• Capa
  • Europa
  • EUA prometem à Rússia sanções mais pesadas da história

Crime econômico

EUA prometem à Rússia sanções mais pesadas da história

Imperialismo busca asfixiar os russos com bloqueio econômico superior ao de 2014, fazendo sua população sofrer

21154612 0 0 3055 2048 1440x900 80 0 1 0a8f919915206e5429773049f65dce0d.jpg

Casa Branca diz que sanções serão mais severas que as de 2014 – Foto: Evelyn Hockstein

─ Sputnik News ─ A administração de Joe Biden, presidente dos EUA, disse estar pronta para introduzir, em conjunto com a União Europeia, sanções antirrussas imediatas, e não graduais, mais duras que em 2014.

Os EUA estão preparando sanções simultâneas, e não graduais, à Rússia, caso tente invadir a Ucrânia, anunciou na terça-feira (25) um alto representante da Casa Branca.

“Estamos prontos para introduzir sanções com consequências em larga escala que não consideramos em 2014. O gradualismo [das sanções] está fora, desta vez começamos no topo”, revelou ele em briefing de imprensa telefônico.

“Além das sanções financeiras, que têm um efeito imediato e visível no dia em que são implementadas, também estamos preparados para impor novos controles de exportação“, disse.

A recente queda do rublo demonstra a eficácia das sanções econômicas à Rússia que os EUA e aliados podem introduzir em caso de uma escalada na Ucrânia, referiu o funcionário, que aponta à atual situação com a moeda russa e à possibilidade de um default como provas disso.

Além disso, apesar de os passos dos EUA e da União Europeia poderem ser diferentes, eles perseguiriam os mesmos objetivos, comunicou o membro da administração do presidente norte-americano Joe Biden.

“Embora nossas ações e as ações da União Europeia possam não ser idênticas, estamos unidos na vontade de criar grandes consequências à Rússia, infligir um golpe imediato e forte […] tornar sua economia mais frágil e sufocar a ambição de [presidente russo Vladimir] Putin de exercer influência no cenário mundial”, acrescentou, mencionando que os países ocidentais poderão não se limitar a essas medidas, e que “praticamente todas as hipóteses estão em cima da mesa”.

A Rússia tem negado repetidamente ter intenções agressivas contra a Ucrânia, dizendo que a movimentação de tropas dentro de suas fronteiras não deve preocupar ninguém, e explica ao mesmo tempo que isso é em resposta à militarização junto das fronteiras russas por parte da OTAN, incluindo na Ucrânia, que não é oficialmente Estado-membro.

Em dezembro Moscou propôs projetos de acordo que visavam um novo ambiente de segurança europeu, incluindo a não colocação de mísseis, tropas e realização de exercícios militares na proximidade entre a Rússia e a OTAN. O Kremlin também rejeitou uma continuação da expansão da Aliança Atlântica, e instou a organização a deixar de aproveitar militarmente o território de vizinhos russos. No entanto, as negociações entre os dois lados não têm tido sucesso até agora.

Após um golpe de Estado em 2014 que retirou do poder Viktor Yanukovich, presidente eleito da Ucrânia, foi realizado na Crimeia um referendo em que a esmagadora maioria dos habitantes votou para regressar à Rússia. Em resposta, o Ocidente impôs várias sanções à Rússia e a expulsou do G8, enquanto Moscou respondeu com sanções aos países ocidentais.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.