os comunistas no mundo inteiro. Esse terrorismo contra os trabalhadores no mundo inteiro vem de antes de Winston Churchill em que proclama que o comunismo é a equidade da miséria – mas esquece esse indivíduo que a miséria que ele relata é a mesma que ele cria, desenvolve e faz propagar ao mundo inteiro, a desigualdade vil e asquerosa do capitalismo, defendida e propagandeada pela imprensa burguesa através de mentiras. Não obstante, podemos perceber o quanto a liberdade proclamada pelos então liberais e neoliberais é de fato não executada pelos monopolistas e colonialistas imperiais quando o embargo comercial a Cuba é hoje o maior da história escrita da humanidade.

A ONU, em 1992, votou em peso para o fim do embargo imposto pelos imperialistas, no entanto, apenas os EUA e Israel foram contra o fim do embargo. Posicionamento lógico dos Sionistas-Terroristas, uma vez que estão alinhados desde a declaração do Lord Arthur Balfour – Secretário Britânico dos negócios estrangeiros – em 1917 no qual viabilizaria apoio à formação do Estado de Israel na época patrocinado sua criação pela família de banqueiros mercenários e colonialistas “Os Rothschilds” encabeçado então à época pelo Barão Lionel Walter Rothschild, proclamaram pacto de sangue entre os Sionistas no mundo inteiro para apoiarem os aliados na guerra e também apoiarem em contrapartida a base do terrorismo Sionista imperialista no Oriente Médio, ou seja, o Estado de Israel.

No final das contas o que de fato é o embargo contra Cuba? O embargo é o impedimento do comércio dos países “livres” no mundo pressionados pelos Estados Unidos a não comercializarem com Cuba. Na prática, isso é ação de promoção de miséria e fome para destruir um país com toda sua população e ao final do processo de tortura, a ação esperada pelos capitalistas é que o País atacado se ajoelhe e implore pela entrada no comércio. Essa é a liberdade Capitalista, de promover a miséria a quem não compactuar com a ordem mundial de comércio e para quem compactuar deverá ajoelhar-se ao imperialismo e aceitar a escravidão de bom grado.

São mais de 60 anos de embargos a Cuba que desde a Revolução Cubana de 1959 até a data de hoje Cuba não tem o acesso comum ao mercado mundial, ficando literalmente dependente dos países internacionalistas, dos países livres e amigos dos amigos do povo cubano.

Assim sendo, Cuba teve que limitar quase tudo relacionado ao consumo devido à própria limitação de compras no comércio mundial e em contrapartida fortalecer nacional aquilo que podia controlar, como a educação, a saúde, moradia e demais garantias que fazem do Povo Cubano uma estrela de esperança e ira contra os terroristas internacionais. Os imperialistas articularam para que nem remédios, nem alimentos, nem materiais de saúde fossem adquiridos por Cuba no comércio mundial, o que teria resultado num genocídio do Povo Cubano se não fosse os altos investimentos do Governo Cubano em Saúde primária e preventiva. Apesar da suposta retirada dos embargos desde 2014 no governo de Barack Obama nada de concreto houve para facilitar o comércio com a ilha e, hoje a realidade pós governo de Donald Trump que endureceu as restrições comerciais a Cuba é que nada mudou desde 1959 e o Povo ainda vive sob o signo do terrorismo Sionista mundial na forma de OTAN.

Os direitos democráticos do Povo Trabalhador, dos oprimidos pela falta de trabalho, dos reprimidos pelo trabalho indigno e de todos que lutam por uma humanidade justa que use os meios de produção existente para suprir as necessidades da sociedade humana e não apenas ao interesse da mais-valia devem ser a bandeira de luta dos Povos. Não aceitaremos a fome como moeda de troca em acordos comerciais entre os colonialistas. A luta deve ser pela libertação dos povos das garras do império e, Cuba é um grande exemplo dessa luta por liberdade de acessar ao comércio para ter direitos básicos atendidos e fornecidos aos seus cidadãos.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.