Menu da Rede

Forças Aeroespaciais russas destroem mercenários da OTAN

  • Capa
  • Política
  • Mafiosos do PSDB se preparam para encabeçar a terceira via

Fim das prévias

Mafiosos do PSDB se preparam para encabeçar a terceira via

João Doria saiu vencedor na disputa com o governador gaúcho Eduardo Leite

Bruno Araújo – Foto: Reprodução

Receba o DCO no Email

Demorou. Mas finalmente o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, anunciou quem será o candidato da legenda à presidência da República em 2022. João Doria, um dos governadores mais odiados da história de São Paulo, obteve  53,99% dos votos e se consagrou como o representante dos tucanos na próxima disputa. O governador Eduardo Leite, seu principal adversário, chegou a 44,66%.

As prévias foram marcadas por uma série de reviravoltas. Doria, a princípio, seria o grande favorito da disputa interna do PSDB. Afinal, é mais conhecido nacionalmente, é um empresário com muitas ligações com o imperialismo e é dono do aparato estatal da porção mais rica e importante do território nacional. Doria conquistou um importante espaço no PSDB em um tempo recorde, desbancando antigos caciques como Geraldo Alckmin.

Eduardo Leite, além de ser governador do Rio Grande do Sul, não tinha muito a oferecer. Tanto que chegou a assumir, ao vivo, na Rede Globo, ser homossexual, apenas para se tornar mais conhecido e conseguir o apoio de um setor mais esquerdista. No entanto, a disputa começou a se tornar muito acirrada por causa do forte apoio que Eduardo Leite estava recebendo. O setor mais fisiológico do PSDB, ligado sobretudo a Aécio Neves, passou a apoiá-lo com o objetivo de facilitar um futuro apoio do partido a Bolsonaro. E “apoio”, em linguagem de mafiosos políticos como Aécio Neves, significa compra de votos, fraude nas eleições e tudo o mais. Coisa que João Doria também não teria nenhum escrúpulo em fazer.

A preocupação de Doria com a capacidade da máfia por trás de Eduardo Leite de roubar as prévias foi tão grande que Doria saiu denunciando o sistema eletrônico de votação. Logo ele, que defendeu com unhas e dentes a urna eletrônica para fazer propaganda eleitoral contra o fascista Jair Bolsonaro… De repente, a situação mudou. Sabe-se lá o que os gângsteres de João Doria fizeram, mas viraram a mesa. Eduardo Leite, que antes estava tão confiante, passou a defender o adiamento das prévias.

O adiamento não aconteceu e, finalmente, Doria foi escolhido. Mas não sei emoção! Apenas pela manhã do sábado (25), técnicos identificaram nada menos que 26 mil tentativas de acesso ao aplicativo de votação oriundas de outros países e acabaram bloqueando os acessos do exterior. Ao final da votação, foram identificadas 30 milhões de tentativas de ataque hacker. E quem garante que nenhuma foi bem sucedida? O fato é que as negociatas por baixo dos panos — aquelas que nunca reles mortais, como você, leitor, e a redação deste Diário, terão acesso — inverteram a situação e deram uma vantagem a João Doria.

Formalmente, Doria ainda não poderá ser chamado de “candidato”, uma vez que a antidemocrática legislação do TSE não permite. Seu nome ainda terá de ser confirmado em Convenção Nacional e registrado na Justiça Eleitoral alguns meses antes das eleições. No entanto, a definição, já em 2021, é um problema central na situação política. O PSDB é o partido mais importante da burguesia brasileira e terá, a partir de agora, quase um ano para tentar viabilizar o seu candidato.

Essa foi a primeira vez que o PSDB realizou prévias para a escolha de um candidato presidencial. O presidente da sigla, o pernambucano Bruno Araújo, chegou a dizer que se tratava do “maior processo democrático da história de um partido político na escolha de um candidato à presidência da República”. O mais espalhafatoso, talvez tenha sido. Mas dizer que foi minimamente democrático é uma verdadeira piada.

A decisão de realizar prévias se deu, por um lado, para que o PSDB antecipasse a sua campanha eleitoral, tendo sua cobertura feita pela Rede Globo de Televisão, e, por outro, porque a burguesia estava muito dividida em relação ao processo eleitoral. Qual a diferença entre Eduardo Leite e João Doria? A princípio, nenhum: são dois delinquentes políticos, privatizadores e genocidas. No entanto, o grande impasse pouco tinha a ver com as características individuais de cada um deles, e sim a incerteza diante das condições em que o fascista Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula chegariam às eleições.

A votação das prévias do PSDB segue a tradição de toda votação na qual o PSDB está metido. Nas eleições de 2018, que elegeu João Doria, a apuração misteriosamente parou durante um longo período. A burguesia estava profundamente dividida ali, entre o apoio ao PSDB e ao então governador Márcio França. No fim das contas, a máfia de João Doria venceu a queda de braço nas negociações e garantiu a vitória quando a apuração foi retomada.

O próprio processo interno, além de ser uma briga entre dois grandes mafiosos, não tem nada de democrático. Para garantir que os interesses da burguesia prevaleçam e que o processo se resuma a uma negociação de bastidores, o voto dos filiados do PSDB não valem de nada. Vigora, no PSDB, um esquema de voto censitário: quem ganha mais, tem o voto com maior peso. Os 1,3 milhões de filiados tucanos têm apenas 25% de peso na votação, o mesmo peso que as 52 pessoas mais importantes no partido têm: governadores, o presidente da sigla e membros do Congresso Nacional.

As prévias foram controladas a mão de ferro pela burguesia. Foram feitas de um jeito em que prevalecessem as negociatas de bastidores — o único jeito, portanto, de garantir que as prévias expressassem um acordo da burguesia em um momento decisivo. A menos de um ano de uma das eleições mais imprevisíveis da história, agora o PSDB terá um ano para demonstrar que é um partido viável.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.