Diretita armando o golpe

Peru alerta para plano de golpe contra Pedro Castillo

Aníbal Torres envolveu "alguns altos escalões" das Forças Armadas que atuam com a oposição peruana nesses movimentos políticos

anibal torres (1)

Aníbal Torres, primeiro-ministro do Peru – Reprodução

ARN – O primeiro-ministro do Peru, Aníbal Torres, denunciou que um setor da oposição peruana quer envolver “algumas altas patentes” das Forças Armadas para “realizar um golpe”. Torres fez esses comentários durante uma reunião do conselho de ministros realizada em Cusco, no sudeste do país. 

O governante liderado por Pedro Castillo lamentou que os blocos de oposição no Congresso estejam “impedindo permanentemente o Executivo” e “sempre buscando mais uma causa para a vacância presidencial”. 

“Mas devo avisar que o plano não termina aí. O plano vai avançar até que um ou mais altos escalões das forças militares concordem em dar o golpe”, declarou. 

Torres fez esses comentários poucas horas depois que um grupo de soldados deixou uma cerimônia na qual o presidente Castillo estava participando. O incidente ocorreu durante uma cerimônia comemorativa de um novo aniversário da libertação de 71 reféns que foram sequestrados pelo Movimento Revolucionário Tupac Amaru (MRTA) na embaixada peruana em 1997. 

Além de questionar esses movimentos dos setores militares, o primeiro-ministro disse que o Peru é dominado pela “insegurança política” e garantiu que “praticamente em todo o país” os cidadãos “pedem o fechamento do Congresso”. “A Constituição indica os mecanismos para o fechamento do Congresso. Deputados, não temos feito uso desse poder para não criar insegurança jurídica, mas de forma equitativa, essa vacância presidencial também deve ser encerrada”, disse Torres.

As contradições entre o Congresso e o Poder Executivo liderado por Castillo são diárias. Nesta sexta-feira, a presidente do Congresso do Peru, Maricarmen Alva, assegurou que o projeto de lei anunciado pelo presidente do país, Pedro Castillo, para uma consulta popular sobre uma nova Constituição não é prioridade para os peruanos. Foi o que disse Alva em uma publicação no Twitter.

“O senhor Castillo esquece que as prioridades do país são a luta contra a insegurança, o desemprego e a corrupção. Não há uma única pesquisa de opinião onde a Constituinte seja uma prioridade para os peruanos”, publicou.

A publicação da deputada ocorre horas depois de Castillo apresentar um projeto de lei ao Congresso para realizar, durante as eleições regionais e municipais, uma consulta popular na qual a população decida se quer uma nova Constituição. Caso o Congresso aprove este projeto de lei, a votação será realizada no dia 2 de outubro nas eleições regionais e municipais. 

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.