Menu da Rede

maxresdefault

Kiko e Rovai: o chilique em prol da frente ampla

  • Capa
  • Judiciário
  • Os juízes são verdadeiros parasitas do dinheiro público

"Marajás"

Os juízes são verdadeiros parasitas do dinheiro público

Dados do CNJ mostram que o Poder Judiciário pagou R$ 2,4 bilhões a título de indenização a magistrados que não gozaram suas férias.

Os juízes são verdadeiros parasitas, carrascos do povo e acumulam grande poder em suas mãos – Reprodução

Receba o DCO no Email

Dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) mostram que o Poder Judiciário pagou cerca de R$ 2,4 bilhões no período de 4 anos, entre setembro de 2017 a setembro de 2021, a magistrados que “venderam” suas férias. Este montante cobriria por 30 anos o programa de distribuição de absorventes, com custo de R$ 84,5 milhões, e também representa quatro vezes o valor do corte no orçamento da ciência e tecnologia (R$ 600 milhões) por parte do governo ilegítimo e golpista de Jair Bolsonaro (ex-PSL, sem partido).

Os juízes têm direito a 60 dias de férias por ano. Eles podem acumular as férias por um longo período e depois pedir uma indenização financeira por não tê-las gozado. Isto não é considerado ilegal, pois é um direito assegurado na legislação à categoria dos magistrados.

Artigos Relacionados

Neste período de 4 anos, os dados apontam casos de juízes que receberam R$ 1 milhão por férias que não gozaram. Especialistas na área do direito dizem que o recebimento de indenização pelas férias transformou-se uma remuneração acima do teto do funcionalismo público.

Muitos magistrados receberam a indenização referente às férias não tiradas ao longo da carreira no momento da aposentadoria. O Tribunal de Justiça de Tocantins (TJ-TO), por exemplo, gastou mais de R$ 56 milhões com as indenizações.

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT-3) afirmou que o magistrado Rogério Ferreira se aposentou em 2019 e recebeu a quantia de  R$ 511,8 mil. Em dezembro desse ano, houve outro pagamento no valor de  R$ 482, 8 mil. Quando questionado sobre o motivo da segunda verba indenizatória, o TRT não respondeu.
As indenizações pagas pelos tribunais aos juízes não são tributadas e não incidem no Imposto de Renda.

Os juízes são verdadeiros carrascos do povo brasileiro. Além disso, trata-se de uma casta privilegiada encastelada no aparelho de Estado e que desfruta de condições de vida infinitamente superiores às da esmagadora maioria da população.

O salário mínimo atual é de R$ 1.100. Se este valor é insuficiente para cobrir os gastos pessoais de um indivíduo no período de um mês, quiçá os de uma família trabalhadora.  Na atual situação econômica, há muitas notícias sobre amplas parcelas da população comendo ossos, restos de frango e peixe. A “reforma” trabalhista aprovada pelos golpistas, com a cumplicidade do Judiciário, retirou os direitos de férias, legalizou as modalidades mais precarizadas de emprego e estimulou a terceirização.

Enquanto o povo é submetido às piores condições de vida possíveis, os magistrados são privilegiados com salários altos e um leque de privilégios funcionais que os colocam muito acima da quase totalidade dos servidores públicos. Cabe destacar que o Poder Judiciário é responsável pela situação da classe trabalhadora, pois participou ativamente do golpe de Estado de 2016. Juízes também compuseram a Operação Lava Jato e se destacaram nas perseguições políticas por meio de farsas judiciais. A Lava Jato atacou e destruiu setores importantes da economia nacional e lançou no desemprego milhões de brasileiros.

Atualmente o Brasil vive um regime de ditadura judicial. Os magistrados são poderosos, desfrutam de grandes privilégios funcionais e salariais e acumulam um enorme poder em suas mãos, em diversas ocasiões muito superiores ao do próprio presidente da República.

Um cidadão pode ser preso por criticar um juiz. Nos últimos meses, muitas pessoas foram para a cadeia por criticar os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) nas redes sociais, por exemplo. Quando não existe lei para embasar suas arbitrariedades, os próprios magistrados criam através de uma interpretação conveniente da legislação.

Os luxos e privilégios da burocracia do Judiciário são todos bancados com o dinheiro do orçamento público. Trata-se de uma casta parasitária. Somente se torna magistrado um elemento da burguesia ou das frações mais altas da classe média. Não é possível chegar à magistratura um elemento saído da classe operária. Os aspirantes a juízes são preparados por muitos anos, estudam nas melhores escolas particulares e entram na carreira por força dos contatos políticos.

É necessária uma reforma profunda no sistema Judiciário para acabar com essa casta de privilegiados, carrascos e parasitas do povo. Deve-se demolir o Poder Judiciário de cima a baixo e entregar seu controle democrático à classe trabalhadora. Os juízes devem ser eleitos com mandatos revogáveis a qualquer momento. Seus salários devem corresponder ao que ganha o conjunto do povo, sem nenhum tipo de privilégio funcional. O enorme poder que os juízes concentram em suas mãos deve acabar e eles devem se tornar simples executores da vontade popular.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.