Entreguismo

Gustavo Petro e a esquerda que quer uma Amazônia nas mãos dos EUA

Presidente eleito da Colômbia indicou que defende a "internacionalização" da Amazônia, que significa entregar a região para o controle do imperialismo.

52272982309_d2c81f655a_c

Presidente colombiano, Gustavo Petro, em encontro com o Secretário-Geral Adjunto da Organização dos Estados Americanos (OEA) no último domingo. – Foto: Flickr/ OEA – OAS/ CC BY-NC-ND 2.0.

As relações de toda a chamada “nova esquerda” latino americana com o imperialismo norte-americano explicitam o caráter farsesco dessa operação política. Depois de Gabriel Boric no Chile, o recém-empossado Gustavo Petro vem mostrando ser mais um político dessa safra, por um lado oferecendo alguma política social diante do panorama desolador em ambos os países, mas mantendo o dócil servilismo ao imperialismo. Uma receita que já vem se mostrando insustentável no Chile em menos de um ano de governo.

Se o contraste dentro da esquerda de Boric no Chile era com o movimento popular nas ruas, o de Petro é com a esquerda real do país, a esquerda armada, clandestina, nesse país que é uma ditadura, uma base do imperialismo para assediar o continente. Após uma tentativa de acordo de paz, com as FARC depondo armas e ingressando na política eleitoral, seus membros passaram a ser sistematicamente assassinados. Em seu discurso de posse, Petro não propôs uma reforma nas Forças Armadas da Colômbia, mas pequenos benefícios judiciais aos “criminosos” guerrilheiros.

Demonstrando um alinhamento milimétrico com a atual cabeça da USAID, Samantha Power, o presidente colombiano defendeu no seu discurso de posse a criação de um fundo internacional para “salvar a Floresta Amazônica”. Em passagem pelo país nos últimos dias, Power expressou satisfação na continuação da “colaboração” entre Colômbia e Estados Unidos nas seguintes áreas: mudanças climáticas, igualdade racial e étnica, direitos humanos e estado de direito. Uma mescla das tradicionais bandeiras do imperialismo em torno da “democracia” com os embustes modernos, como o identitarismo e o intervencionismo ambientalista.

O fato de Petro ter dedicado espaço no seu primeiro discurso como presidente para trazer o capital estrangeiro para dentro da Amazônia pode parecer deslocada diante de uma população empobrecida, afinal, como afirmado pelo próprio, sua prioridade será o combate à fome. Coincidência ou não, os grupos guerrilheiros colombianos se refugiam justamente nas florestas do país. Perseguidos impiedosamente pelo imperialismo norte-americano, a esquerda colombiana terá contra si outro poderoso inimigo, a demagogia ambientalista.

Além de esmagar a oposição à farsesca democracia na Colômbia, o imperialismo sinaliza um avanço em direção aos muito cobiçados e gigantescos territórios da Amazônia, cuja maior parte se encontra no Brasil. Não apenas pelo enorme potencial científico por conta da rara biodiversidade, mas pela tradicional exploração de recursos minerais e até petróleo. Um interesse concreto que contrasta radicalmente com a propaganda ambientalista de “proteção da floresta”.

A esquerda que não está no bolso do imperialismo tem o dever de denunciar essa manobra traiçoeira dos “novo-esquerdistas”, expondo que não passam de uma direita travestida de popular. A Amazônia não é um patrimônio “da humanidade”, o que significa na prática ser um patrimônio privado da burguesia imperialista, mas um patrimônio do povo dos países da América do Sul, onde ela se encontra. A Amazônia é nossa e não das aves de rapina dos países imperialistas, aqueles que mantém a população mundial na miséria. Abaixo os funcionários do imperialismo na América do Sul! Abaixo a esquerda identitária “Made in USA”!

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.