• Capa
  • Europa
  • Putin: é preciso cumprir as metas, minimizando as perdas

Operação de Defesa de Donbass

Putin: é preciso cumprir as metas, minimizando as perdas

Hoje, terça-feira, 12, os presidentes de Rússia e Belarus, Vladimir Putin e Aleksandr Lukashenko, respectivamente, passaram aproximadamente três horas negociando

putin 2

Vladmir Putin – Reprodução

─ Sputnik News ─ O presidente russo, Vladimir Putin, comentando a operação militar especial russa, afirmou que o país não tem nada a esconder, o trabalho é relatado de maneira clara e objetiva.

Além disso, ele ressalta que tudo está decorrendo conforme os planos. Putin também afirmou que é preciso alcançar as metas com o menor número de perdas possível.

Durante a coletiva de imprensa conjunta com Lukashenko após suas negociações, Vladimir Putin ressaltou o papel dos militares russos na Ucrânia:

“Ao cumprirem tarefas difíceis e perigosas em Donbass e na Ucrânia, nossos soldados protegem os interesses da Rússia, defendem a Rússia”.

Por fim, o mandatário destaca que para o Ocidente a Ucrânia é um instrumento para alcançar seus próprios objetivos.

O líder russo revelou que foi informado sobre a mudança do posicionamento ucraniano quanto às negociações: “Ontem [11], disseram-me que o lado ucraniano tinha mudado alguma coisa no posicionamento com relação às conversações. Ainda não tenho detalhes.

“O presidente russo afirmou que a inconsistência de Kiev no processo de negociações e o afastamento ucraniano dos compromissos alcançados em Istambul criam dificuldades.

Putin: economia e sistema financeiro da Rússia estão se mantêm firmes e fortes

O presidente russo Vladimir Putin afirmou que a economia e o sistema financeiro da Rússia continuam firmes e fortes. Com relação à influência das sanções na economia russa, Putin afirmou que a guerra econômica planejada pelo Ocidente não deu certo.

“A economia da Rússia está funcionando bem estável e eficientemente. O curso do dólar voltou aos parâmetros do início da operação, embora, em prazo médio e longo, os riscos possam aumentar. Em qualquer caso, os adversários da Rússia pretendem exacerbar sua atividade ainda mais, mas, de outro lado, o bom senso também deve colocar acentos”, afirmou Putin.

Em médio e longo prazo, a perspectiva de risco de impacto pelas sanções na economia russa pode aumentar. Tudo está ligado em cadeia, se os parceiros agravarem a situação, então ela será agravada para eles, ressaltou Putin.

De acordo com suas palavras, o Ocidente não entende bem que o povo russo sempre se une em condições difíceis, e que quando problemas surgem para os russos, surgem inevitavelmente também para quem os proporcionaram – os europeus:

“Se hoje os nossos parceiros agravarem a situação no âmbito financeiro, de seguros e no setor de transporte, inclusive marítimo, a situação vai se agravar também para eles.”

Conforme o mandatário belarusso, os líderes discutiram a situação na Ucrânia. Entre outras coisas, foi abordado o incidente na cidade ucraniana de Bucha. Lukashenko informou que pode ajudar com materiais para investigar a preparação da operação em Bucha e fornecê-los caso seja necessário.

O presidente afirmou que a provocação em Bucha foi “uma operação especial” encenada pelo Reino Unido: “Nós discutimos hoje a operação especial deles, uma operação especial psicológica que foi realizada pelos britânicos.”Logo depois, Vladimir Putin informou que Lukashenko lhe entregou os documentos que desmentem a encenação falsa em Bucha.

O chefe de Estado belarusso revelou que discutiu com seu homólogo a operação especial russa e afirmou ter dito que “nós não permitiremos que ninguém atire nas costas do homem russo“.

De acordo com as palavras do mandatário belarusso, se a operação russa tivesse sido iniciada um pouquinho depois, “então contra os territórios russos teria sido preparado, como eles consideravam, um ataque esmagador, e também contra regiões vizinhas”.

Aleksandr Lukashenko acrescentou ainda que decidiu com Vladimir Putin as condições de entregas do petróleo russo para Minsk e a assistência às refinarias petrolíferas em Belarus.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.