• Capa
  • Europa
  • Lavrov chamou a ameaça de guerra nuclear real

Risco nuclear

Lavrov chamou a ameaça de guerra nuclear real

Lavrov disse sobre o risco real de uma guerra nuclear

lavros45

Sergei Lavrov, Ministro das Relações Exteriores da Rússia – Reprodução

Os riscos de uma guerra nuclear agora são muito significativos, esse perigo não pode ser subestimado, mas há muitos que estão dispostos a inflar artificialmente essa ameaça, disse o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, no Canal Um.

Ele lembrou que em janeiro os países dos “cinco nucleares” reafirmaram a tese sobre a inadmissibilidade do uso dessas armas.

Artigos Relacionados

“Esta é a nossa posição de princípio. Partimos dela. E eu não gostaria muito disso agora, quando, como você disse, referindo-se a cientistas políticos respeitados, quando os riscos são realmente muito, muito significativos, eu não gostaria muito esses riscos de serem artificialmente foram inflados, e há muitos que os querem. O perigo é sério, é real, não pode ser subestimado”, disse o chefe da diplomacia russa.

Ele também expressou esperança de que os países ocidentais não permitam que suas tropas sejam enviadas para a Ucrânia.

“Em nenhum caso devemos permitir uma terceira guerra mundial, é nesse contexto que eles consideram as constantes provocações de Zelensky e sua equipe, que exigem quase a introdução de tropas da OTAN para proteger o governo ucraniano. E todo mundo sempre diz isso vamos dar armas – o que, naturalmente, também põe lenha na fogueira – e eles querem obrigar os ucranianos a lutar com a Rússia até ao último soldado com estas entregas de armas, se este conflito se arrastasse por mais tempo, se ao menos, como eles Espero que a Rússia sofra com isso cada vez mais”, disse Lavrov.

Ao mesmo tempo, ele observou que todos os líderes dos países da OTAN excluem o envolvimento da aliança em um confronto direto com a Rússia, exceto a liderança da Polônia.

Sobre a situação na Ucrânia e as negociações

De acordo com Lavrov, os países ocidentais estão pressionando Kiev a continuar as hostilidades.”Enfatizo mais uma vez: temos a sensação de que o Ocidente quer que a Ucrânia continue lutando, continue, como eles pensam, a se desgastar, exaurir o exército russo e o complexo militar-industrial russo – isso é uma ilusão”, disse ele. disse.

Como exemplo, o ministro citou os resultados das negociações na Turquia.

“Em Istambul, pela primeira vez, recebemos propostas deles em papel, com as assinaturas do chefe de sua delegação, e estávamos prontos para tomar essas propostas como base. Elas precisavam ser revisadas para serem consensuais, mas foram avaliados positivamente por nós. <…> Essas propostas não eram em forma de contrato, mas em forma de esboços, as principais disposições e teses. Rapidamente passamos essas teses para o gênero contratual e entregamos esta minuta para nossos colegas ucranianos. Então eles nos apresentaram suas contra-idéias, que eram radicalmente diferentes do que foi feito em Istambul”, disse Lavrov.

Ele acrescentou que Kiev decidiu dar esse passo por sugestão de Washington e Londres, que recomendam que as autoridades ucranianas endureçam sua posição.

Ao mesmo tempo, o chefe do Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse que a Ucrânia imita as negociações e seu presidente se contradiz em seus discursos públicos.

“O que o Ocidente percebe como a apresentação talentosa de Zelensky de seus interesses, suas abordagens é uma coisa tão específica. Se você não olhar para as manifestações externas de seus talentos, ele é um bom ator, e além disso também há coisas engraçadas em manifestações externas que mostrar como às vezes ele está em um estado, mas se você olhar de perto e ler a essência do que ele diz, você encontrará mil contradições ali”, disse o ministro.

Ele também apontou outras declarações de representantes de Kiev.”Só hoje li uma mensagem – o porta-voz da Verkhovna Rada disse que, após esta crise, a Ucrânia não removerá de sua constituição as disposições sobre sua intenção de ingressar na OTAN. Como é? Em todas as negociações, um neutro, não-bloco o status da Ucrânia é discutido, juntamente com garantias de segurança que serão para um determinado território”, lembrou Lavrov.

Ao mesmo tempo, ele expressou confiança de que o confronto na Ucrânia terminaria com a assinatura de um documento diplomático.

“Mas os parâmetros deste tratado serão determinados pelo estágio de hostilidades em que este tratado se tornará uma realidade”, destacou o chanceler.

Em 24 de fevereiro, a Rússia lançou uma operação militar para desnazificar e desmilitarizar a Ucrânia. Segundo o presidente Vladimir Putin, seu objetivo é “proteger as pessoas que foram submetidas a abusos, genocídios pelo regime de Kiev por oito anos”.

Conforme declarado pelo Ministério da Defesa, as Forças Armadas atacam apenas a infraestrutura militar e as tropas ucranianas e já reduziram significativamente o potencial de combate da Ucrânia. A principal tarefa no departamento militar russo foi chamada de libertação de Donbass .

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.