Menu da Rede

Com 4 campões Brasil chega a domínio histórico no UFC

Prévias do PSDB

Máfia de Doria derrota gângsteres de Eduardo Leite

Depois de ataques hacker, bloqueio da votação no exterior e muito rolo, governador de São Paulo foi escolhido como candidato presidencial

Leite aplaude Doria – Foto: Reprodução/CNN

Receba o DCO no Email

Depois de muita enrolação, o PSDB finalmente anunciou quem irá concorrer às eleições presidenciais de 2022 pela sigla. O governador de São Paulo João Doria, em campanha há, pelo menos, um ano e meio, quando teve início a pandemia de coronavírus, derrotou Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul que é mais lembrado por ter se assumido gay do que qualquer outro feito. Doria obteve 53,99% dos votos, contra 44,66% conquistados pelo gaúcho. Arthur Virgílio Neto, candidato “café com leite” das prévias, ficou em 1,35%.

Formalmente, Doria ainda não poderá ser chamado de “candidato”, uma vez que a antidemocrática legislação do TSE não permite. Seu nome ainda terá de ser confirmado em Convenção Nacional e registrado na Justiça Eleitoral alguns meses antes das eleições. No entanto, a definição, já em 2021, é um problema central na situação política. O PSDB é o partido mais importante da burguesia brasileira e terá, a partir de agora, quase um ano para tentar viabilizar o seu candidato.

Essa foi a primeira vez que o PSDB realizou prévias para a escolha de um candidato presidencial. O presidente da sigla, o pernambucano Bruno Araújo, chegou a dizer que se tratava do “maior processo democrático da história de um partido político na escolha de um candidato à presidência da República”. O mais espalhafatoso, talvez tenha sido. Mas dizer que foi minimamente democrático é uma verdadeira piada.

A decisão de realizar prévias se deu, por um lado, para que o PSDB antecipasse a sua campanha eleitoral, tendo sua cobertura feita pela Rede Globo de Televisão, e, por outro, porque a burguesia estava muito dividida em relação ao processo eleitoral. Qual a diferença entre Eduardo Leite e João Doria? A princípio, nenhum: são dois delinquentes políticos, privatizadores e genocidas. No entanto, o grande impasse pouco tinha a ver com as características individuais de cada um deles, e sim a incerteza diante das condições em que o fascista Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula chegariam às eleições.

Um setor do PSDB, do qual Aécio Neves é a principal expressão, queria que o partido entrasse em um acordo com Bolsonaro logo no primeiro turno. Para esse setor, o ideal seria uma candidatura que fosse facilmente dissolvida, caso o partido decidisse abrir mão da própria candidatura para favorecer Bolsonaro. Outro setor, no entanto, do qual Doria é a principal expressão, tinha verdadeiras intenções em concorrer à presidência da República, apoiando-se no aparato estatal sob controle do PSDB, na demagogia identitária e nas relações com os setores mais importantes do imperialismo.

Essa divisão acabou dando lugar a uma briga de enormes proporções, que o PSDB não conseguiu varrer para debaixo do tapete. Os discursos de “unidade” logo deram lugar às trocas de acusações entre um candidato e outro. O ponto mais crítico, no entanto, foram as discussões sobre o processo eleitoral em si. Doria, sentindo-se ameaçado pela máfia que apoiava Eduardo Leite, passou a defender o voto impresso contra o voto eletrônico. Seria, então, uma confissão de que a urna eletrônica é uma fraude?

Os gângsteres de João Doria não conseguiram impedir que o sistema de votação fosse aquele defendido por Eduardo Leite. O gaúcho, no entanto, não levou a melhor. As negociatas por baixo dos panos — aquelas que nunca reles mortais, como você, leitor, e a redação deste Diário, terão acesso — inverteram a situação e deram uma vantagem a João Doria. Eduardo Leite tentou adiar a votação, mas não conseguiu.

Ontem (27), no dia da votação, a briga de gangues continuou. Apenas pela manhã, técnicos identificaram nada menos que 26 mil tentativas de acesso ao aplicativo oriundas de outros países e acabaram bloqueando os acessos do exterior. Ao final da votação, foram identificadas 30 milhões de tentativas de ataque hacker. E quem garante que nenhuma foi bem sucedida?

A votação das prévias do PSDB segue a tradição de toda votação na qual o PSDB está metido. Nas eleições de 2018, que elegeu João Doria, a apuração misteriosamente parou durante um longo período. A burguesia estava profundamente dividida ali, entre o apoio ao PSDB e ao então governador Márcio França. No fim das contas, a máfia de João Doria venceu a queda de braço nas negociações e garantiu a vitória quando a apuração foi retomada.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.