Colômbia

O imperialismo no controle do governo Gustavo Petro

Portal diz que o "atlanticismo está de olho nas relações entre Colômbia e Venezuela"

colombia-gustavo-petro-francia-marquez

Gustavo Petro e sua vice identitária, Francia Marquez – Foto: Reprodução

─ Verdade Concreta ─ Em um artigo recente publicado pelo “think tank” Atlantic Council, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) enviou recados indiretos e revelou os seus anseios em torno da posse do novo presidente colombiano Gustavo Petro, uma vez que a Colômbia funciona como uma base de operações norte-americana na América do Sul, justamente por isso o trabalho atlanticista para impedir que o novo governo dê qualquer passo em direção à soberania.

Uma das preocupações levantadas pelo artigo diz respeito à questão da política de combate às drogas na Colômbia, situação em torno da qual se desenrola um complexo jogo político que os norte-americanos exploram para infiltrar-se no sistema político e de segurança da Colômbia através do discurso “antidrogas”, que na verdade é uma porta de entrada para que os ianques promovam as mais variadas manobras de interferência no país.

Historicamente, o discurso de combate ao narcotráfico é utilizado pelos Estados Unidos para intrometer-se na política e na segurança colombiana, o que inclusive coloca o discurso na mão inversa daquilo que materialmente acontece no país, já que os próprios norte-americanos utilizam o país como ponto para produção de drogas que abastecem o mercado consumidor interno nos Estados Unidos.

Uma parte considerável das operações de desestabilização internacional promovidas pela Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA) é bancada pelo dinheiro do negócio das drogas produzidas por eles próprios, como tem ocorrido no Afeganistão nas últimas décadas, sobretudo durante o período de ocupação militar do país, que produzia boa parte da heroína consumida nos mercados europeus.

Outro ponto de preocupação do artigo (e que dá origem ao título do presente texto) diz respeito às relações entre Colômbia e Venezuela, já que Gustavo Petro, como figura da esquerda política colombiana, não pode ter um discurso diferente que não o de aproximação em relação ao governo venezuelano, o que não significa propriamente o avanço de uma unidade regional na América do Sul, já que o conteúdo da aproximação depende do nível de soberania que o governo colombiano buscará.

Diga-se de passagem, Samantha Power, pessoa que está à frente da USAID, organismo ianque voltado para a desestabilização de regimes soberanos no mundo, esteve presente na cerimonia de posse de Petro, o que pode significar não só que o governo já inicia sob a ameaça de instabilidades internas, como também pode ser utilizado como cavalo de troia, através do discurso de aproximação com a Venezuela, para infiltrar instabilidades no país vizinho.

Por fim, preciso destacar que o artigo do Atlantic Council também toca na preocupação em relação aos contratos de exploração de petróleo e gás pelos ianques na Colômbia, o que significa um claro envio de recados, por parte do atlanticismo, de que o novo governo não deve ousar qualquer política soberana sobre os seus recursos energéticos, sobretudo em contexto de crise energética global, movimento esse que é um dos fatores que explicam a pressão norte-americana sobre a Venezuela.

Clique aqui para acessar o artigo citado no texto.

* Os artigos reproduzidos não refletem, necessariamente, as posições deste Diário

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.