Demagogia pró-imperialista

Esquecidas, crianças afegãs passam fome por conta de sanções

Cinicamente, imperialismo fala da suposta morte de crianças ucranianas como se ele não fosse o principal responsável pela morte de milhões de crianças no mundo todo

Afeganistao-fome-criancas

Uma campanha imperialista – Foto: Reprodução

Nesta última semana, após o início da ação russa na Ucrânia, a campanha do imperialismo em torno do assunto e da defesa do governo nazista ucraniano vem ganhando capítulos cada vez mais vergonhosos. Com base na tentativa de promover ataques morais ao governo russo, justificando os crimes cometidos pelo imperialismo na região, a imprensa burguesa internacional vem caluniando as tropas russas e o governo de Vladmir Putin de promover um verdadeiro massacre em território ucraniano.

Sem dados, sem fotos ou quaisquer fatos comprovados, a campanha na imprensa imperialista se dá de maneira cínica e totalmente caluniosa. Segundo importantes jornais norte-americanos, os russos não só estariam perseguindo os ucranianos, como também assassinando crianças a sangue frio. Em uma das mais recentes calunias, foi dito que o exército russo teria bombardeado um hospital infantil, assassinando centenas de crianças.

O caso foi desmentido pouco tempo depois, porém obviamente, sem nem chegar perto da divulgação da notícia anterior, que buscava tratar os russos como grandes monstros. Na campanha do imperialismo no entanto, tudo é o inverso da realidade.

Mais uma vez, as acusações se deram completamente sem provas. Na realidade, muito do que foi acusado pela imprensa imperialista foi cometido na realidade pelas tropas nazistas, financiadas pelo imperialismo na Ucrânia. Estes grupos promovem na Ucrânia um verdadeiro genocídio da população russa, criando até mesmo campos de tortura em regiões do país e promovendo inúmeros ataques às províncias autônomas.

Enquanto os russos promovem uma ação limpa, sem grandes perdas humanas na Ucrânia como forma de defender sua soberania da expansão da OTAN, o imperialismo vem, por outro lado, promovendo um verdadeiro massacre, tanto em território ucraniano, por meio das milícias nazistas financiadas de fora, como também no oriente-médio, onde os efeitos de suas invasões e sanções perduram até hoje.

O exemplo mais drástico desta ação do imperialismo está em um país que recém se libertou de suas ocupações. O Afeganistão, hoje comandado pelo Talibã e vítima, após anos de uma brutal guerra, de sanções criminosas do imperialismo, tem 98% da população desnutrida e 9 milhões de pessoas à beira da fome, segundo dados da UNICEF.

Segundo os dados, a fome poderá ter um resultado até pior, em número de mortos, do que a guerra que durou mais de uma década no país. E, nesse sentido, as primeiras a sofrerem nas mãos do imperialismo são justamente as crianças.

Na mesma pesquisa, é denotado que 3,9 milhões de crianças sofrem de desnutrição grave, um aumento de quase um milhão em relação aos anos anteriores. Na prática, toda a população passa fome, e todas as crianças afegãs correm sérios riscos de morrerem por desnutrição.

Os relatos ainda explicitam a falta de materiais básicos em hospitais, o desemprego em massa e a miséria causadas por anos de invasão imperialista e pela política de intenso boicote econômico ao país que tenta se recuperar com base em um governo nacional, o primeiro após anos de guerra.

Este resultado é impulsionado pelo histórico roubo das reservas do Afeganistão, feito pelos Estados Unidos agora, com o governo Biden. Assim, o imperialismo se recusou a devolver milhões de dólares ao povo afegão, largando à fome milhões de crianças e trabalhadores.

No passado, a política “civilizada” do imperialismo também pode ser vista nas inúmeras guerras promovidas. No Iraque, entre 1990 a 1991, foram assassinados mais de 30 mil pessoas durante os bombardeios. No Vietnã, os horrores de 20 anos de guerra foram complementados pelo uso de armas químicas e de um genocídio de sua população. Caso semelhante ocorreu na Iugoslávia, como também após o golpe nazista na Ucrânia.

O imperialismo é, na realidade, o verdadeiro culpado de todos estes crimes contra a população mundial, algo que a política meramente de defesa russa jamais chegou perto de cometer. Dessa forma, fica claro que a campanha da imprensa imperialista nada mais é que pura farsa e calúnia, uma campanha de guerra contra a Rússia e os povos oprimidos, uma tentativa de encobrir a realidade de genocídio e fome promovida pelo imperialismo em todo o mundo.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.