MI6

China acusa chefe da espionagem britânica de divulgar “fake news”

Imperialistas do Reino Unido acusam cinicamente Pequim de fazer o que eles próprios sempre fizeram

Agentes – Reprodução

Redação do DCO

─ Sputnik News ─ O chefe do serviço secreto de inteligência do Reino Unido (MI6 – sigla em inglês para Inteligência Militar, Sessão 6), Richard Moore, foi acusado pela embaixada chinesa em Londres de “propagar fake news” depois de ele ter afirmado que a China tem como alvo os países pobres com “armadilhas da dívida” e “armadilhas de dados”.

Por meio de um comunicado emitido na terça-feira (30), a Embaixada da China no Reino Unido rejeitou as acusações feitas contra Pequim de que o país asiático busca ativamente envolver as nações mais pobres em “armadilhas da dívida” e rouba dados estratégicos e valiosos desses países.

Segundo a embaixada, o chefe do Serviço Secreto de Inteligência (SIS, na sigla em inglês), Richard Moore, que fez os comentários, era culpado de “propagar fake news e inteligência falsa” sobre a China.

“A verdade é que não há um único país que tenha caído na chamada ‘armadilha da dívida’ como resultado de empréstimos da China”, escreveu um porta-voz da embaixada, que acrescentou que a China não busca interferir nos assuntos internos de outros países, “nem impõe sua própria vontade aos outros ou busca quaisquer benefícios políticos”.

A embaixada pressionou o Reino Unido a corrigir seus erros e “cessar seus ataques infundados contra a China”.

Na terça-feira (30), em seu primeiro discurso público, o chefe da inteligência britânica acusou os serviços de inteligência da China de “operações de espionagem em grande escala” contra o Reino Unido e instou outras nações que desconfiem da suposta ameaça chinesa.

Moore alertou que as nações podem fornecer a Pequim uma porta dos fundos para roubar dados ao aceitar as soluções tecnológicas chinesas. Segundo ele, Pequim “coleta dados de todo o mundo” e, com o tempo, o acesso da China às informações de outros países erodirá suas soberanias.

Conhecido como “C”, Moore disse ao programa Today da BBC Radio 4 que a China também está usando a política econômica para aumentar sua própria influência.

C afirmou que Pequim está usando empréstimos e dívidas para “adquirir portos importantes que têm potencial para se tornarem instalações navais”. Um exemplo desta estratégia seria o porto de Hambantota, no Sri Lanka, que o entregou à China depois de dizer que não poderia arcar com a dívida dos empréstimos contraídos com Pequim para construí-lo.

O chefe do MI6 salientou que muitas das nações mais pobres contraíram dívidas consideráveis com a China. Segundo a mídia de Uganda, por exemplo, a China construiu a estrada mais cara do mundo, ligando as cidades de Entebbe e Kampala. Financiada por empréstimos chineses, a estrada teria custado US$ 9,2 milhões por quilômetro (cerca de R$ 52 milhões).

Refletindo a política das últimas duas décadas de “saída para o mundo” de Pequim, grande parte do trabalho negociado com esses países é realizado por empresas e mão de obra chinesas.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.