Cuba

O que Cuba pode dar aos povos, e já deu, é o seu exemplo

Em 4 de fevereiro de 1962, na Praça da Revolução José Martí, foi endossado por aclamação popular o que viria a ser conhecido como a II Declaração de Havana

fidel (1)

Discurso de Fidel Castro – Reprodução

─ Granma ─ Apenas um dia se passou entre a assinatura sancionadora de Kennedy –da Proclamação Presidencial que formalizou o bloqueio econômico total dos Estados Unidos contra Cuba– e a resposta massiva de um povo de pé que inundou, com mais de um milhão de pessoas, a Praça de a Revolução José Martí, em 4 de fevereiro de 1962.

Assim foi endossada, por aclamação popular, o que ficaria conhecido como a II Declaração de Havana, uma plataforma programática que também respondia a todas as agressões, sabotagens e crimes contra o arquipélago, financiados dos Estados Unidos.

«Vamos resistir em todos os domínios (…); a Pátria não funciona para hoje, a Pátria trabalha para amanhã. E esse amanhã cheio de promessas, ninguém poderá tirar-nos, ninguém poderá impedir-nos, porque com a integridade do nosso povo (…), com a coragem e o heroísmo de nosso povo, vamos conquistá-lo», disse Fidel então.

As manobras para isolar Cuba também foram objeto de denúncia na antecipação política do jovem líder. Nesse mesmo dia, a OEA consumava, em Punta del Este, Uruguai, a expulsão de Cuba daquela organização, com o conselho, sob pressão, dos países do continente, com a honrosa exceção do México.

A Segunda Declaração de Havana reafirmou o caráter socialista e internacionalista do processo político cubano, com ênfase em sua transcendência latino-americana, pois nele são examinadas as raízes históricas dos povos de nosso continente, frente às ações intervencionistas do imperialismo norte-americano.

Precisamente «aos povos da América e do mundo» Fidel dirige as idéias que a Assembléia Geral Nacional aprovaria.

Os imperialistas, afirmou o Comandante-em-Chefe, não temiam pela Revolução Cubana, mas sim pela Revolução Latino-Americana.

«Ao esmagar a Revolução Cubana, acreditam que dissiparão o medo que os atormenta, o espectro da revolução que os ameaça. Ao liquidar a Revolução Cubana, acreditam que liquidarão o espírito revolucionário dos povos. Eles fingem, em seu delírio, que Cuba é um exportador de revoluções». Ao que ele respondeu: «Diante da acusação de que Cuba quer exportar sua Revolução, respondemos: as revoluções não se exportam, são feitas pelo povo. O que Cuba pode dar aos povos, e já deu, é o seu exemplo».

Então, Fidel concluiu com a frase que Che citaria mais tarde nas Nações Unidas: «Porque esta grande humanidade disse Basta! e começou a andar. E sua marcha de gigantes não parará até que conquistem a verdadeira independência, pela qual já morreram mais de uma vez em vão».

Isso tinha acontecido em Cuba; a novíssima Revolução marcava a diferença entre o sacrifício inútil e a emancipação consumada, e segundo esse inspirador exemplo, Fidel assegurou: «Agora, em todo caso, os quem morrerem, morrerão como os de Cuba, os de Playa Girón, morrerão por sua única, verdadeira e irrenunciável independência!».

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.