9 de maio

Dia da vitória: contra os nazistas do passado e do presente

Em meio à operação especial na Ucrânia, povo russo comemora êxito do Exército Vermelho no Dia da Vitória

2022-05-09T074526Z_1387348331_RC2J3U9BV96R_RTRMADP_3_WW2-ANNIVERSARY-RUSSIA-PARADE

Parada militar na Praça Vermelha em Moscou, durante as comemorações do 77º Dia da Vitória – Foto: Evgenia Novozhenina/Reuters

Ontem, dia 9 de maio, comemora-se em todas as cidades russas e nas repúblicas da ex-União Soviética, o 77º aniversário do “Dia da Vitória”, dia em que a Alemanha nazista se rendeu incondicionalmente após sofrer uma derrota militar duríssima para a URSS no final da Segunda Guerra Mundial. A data tem uma grande importância para os russos porque é o dia em que se lembram da fenomenal reação do seu povo aos nazistas. Os alemães, ao invadir a Rússia, realizaram ali um verdadeiro massacre, matando, nas cifras mais conservadoras, cerca de 30 milhões de russos.

As comemorações em torno dessa data são gigantescas, com uma parada militar que mobiliza todas as Forças Armadas do país e que é assistida por uma boa parte do povo russo. A maior parte dos cidadãos nascidos hoje na Rússia não viveu durante a Grande Guerra Patriótica (como é por eles chamada), mas tem antepassados que lá estiveram e se enfrentaram com os nazistas, portanto trata-se de algo de gigantesco valor para todos os russos.

Neste ano, a comemoração teve uma importância ainda maior. Nos últimos dois anos (2020 e 2021), ele havia ocorrido online, devido à pandemia da Covid-19, então é natural presumir que os russos estavam na expectativa por poder novamente vivenciá-lo presencialmente. Além disso, ele ocorre em meio à campanha russa na Ucrânia, que tem como um dos objetivos centrais derrotar nazistas que tomaram conta da situação política no país. Estes nazistas, financiados pelo imperialismo para servirem de ameaça à Rússia nos dias atuais, são descendentes diretos de nazistas ucranianos que atuaram no país durante o período da Segunda Guerra Mundial. 

O maior desfile do país ocorre na Praça Vermelha, em Moscou. Neste ano foram cerca de 11 mil soldados que desfilaram, seguidos por mais de 100 veículos militares blindados. As colunas em marcha representavam todos os ramos das forças armadas russas, incluindo tropas aéreas de elite, polícia militar, guardas nacionais, cossacos e cadetes.

Os veículos foram liderados pelo histórico tanque T-34-85, que foi amplamente utilizado pelo Exército Vermelho durante a guerra, seguidos por jipes Typhoon-K, equipados com torres com metralhadoras controladas remotamente. Os blindados de infantaria Kurganets-25 estavam equipados com os novíssimos módulos armados Epokha, que permitem que eles destruam alvos com metralhadoras e foguetes. A coluna de tanques incluía o moderníssimo tanque T-90M Proryv. Os mísseis antiaéreos S-400, capazes de atingir alvos localizados a até 250 quilômetros de distância também foram exibidos. 

As tradicionais exibições aéreas tiveram de ser canceladas devido ao clima em Moscou, o mesmo ocorreu em outras cidades como São Petersburgo.

Posteriormente, ocorreu também a procissão do Regimento Imortal, que consiste de uma marcha com civis russos carregando fotos de parentes seus assassinados pela Alemanha nazista durante a guerra.

Segundo o Ministro do Interior russo, nesse ano foram mais de um milhão de pessoas que participaram da procissão, que saiu da estação de trem de Moscou às 15 horas e caminhou até a Praça Vermelha, percorrendo uma rota de sete quilômetros. O presidente Vladimir Putin e o prefeito de Moscou, Sergey Sobyanin, também participaram da marcha. 

Putin relembra os feitos do exército russo na Ucrânia

Como é tradicional, o presidente russo, Vladimir Putin, discursou durante o evento. Em seu discurso, Putin destacou as relações entre a campanha militar russa de hoje e a vitória contra a Alemanha nazista no séclulo passado. Ele destacou, ao se dirigir ao povo russo: 

“Hoje, como no passado, vocês estão lutando por nossa população em Donbass, pela segurança de nossa pátria, pela Rússia.

Após fazer uma descrição sobre a ameaça do imperialismo, da Otan e dos nazistas ucranianos às repúblicas da região do Donbass, e de descrever como o imperialismo procura utilizar a Ucrânia para ameaçar a Rússia, Putin relembra: 

“A Rússia lançou um ataque preventivo à agressão. Foi uma decisão forçada, oportuna e a única correta. Uma decisão de um país soberano, forte e independente.”

O presidente russo, Vladimir Putin, durante festividades do Dia da Vitória

Mais a frente, Putin esclarece a relação entre os nazistas de outrora e os de hoje na Ucrânia: 

“Estou me dirigindo às nossas Forças Armadas e à milícia de Donbass. Vocês estão lutando por nossa pátria, por seu futuro e para que ninguém esqueça as lições da 2ª Guerra Mundial, para que não haja lugar no mundo para torturadores, esquadrões da morte e nazistas”.

Por fim, ele relembra o massacre de Odessa, em que nazistas queimaram A Casa dos Sindicatos na cidade ucraniana. O fato completou aniversário de 8 anos no último dia 2: 

“Curvamos nossas cabeças à memória dos mártires de Odessa que foram queimados vivos na Casa dos Sindicatos em maio de 2014, à memória dos velhos, mulheres e crianças de Donbass que foram mortos em bombardeios atrozes e bárbaros por neonazistas. Nós curvamos nossas cabeças para nossos companheiros de combate que morreram uma morte corajosa na batalha justa– pela Rússia.”

Acompanhe, no vídeo abaixo, a íntegra do evento ocorrido em Moscou:

Os correspondentes da Causa Operária na Rússia

Eduardo Vasco e Rafael Dantas, companheiros enviados à Rússia para acompanharem de perto as ações militares contra a Ucrânia e sua repercussão em meio ao povo russo, puderam acompanhar o Dia da Vitória na cidade de Rostov, em que estão localizados para posteriormente partir para o Donbass. A cidade é a mais próxima da região em território russo, portanto o evento tem uma importância particularmente grande para seus habitantes, que puderam ver muito de perto a atuação dos nazistas de hoje no Donbass. 

As preparações para o evento já começaram de antes, conforme mostra o tweet do companheiro Eduardo Vasco: 

Nas celebrações que ocorreram precedendo o dia 9, também houve comemorações dos estudantes: 

Aqui um vídeo mostrando o início da parada em Rostov do Don:

Veículos militares também desfilaram em Rostov, com cerca de 3 mil militares participando do desfile: 

A procissão do Regimento Imortal também ocorreu em Rostov, da mesma forma que nas outras cidades, conforme se pode ver no vídeo abaixo: 

É de fundamental importância compreender a importância de tal evento para as mentes do povo russo no momento atual, em que o país é atacado de todos os lados pelo imperialismo e precisa reafirmar sua soberania repetidamente, inclusive através da ação militar na Ucrânia. A celebração do Dia da Vitória, além disso, é muito mais do que uma mera parada militar promovida pelo governo. Trata-se de uma celebração popular que envolve todo o povo russo e mobiliza as massas e a juventude do país.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.