• Capa
  • Europa
  • Até na Suíça os aposentados vivem na pobreza

Crise capitalista

Até na Suíça os aposentados vivem na pobreza

O valor das aposentadorias na Suíça não garante o mínimo de condições de sobrevivência na velhice. Emigrados relatam o alto custo de vida

global-hunger

Hoje em dia nem em países avançados é possível ser aposentado e viver bem – Foto: Reprodução

Os efeitos da crise terminal do capitalismo se expressam até mesmo nos países centrais do imperialismo europeu. Os aposentados da Suíça, um país considerado rico e próspero, têm emigrado com vistas a fugir da pobreza.

Os aposentados suíços se mudam para outros países, devido ao fato de que o valor das aposentadorias não garante o mínimo de condições para uma sobrevivência digna na velhice. Há muitos relatos de emigrados que revelam as dificuldades para se viver na Suíça.

Um emigrado de 80 anos, que viveu na Suíça a vida inteira, declara que “transporte, seguros, aluguéis…a vida na Suíça é cara na sua totalidade, até mesmo para atividades de lazer e restaurantes”. Outro emigrado destaca que “o alto custo de vida na Suíça é decadente”.

De acordo com dados dos órgãos governamentais, 3.135 suíços com 65 anos de idade ou mais se mudaram para outros países em 2019. Isto representa 10% do total da emigração. O guia “Aposentadoria no Exterior”, elaborado pelo Ministério das Relações Exteriores (EDA), aponta que se a pessoa sair da Suíça antes de 59/60 anos, é possível se beneficiar de um pagamento em dinheiro caso a residência seja fixada em um país-membro da União Europeia/Associação Europeia de Comércio Livre (UE-EFTA).

Os aposentados planejam a mudança para diversos outros países, como França, República Tcheca ou até mesmo Paraguai e Tailândia, para garantir uma aposentadoria e fugir do alto custo de vida na Suíça. Se um suiço tem de se mudar para países pobres como Paraguai e Tailândia, pode-se perceber que a situação é realmente difícil..

As palavras de emigrados idosos também revelam o medo de perder os bens conquistados com o trabalho no decorrer da vida para os bancos e instituições financeiras. Pierre, de 61 anos, diz que foi aconselhado a sair da Suíça pelo seu consultor bancário em virtude das dificuldades de pagar empréstimos que haviam sido contraídos. “”Tínhamos medo de perder tudo o que tínhamos construído”.

A emigração forçada para fugir da pobreza revela a situação dramática dos suíços. O capital financeiro domina o País e está sempre à espreita para expropriar as aposentadorias, tomar conta dos salários, endividar a população e tomar seus bens, mesmo que seja na velhice. Também há diversos relatos que salientam a dificuldade de começar do zero em outro país, onde não se tem laços.

No ano de 2020, 120 mil aposentadorias AHV foram pagas para suíços residentes no exterior.

A situação revela que o empobrecimento é geral até mesmo nos países centrais do continente europeu. É a crise definitiva do sistema imperialista mundial, incapaz de garantir condições de vida para as populações dos países ricos, tal como a Suíça.

O imperialismo tem que aumentar a espoliação e o saque das riquezas dos países atrasados da África, Ásia e América Latina. Só é possível remendar momentaneamente a situação nos próprios países ricos sob a base do aprofundamento da exploração dos povos oprimidos. A ideia é evitar que a pobreza nos países centrais não tenha como consequência uma explosão geral revolucionária nos centros do imperialismo mundial.

A política de golpes de Estado, implementada na América Latina por parte do imperialismo contra os governos de tipo nacionalista-burguês, foi uma maneira de colocar regimes alinhados com seus interesses e avançar na espoliação.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.