Menu da Rede

enem 1 (1)

Principais vestibulares têm grande queda de inscrições

Pandemia

20 países restringem entrada de brasileiros

Epicentro da pandemia, brasileiros são impedidos de viajar para 20 países

Genocídio – Reprodução

Receba o DCO no Email

Por Brasil de Fato

O Brasil é o segundo epicentro da pandemia de covid-19 no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, segundo dados do Our World In Data. Com isso, de 33 países listados pelo Ministério da Saúde até o dia 26 de abril, 20 deles estabeleceram algum tipo de restrição específica à entrada de brasileiros, desde a quarentena obrigatória de 14 dias ao chegar no país até a expressa proibição de entrada.

Artigos Relacionados

Veja a lista:

Estados Unidos

Nos Estados Unidos, por exemplo, está proibida a entrada de estrangeiros que estiveram no Brasil nos 14 dias anteriores à viagem. O impedimento, no entanto, não se aplica aos cidadãos estadunidenses, residentes permanentes e portadores de vistos diplomáticos e oficiais. Todos devem apresentar um teste PCR negativo realizado dentro de três dias após a viagem.

Canadá

Não só para brasileiros, mas está proibida a entrada de estrangeiros no Canadá para turismo, recreação e entretenimento para todos, independentemente de procedência ou nacionalidade. 

Em outros casos, como residentes, os passageiros devem apresentar resultado negativo de teste PCR realizado no máximo há 72 horas antes do embarque para o país. Ao chegarem no Canadá, devem realizar outro teste e cumprir a quarentena, mesmo aqueles que testaram negativo para a doença 

Alemanha

Os passageiros provenientes do Brasil estão proibidos de ingressar na Alemanha em qualquer tipo de situação.

Espanha

Também para a Espanha estão proibidos todos os voos provenientes do Brasil, com ou sem escalas. Está permitida a entrada somente de voos humanitários, de repatriação, de carga, de transporte de médicos, de emergência, de aeronaves de Estado e de serviços de busca e salvamento.

França

Podem entrar na França somente nacionais franceses, seus cônjuges e filhos e nacionais da União europeia ou de outro país que tenham sua residência principal na França. Ainda assim, todos devem apresentar uma lista de motivos para a viagem, bem como um teste PCR negativo de menos de 72 horas acompanhado de teste antigênico negativo de menos de 24 horas, além de um novo teste antigênico na saída do aeroporto.

Os passageiros provenientes do Brasil estão sujeitos à quarentena de 10 dias.

Itália

Os passageiros que estiveram no Brasil nos 14 dias anteriores à viagem estão proibidos de entrar no Brasil. As exceções se aplicam aos residentes, agentes diplomáticos e pessoas autorizadas pelo Ministério da Saúde italiano com base em “inderrogável motivo de necessidade”.

Portugal

Passageiros que partiram ou passaram pelo Brasil nos 14 dias anteriores à viagem são obrigados a fazer um isolamento de 14 dias.

Reino Unido

Os voos diretos do Brasil para o Reino Unido estão suspensos. Pessoas que passaram pelo país nos últimos 10 dias devem cumprir uma quarentena de 10 dias em um hotel designado pelas autoridades britânicas, além dos testes no segundo e oitavo dia de isolamento.

Suíça

Passageiros provenientes ou que estiveram no Brasil nos 10 dias anteriores à viagem devem cumprir a quarentena de 10 dias e apresentar um teste rápido, com resultado negativo, feito em até 24 horas antes da viagem.

Turquia

Assim como no Reino Unido, voos do Brasil estão proibidos, apenas os de carga e humanitários são permitidos. As pessoas que passaram pelo Brasil nos últimos 10 dias anteriores à partida devem cumprir a quarentena de 14 dias nas instalações indicadas pelo próprio governo. Também devem realizar um teste PCR no décimo dia de isolamento.

Países Baixos

Os Países Baixos também proíbem voos provenientes do Brasil, com exceção daqueles de carga, com profissionais de saúde, pacientes em tratamento médico e profissionais do setor da aviação que estejam viajando a trabalho.

Argentina

Estão suspensos os voos do Brasil, assim como de outros países, como Chile, México e Reino Unido. Todos aqueles não residentes na Argentina também estão proibidos de entrar no país.

Bolívia

O país fechou temporariamente as fronteiras com o Brasil. 

Chile

Segue a mesma política da Argentina e mantém as fronteiras fechadas desde o dia 5 de abril. As exceções são apenas devido a motivos humanitários. Ainda assim, neste caso, os passageiros devem apresentar um PCR negativo realizado em até 72 horas antes do embarque e cumprir quarentena de 11 dias.

Colômbia

Os voos provenientes do Brasil estão suspensos, com ou sem escala, com exceção aos de carga e de Estado. Os passageiros que estiveram no Brasil nas duas semanas anteriores à partida também não podem entrar na Colômbia sem autorização prévia.

Peru 

Os voos de passageiros do Brasil se encontram suspensos. Assim, aqueles que iniciaram a viagem ou passaram pelo país nos últimos 14 dias estão proibidos de entrar no país.

Guatemala

Está limitada a entrada de passageiros provenientes ou que passaram pelo Brasil nos últimos 14 dias, com exceção a guatemaltecos; estrangeiros com residência permanente na Guatemala; funcionários do corpo diplomático acreditados no país e tripulantes de avião.

Austrália 

A Austrália mantém desde o início da pandemia as fronteiras fechadas para o Brasil. 

Marrocos

O país proibiu, ainda em janeiro deste ano, a entrada de qualquer avião ou passageiro proveniente do Brasil. 

Coreia do Sul

Os brasileiros são obrigados a realizar um teste PCR logo após o desembarque, mesmo quando for apresentado um resultado negativo no momento do embarque, também obrigatório. 

Pandemia no Brasil

O Brasil atingiu níveis estáveis de óbitos e casos diários por covid-19, mas em patamares extremamente elevados. Abril é o mês com mais mortes desde o início da pandemia. 

Na última terça-feira (28), o país registrou 3.086 mortes em 24 horas, de acordo com o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass). O Brasil totaliza 395.022 mortos desde que a pandemia teve início, em março de 2020. Também foram contabilizados 72.140 novos casos nas últimas 24 horas.

Entre os especialistas, há o receio de que o país chegue a 600 mil mortes até a metade de 2021 se seguir nos mesmos patamares diários. Desde o primeiro óbito registrado no país, no dia 12 de março, até o dia 31 de dezembro de 2020, o Brasil contabilizou 194.949 mortes. Neste ano, já são 196.987.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.