Neoliberal

Quem é a esquerda que chegou ao poder no Chile?

Governo Boric é formado por partidos que se adaptaram completamente ao regime burguês e que são apoiados pelos grandes capitalistas e pelo imperialismo.

48309761881 b2e450587c h

Gabriel Boric, uma cara nova para uma política velha no Chile. – Foto: Johanna Zárate P.

O “mais jovem presidente do Chile” se prepara para assumir o cargo com um pacote de demagogia identitária mesclado com garantias de que o neoliberalismo seguirá como norte do governo chileno. Para se ter uma ideia, o presidente do Banco Central do governo Piñera está sendo indicado por Gabriel Boric para o Ministério da Fazenda.

Parte da esquerda brasileira fez festa com a vitória de Boric no Chile. Seria a conclusão eleitoral das gigantescas manifestações populares no país, que se arrastaram contra o governo de Sebastián Piñera mesmo com uma repressão policial violentíssima. O enredo caiu como uma luva para essa esquerda pequeno-burguesa que tem como meio de vida a mendicância eleitoral, servindo para justificar o abandono da campanha Fora Bolsonaro nas ruas para concentrar sua atividade nas promíscuas alianças eleitorais.

O problema dessa fantasia política é que o combustível das manifestações chilenas foi o repúdio da população à política de terra arrasada do neoliberalismo, que teve no Chile um importante laboratório no continente. O povo colocou o problema claramente na palavra de ordem “não são 30 pesos, são 30 anos”, em referência ao aumento da tarifa de metrô que operou como estopim do levante. E Boric não representa uma oposição a essa política, mas uma continuidade do que já foi feito pelo Partido Socialista no país.

Não por acaso, o Diário El Mercurio tem defendido entusiasticamente a integração do PS ao governo Boric. O principal jornal da burguesia chilena faz campanha pela ruptura da Frente Ampla com o Partido Comunista e uma aproximação com o partido supostamente esquerdista que se reveza com a direita na implementação do neoliberalismo pós ditadura Pinochet no Chile. Um paralelo brasileiro com o PS, para se ter um ponto de comparação, seria um PDT ou um PSB na presidência, partidos da burguesia ditos de esquerda.

A afinidade de Boric com esse setor da esquerda chilena explicita o nível da derrota política ocorrida no país, de manifestações que quase derrubaram o governo da direita a esquerda parlamentar conseguiu extrair a continuidade do revezamento eleitoral. Diante da falência dos partidos mais identificados com o regime político, aparece a “nova esquerda” para dar um maquiagem mais esquerdista à mesma política que esmaga o povo chileno há décadas.

Boric consolida suas posições pró imperialistas na América Latina ao indicar inimigos dos governos nacionalistas da região para cargos importantes. É o caso da indicação de Antonia Noguera para a chancelaria chilena, uma aberta opositora dos governos Venezuelano e Nicaraguense, ligada à Organização dos Estados Americanos (OEA).

No cenário econômico, mais neoliberalismo contra o povo. Nas relações internacionais, mais segurança para as intervenções imperialistas contra os governos minimamente independentes do continentes. O que justifica tanta comemoração da esquerda universitária, a não ser esperanças mesquinhas em torno de verbas públicas para uns poucos malandros?

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.