Sanções e congelamento de bens

Talibã denuncia EUA por devastar a economia afegã

EUA deixaram o país em ruínas e agora sufocam afegãos com sanções econômicas

20251812 0 210 2895 1838 1920x0 80 0 0 5f4b3908b4d7c2a28ab6fa0fde9b4d7a.jpg

Economia Talibã – Reuters / Zorha Bemsra

Sputnik News – https://br.sputniknews.com/20211124/sistema-bancario-do-afeganistao-ja-entrou-em-colapso-diz-ex-vice-presidente-afegao-20251837.html

O setor bancário do Afeganistão já entrou em colapso, disse o primeiro vice-presidente do anterior governo afegão, Amrullah Saleh, que se declarou presidente interino após o Talibã (organização sob sanções da ONU por atividade terrorista) chegar ao poder no país.

Após um relatório da Organização das Nações Unidas sobre possível colapso do sistema bancário afegão, Saleh revelou que ele já entrou em colapso. Em sua mensagem no Twitter na quinta-feira (24), Saleh mencionou a ausência de profissionais e diretores executivos no setor bancário afegão.

“Os bancos privados estão com zero depósitos, renda de juros é zero, recuperação de empréstimos é impossível, profissionais, diretores executivos e proprietários saíram e o Banco do Afeganistão é um boneco”, escreveu Saleh.

Descongelamento das contas bancárias do Afeganistão

Enquanto isso, hoje (24) o porta-voz do Talibã, Suhail Shaheen, disse à Sputnik que o movimento tem vontade de discutir com os Estados Unidos o reconhecimento do governo provisório dos islamistas, a participação dos EUA na recuperação do Afeganistão e o descongelamento das contas bancárias do país durante uma reunião em Doha.

Shaheen sublinhou que as sanções e a recusa dos EUA em descongelarem as contas afegãs ameaçam agravar a situação humanitária no país.

“Devido ao congelamento desse dinheiro, nosso povo enfrenta […] problemas humanitários […] As sanções impostas pelos EUA e outros países contra o povo afegão levam à deterioração […] da situação humanitária no país e têm efeitos negativos sobre as pessoas”, segundo Shaheen.

Na segunda-feira (22), a ONU advertiu que o sistema bancário do Afeganistão poderá colapsar em breve porque a saída abrupta de todo o apoio ao desenvolvimento no país, depois que o Talibã assumiu o poder em 15 de agosto, levou a uma queda vertiginosa da economia afegã.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.