Menu da Rede

Brasil tem recorde de endividados em 2021

  • Capa
  • Política
  • Popularidade de Bolsonaro é a menor desde o início do mandato

Menos de 20%

Popularidade de Bolsonaro é a menor desde o início do mandato

Lula é o único que consegue vencer o fascista e toda a direita nas eleições

Impopular – Reprodução

Receba o DCO no Email

A aprovação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) despencou e atingiu seu pior nível desde o início do mandato. As informações são de pesquisa do Atlas em parceria com o jornal Valor Econômico divulgada nesta segunda-feira (29).

O levantamento aponta que apenas 19% avaliam a gestão do governo federal positivamente, pior índice já registrado desde o início da série histórica, no primeiro mês de mandato de Bolsonaro, em janeiro de 2019.

::: 7 coisas que você precisa saber antes de ler uma pesquisa eleitoral de 2022 :::

Na pesquisa anterior, realizada em setembro deste ano, o índice de avaliações positivas era de 24%. Em maio, eram 31%. Desde então, a popularidade de Bolsonaro caiu de forma consecutiva nos estudos, feitos a cada dois meses.

A desaprovação, por sua vez, se manteve em 60% e outros 20% passaram a ver o desempenho do governo como regular, o grupo intermediário somava 14% no último levantamento.

Quando questionados sobre o maior problema do Brasil atualmente, 21,4% dos entrevistados marcaram a corrupção e 19,3% disseram que era a pobreza e a desigualdade social. Inflação e alta nos preços aparecem logo em seguida, com 16,7% das citações.

Desemprego e falta de crescimento também tiveram lugar de destaque nos problemas indicados pela população, com 6,8% e 6,5% das citações, respectivamente.

::: Bolsonaro derrete, Moro não decola e Lula segue líder: leia as pesquisas eleitorais da semana :::

A desaprovação a Bolsonaro também chegou ao maior patamar registrado, 65% dos entrevistados disseram que desaprovam o trabalho individual do ex-capitão. O número é o mesmo registrado em maio do ano passado, quando chegou a pior avaliação até então.

A pesquisa Atlas entrevistou 4.921 pessoas de forma on-line entre os dias 23 e 26 de novembro. A margem de erro é de um ponto percentual e o índice de confiança é de 95%.

PoderData também mostrou aprovação em mínima histórica

O derretimento de Bolsonaro também foi captado por pesquisa do PoderData divulgado na semana passada. O estudo mostra que a parcela da população que considera o trabalho do presidente “ótimo” ou “bom” foi à mínima histórica e chegou a 22%. A oscilação negativa foi de 2 pontos percentuais em relação ao levantamento realizado 15 dias antes.

Os números da avaliação do trabalho de Bolsonaro colocam o presidente em seu pior saldo desde abril de 2020, quando começou a série histórica do PoderData. A diferença entre os que acham o chefe do Executivo “ótimo” ou “bom” e “ruim” ou “péssimo” é agora de 35 pontos percentuais. Na última rodada, era de 33.

::: Lula dispara, ultrapassa Bolsonaro e venceria em todos os cenários, aponta Paraná Pesquisas :::

Bolsonaro derrete, Moro não decola e Lula segue líder

A divulgação de três pesquisas eleitorais agitou a semana passada na corrida pela disputa da Presidência da República em 2022. Os levantamentos feitos por Paraná Pesquisas, PoderData e Ipespe apontaram a consolidação de Lula na dianteira e a tendência de queda de Bolsonaro.

Os estudos mostram que o ex-ministro da Justiça e ex-juiz da Operação Lava Jato Sergio Moro (Podemos) ainda disputa a terceira colocação com Ciro Gomes (PDT). O resultado indica, contudo, que os dois seguem consideravelmente distantes de Lula e Bolsonaro na preferência do eleitorado.

::: Marcelo Freixo lidera pesquisa de intenção de voto para o governo do Rio de Janeiro :::

Na segunda-feira (22), o Paraná Pesquisas, único instituto que ainda mostrava Lula em situação de empate técnico com Bolsonaro, divulgou novo estudo com o petista à frente do atual mandatário, com mais de 5 pontos percentuais de vantagem. O petista varia de 34,9% a 35,8% e Bolsonaro, de 29,2% a 30,1%.

O estudo anterior, realizado em junho, mostrava a tendência de crescimento de Lula, mas não havia captado a ultrapassagem do petista em relação a Bolsonaro, detectada posteriormente por DataFolha, PoderData e Ipec. Em junho, Lula marcava 34,6% e o atual presidente, 36,9%. Moro, testado pela primeira vez pelo Paraná Pesquisas, teve 10,7%.

A tendência foi confirmada pelos novos resultados divulgados pelo PoderData na quinta-feira (25) e pelo Ipespe nesta sexta-feira (26). A divisão de estudos do Poder360 mostrou estabilidade em relação ao levantamento feito no final de outubro, com Lula entre 34% e 36% e Bolsonaro, 27% a 30%.

Há um mês, Moro variava de 7% a 8%. Desde então, o ex-juiz filiou-se ao Podemos, fez um ato de campanha em Brasília e teve intensa cobertura dos principais veículos de imprensa. A estratégia, contudo, ainda não deu resultados. O PoderData mostra, agora, que ele segue estacionado com 8% em qualquer cenário, ainda empatado tecnicamente com Ciro (7% a 9%).

Na pesquisa do Ipespe, nenhum candidato variou acima da margem de erro (3,2 pontos percentuais). Moro oscilou três pontos positivamente, de 8% para 11%, e Bolsonaro, negativamente, de 28% para 25%.

No segundo turno, dois dos três levantamentos apontaram que o lava-jatista é o candidato que mais se aproxima de Lula. A vitória do petista sobre Moro é por 51% a 34%, segundo o Ipespe, e por 48% a 31%, de acordo com o PoderData.

Edição: Vivian Virissimo

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.