Infraestrutura

Nicarágua se aproxima da China e abre caminho para investimentos

Governo nacionalista de esquerda de Daniel Ortega tem o apoio da China e aumenta enfrentamento com o imperialismo

image processing20220111 17965 rzi1lz (1)

Foto do porto de Mombasa, no Quênia, uma das obras que recebeu recursos chineses por meio da Nova Rota da Sena. – Reprodução

─ Brasil de Fato ─ A China enviou uma delegação para acompanhar a posse do novo mandato presidencial de Daniel Ortega em Mánagua nesta segunda-feira (10) e aprofundar o relacionamento com a ilha caribenha. A relação diplomática e comercial entre os dois países ganhou um impulso com a decisão da chancelaria nicaraguense de deixar de reconhecer a independência de Taiwan.

Enquanto Taiwan afirma ser um país independente, a China diz que a ilha é parte de seu território e o presidente chinês Xi Jinping afirma que apoiar a independência do território que considera rebelde é “brincar com fogo”.

Em dezembro, a Nicarágua decidiu cortar laços com Taiwan, que reconhecia como país independente desde 1990, e a embaixada chinesa em Manágua foi reaberta no primeiro dia de 2022.

Em entrevista para a agência estatal chinesa de comunicação Xinhua, a enviada especial de Xi, Cao Jianming, elogiou a decisão do país centro-americano de romper com Taiwan e destacou que os laços bilaterais dos dois países avançaram. Pequim também irá doar um milhão de vacinas contra covid-19 ao país da América Central.

Ortega reuniu-se com a delegação chinesa e foram assinados acordos diplomáticos. Embora não existam muitas informações sobre os termos dos tratados, Ortega destacou o interesse de seu país em participar da “Nova Rota da Seda”.

Em outra reunião, desta vez realizada de maneira remota, o vice-ministro de comércio da China, Yu Jianhua, afirmou que Pequim deve fortalecer os investimentos em infraestrutura na Nicarágua sob as diretrizes da “Rota”.

Também chamada de “Um Cinturão, Uma Rota”, a “Nova Rota da Seda” é um projeto prioritário da diplomacia chinesa lançado em 2013 com o objetivo de investir bilhões em projetos de infraestrutura como portos, estradas, ferrovias, redes de telecomunicações e aeroportos em dezenas de países. Entre janeiro e julho de 2021, Pequim investiu US$ 11,29 bilhões, cerca de R$ 63 bilhões, em projetos em 56 países diferentes.

Em entrevista ao Global Times, um representante da China Railway Construction Corporation disse ter planos de investir na Nicarágua. 

Um dos possíveis projetos para a Nicarágua pode ser a criação de um novo canal para ligar os Oceanos Atlântico e Pacífico. Ainda de acordo com o Global Times, este novo canal teria quatro vezes o comprimento do Canal do Panamá e um traçado foi aprovado pelas autoridades locais em 2014, mas o projeto ainda não saiu do papel.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.