Menu da Rede

Acompanhe o Resumo do Dia na COTV

  • Capa
  • Judiciário
  • Caso Sérgio Reis: novo ataque do skinhead de toga

Quem é a ameaça maior?

Caso Sérgio Reis: novo ataque do skinhead de toga

O currículo extenso do atual Ministro do STF contra a população mostra a diferença entre o cachorro que late mas não morde e outro que avança sistematicamente

Alexandre de Moraes cortando pés de maconha na fronteira Brasil e Paraguai – Foto: Reprodução

Receba o DCO no Email

Na manhã dessa sexta-feira (20) a Polícia Federal cumpriu 13 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, autorizados por Alexandre de Moraes. Entre os investigados está o cantor e deputado Sérgio Reis. A ação investiga incitação a atos violentos e ameaçadores contra a democracia. O Ministro do STF foi além, e proibiu o ex-deputado e outros investigados de se aproximarem da Praça dos Três Poderes e dos senadores da República no raio de um quilômetro.

A situação com cantor começou por conta de um áudio vazado – ou não – em que ele diz que vai invadir o Supremo junto a outros apoiadores do governo fraudulento de Bolsonaro. “Dia 8 vamos ao Senado… Eles vão receber um documento assim: vocês têm 72 horas para aprovar o voto impresso e para tirar todos os ministros do STF. Não é um pedido é uma ordem!” (…) E se em 30 dias eles não tirarem aqueles caras, nós vamos invadir quebrar tudo e tirar os caras na marra”.

Artigos Relacionados

O caso seria cômico – já que Sérgio Reis não apresenta ameaça real nenhuma – no entanto, a medida de Moraes torna a questão um verdadeiro perigo. A decisão é totalmente antidemocrática e fere o artigo 5º da Constituição Federal que implica a liberdade de expressão. O ministro também solicitou que o Facebook, Instagram, Twiter e YouTube bloqueiem as contas dos investigados. Se aprovado, será mais um crime do Supremo contra os direitos básicos de todo cidadão. Ninguém deve ser preso ou punido por falar, pensar ou se expressar. E é óbvio que esse tipo de abuso, vindo de instituições da burguesia, se vira rapidamente contra a população trabalhadora e oprimida.

O caso não é muito diferente do deputado de extrema-direita, o também indigente político Daniel Silveira, que foi preso a mando de Moraes por gravar um vídeo criticando e ameaçando o STF. Outra situação bem atual foi a de que, atendendo a um pedido da Polícia Federal, o ministro determinou a prisão do deputado federal Roberto Jefferson. Aliado de primeira hora do presidente ilegítimo Jair Bolsonaro, Roberto Jefferson é também o presidente e principal dirigente do PTB. A prisão dos dois deputados é mais uma que entra para o escopo de prisões “preventivas” e ilegais do regime golpista.

É preciso deixar claro para aqueles “bem pensantes” que este texto não se trata da defesa de um bolsonarista, mas uma defesa clara da liberdade de expressão, que vem sendo atacada cada dia mais por arbítrios de instituições como o STF. O Supremo é composto por 11 pessoas que não foram eleitas por ninguém. São nomes indicados pelo presidente e referendado pelo Congresso. Ou seja, esses ministros não obedecem a nenhuma pressão popular. Diga-se de passagem, Moraes foi colocado na instituição por indicação de ninguém menos que o golpista mor Michel Temer, aquele que tomou de assalto a presidência da República em 2016, através de um golpe de Estado.

Aliás, o ministro tem um passado muito pior e muito mais reacionário e perigoso que o cantor bolsonarista. Ao ver Moraes, a primeira cena que vem à mente é a de julho de 2016, em que o atual ministro aparece como um maluco, cortando pés de maconha na fronteira entre Brasil e Paraguai. Mas sua fama de carniceiro é de antes desse episódio. Em maio, a tropa de choque de Moraes – quando Secretário de Segurança de São Paulo no governo Alckmin –  invadiu o Centro Paula Souza sem mandado judicial e retirou os estudantes violentamente que estavam ocupando ali em protesto contra o escândalo das merendas.

O atual Ministro atacou brutalmente as manifestações com ocupações estudantis dos secundaristas em São Paulo. Eram bombas de gás, spray de pimenta, prisões arbitrárias, violência nua a crua contra estudantes que lutavam contra o regime golpista que até os dias de hoje trabalha para literalmente acabar com a educação no País. Outro fato importante contra as lutas populares no Brasil foi a estreia de blindados israelenses nas mobilizações contra o golpe de Estado sob o governo do PT de Dilma Rousseff. Em 2015, Secretário de Segurança em SP, a Polícia Militar bateu recorde de letalidade contra a população.

Como se pode ver, a semelhança entre Alexandre de Moraes e os skinheads neonazistas não está apenas na ausência total de cabeleira. É muito mais do que isso. As medidas de Moraes e seu histórico como líder da PM de São Paulo mostram que o personagem que procuram apresentar como grande defensor da luta contra os bolsonaristas é mais fascista do que os mesmos.

Enfim, há muito mais o que se preocupar com o Alexandre de Moraes – agora em um alto cargo público sem voto algum – ampliando o Estado de arbítrio, mandando e desmandando à revelia da lei, do que com ameaças de bolsonaristas que falam mas na maioria das vezes não fazem nada. Ao contrário do skinhead togado, que no seu histórico tem uma lista extensa de repressão e arbitrariedades, muitas delas colocadas em prática literalmente.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.