Crise da direita

Argentina: Macri não se reelege, chapa Fernández-Kirchner vence

O candidato peronista Alberto Fernández conseguiu derrotar, ainda em primeiro turno, o atual presidente argentino Mauricio Macri.

kirchner

Cristina Kirchner e Alberto Fernádez. Foto: Agustin Marcarian/Reuters –

Por volta das 21h de ontem (27), o povo argentino já sabia do resultado das eleições presidenciais de seu país. Com mais de 47% dos votos e mais de 89% das urnas apuradas, o candidato Alberto Fernández, membro do Partido Justicialista (PJ), mais conhecido como Partido Peronista, e coligado na Frente de Todos, já havia sido declarado oficialmente eleito antes do fechamento dessa edição. A necessidade de uma disputa em segundo turno foi dispensada porque Fernández ultrapassou os 45% dos votos.

Além de Alberto Fernández, disputaram a eleição Mauricio Macri, atual presidente argentino, filiado ao Proposta Republicana e coligado no JXC, Roberto Lavagna (ConFed), Nicolás del Caño (FIT), Juan José Gómez Centurión (Nos) e José Luis Espert (Unite). Até o fechamento dessa edição, Macri havia obtido cerca de 40% dos votos.

A derrota de Mauricio Macri, que já era previsa até mesmo pela imprensa burguesa, expressa a falência e a impopularidade da política neoliberal, que está sendo imposta à força na América Latina por meio de governos teleguiados pelo imperialismo. Macri adotou uma série de medidas econômicas impopulares, como a reforma da Previdência, mas afundou ainda mais a economia argentina, tendo inclusive pedido empréstimo ao Fundo Monetário Internacional – FMI. O governo Macri foi tão desastroso que o próprio presidente argentino, que era apontado como um grande expoente do liberalismo econômico, foi obrigado a intervir diretamente na economia, congelando preços.

A derrota eleitoral de Macri, no entanto, não coloca um ponto final na aplicação da política neoliberal na Argentina. Alberto Fernández, mesmo tendo como vice a líder de esquerda Cristina Kirchner, não tem condições de, sozinho, enfrentar os interesses da burguesia – é preciso, para isso, ser apoiado por um amplo movimento de massas. Além disso, o próprio Fernández já deu várias demonstrações de que estaria disposto a seguir as diretrizes econômicas da direita, tendo inclusive se reunido com representantes do FMI.

Diante disso, a única opção para os trabalhadores e o povo argentino em geral intensificar a mobilização contra os golpistas que estão saqueando a América Latina e organizar um movimento amplo que tenha condições de impedir, na marra, que a direita continue sabotando a população.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.