Menu da Rede

Bolsonaro lança Programa Habitacional: Minha Casa, Minha Milícia

  • Capa
  • Política
  • Mais uma propaganda eleitoral do PSDB para “combater” Bolsonaro

Farsa política

Mais uma propaganda eleitoral do PSDB para “combater” Bolsonaro

PSDB e esquerda pequeno-burguesa querem ressuscitar o bolsonarista Bruno Covas para combater Bolsonaro em favor de uma terceira via.

Ressuscitar a “memória” de Bruno Covas para levantar Doria. – Foto: Reprodução

Receba o DCO no Email

Quando o fascista Jair Bolsonaro criticou Bruno Covas (PSDB) dizendo que o falecido prefeito, a quem ele chama de “o outro, que morreu”, havia fechado São Paulo e ido assistir ao jogo entre Palmeiras e Santos, no Maracanã, o filho do prefeito revidou o presidente em defesa do pai: “covarde que nunca saberá o que é o amor”, disse Tomás Covas.

Deixando de lado a “falta de amor” do falecido prefeito da maior cidade do País durante sua carreira política na capital paulista, a esquerda pequeno-burguesa e todo o partido golpista da Social Democracia do Brasil (PSDB) aproveitaram a situação e saíram para fazer propaganda de um dos partidos mais nefastos da história do Brasil. Criado com o falso ar de progressista, o PSDB nos anos 90 e início dos anos 2000, sob o governo do neoliberal Fernando Henrique Cardoso, entregou boa parte do patrimônio nacional, como a Companhia Vale do Rio Doce, importante e rentável empresa de minério de ferro, a Telebrás, outra grande empresa estatal das telecomunicações e a Eletropaulo, cujo comprador recebeu um financiamento de 100%, dentre outros absurdos, roubo mesmo, contra as maiores riquezas do povo brasileiro.

Essas e outras empresas foram vendidas a preço de banana. A quantia arrecadada no período de privatizações, uma bagatela em torno de R$ 78 bilhões, poderia ser alcançada em poucos anos se as empresas ficassem em mãos dos brasileiros. A política privatista aprofundada pelo PSDB é uma covardia, um roubo, uma traição a toda nação brasileira e poderíamos dizer – por que não? – falta de amor ao povo brasileiro e muito amor aos capitalistas estrangeiros.

A esquerda pequeno-burguesa, a exemplo do deputado Marcelo Freixo (PSB), que já sacrificou sua candidatura à prefeitura do Rio de Janeiro em favor de Eduardo Paes, do DEM, partido golpista e filhote da ditadura, na ânsia de atacar a descortesia de Bolsonaro com o falecido Bruno Covas, acabou defendendo quem ele gosta de defender, o PSDB e a frente ampla. “Quero manifestar minha solidariedade à família do Bruno Covas, que ao contrário de Bolsonaro sempre foi um homem digno. As ofensas grotescas do presidente jamais estarão à altura da memória do Bruno”, disse Freixo, que não perdeu a oportunidade de exaltar o prefeito que muito mal fez à população paulista, um político que em vida não teria moral para criticar Bolsonaro – presidente que ele mesmo e seu partido ajudaram a eleger -, pois ambos cometeram covardia, maldade e muita indignidade contra a população.

Na mesma linha de Freixo, querendo mais exaltar a “memória” de Covas do que de fato combater Bolsonaro na raiz do problema, Orlando Silva, cujo partido, PCdoB, vem vergonhosamente atuando para infiltrar o PSDB nas manifestações, disse que “o fracasso das manifestações de domingo subiu à cabeça de Bolsonaro. Desesperado, apareceu no cercadinho, onde o gado diminui a cada dia, para ofender a memória do prefeito Bruno Covas, que enfrentou uma doença letal com uma dignidade que jamais o presidente terá. COVARDE”. Essas são as atitudes da esquerda que embarca na campanha em prol do PSDB sob o pretexto de atacar Bolsonaro. Agindo assim, a esquerda torna-se uma aliada e propagandista da direita.

As baixarias do presidente golpista Bolsonaro são comuns a todos. Mas atacar Bolsonaro para exaltar a memória de quem fez muito mal para o povo paulista só favorece a campanha oportunista do PSDB para ajudá-lo a alavancar uma terceira via para disputar com Bolsonaro quem será o candidato da direita, contra o favorito Lula.

O desmonte promovido por Bruno Covas

Durante a pandemia do coronavírus, com desemprego e pobreza em alta, o prefeito Bruno Covas, o “digno”, na visão da esquerda frente ampla, cortou serviços sociais essenciais como a alimentação de pessoas carentes da cidade. Junto com João Doria, o “científico”, Covas acabou com a gratuidade dos transportes públicos para idosos, faixa etária bastante vulnerável nesse momento de pandemia; e demitiu ainda vários profissionais de saúde em pleno pico de contaminação. A prefeitura, em parceria com restaurantes, distribuía 7.500 refeições no centro da cidade. Covas reduziu drasticamente a quantidade, numa covardia e falta de dignidade semelhante à de Bolsonaro.

A política de desmonte social aplicada por Bruno Covas prejudicou a população mais carente numa cidade em calamidade social. Segundo o Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, os governos Doria e Covas reduziram R$ 63,5 milhões no orçamento da pasta de Assistência Social.

A Frente Municipal em Defesa do SUS (Sistema Único de Assistência Social), em levantamento do órgão, informou que os governos Doria e Covas eliminaram 60 serviços de atenção básica, fechando mais de 15 mil vagas de atendimento em serviços essenciais à população em vulnerabilidade, incluindo o atendimento de muitas crianças.

Bolsonaro, Doria, Covas, dente outros, são políticos a serviço do imperialismo e da burguesia nefasta que comanda o Brasil, todos covardes e indignos, pois só atacam e maltratam a população brasileira. Se a burguesia chamar esses golpistas para apoiar Bolsonaro e atacar Lula novamente nas eleições eles estarão à disposição para tal manobra política.

Não convém a ninguém celebrar a morte de nenhum cidadão, mas exaltar a memória de um político covarde e indigno para o povo, querer torná-lo santo porque morreu, para atacar e fingir combater um outro político da mesma classe política- a burguesia entreguista e golpista-, é esconder a verdade e continuar preparando golpes contra a expropriada população brasileira.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.