Menu da Rede

foto aline rezende 0007

Vereador fascista invade escola e agride professor em Uberlândia

  • Capa
  • Política
  • Henry Silva quer usar o PCO para dar golpe publicitário

Araraquara (SP)

Henry Silva quer usar o PCO para dar golpe publicitário

O fascista montou uma encenação nas redes sociais em que dizia que tinha perseguido e chamado a PM para militantes do PCO. Contudo, isto jamais aconteceu.

Henry Silva, perseguidor e militante fascista de Araraquara – Reprodução

Receba o DCO no Email

Na manhã da sexta-feira, 8 de outubro, o fascista Henry Silva fez a transmissão ao vivo em seu Facebook “PCO OFENDENDO BOLSONARO e moradores chamei a Polícia Militar mais uma vez para acabar com isso”.

Henry, um militante bolsonarista e desempregado crônico que faz bico como motorista de Uber para sobreviver, dizia na transmissão que havia chamado a Polícia Militar contra militantes do Partido da Causa Operária (PCO) que faziam trabalho político nos bairros de Araraquara pelas campanhas Fora Bolsonaro e Lula Presidente.

É verdadeiro que os militantes do Partido da Causa Operária fazem trabalho cotidiano nos diversos bairros da cidade (Lupo, Vila Xavier, Santa Angelina, Quitandinha, Jd. Universal, Selmi Dei, Centro, Suconasa, Melhado, Jd. Imperador, Uirapuru, Vale do Sol, Martinez, Vila Sedenho, Carmo, Parque São Paulo, Jd. Botânico) e batem de casa em casa para conversar com a população. Inclusive, nesta semana, foi feito um trabalho de venda do Jornal Causa Operária e distribuição de panfletos no bairro operário Maria Luisa, onde se conversou com os moradores e se verificou uma abundância de relatos sobre a deterioração das condições de vida e, acima de tudo, apoio total à campanha Fora Bolsonaro. 

Contudo, especificamente na manhã desta sexta-feira, 8 de outubro, não havia militantes do PCO fazendo trabalho nos bairros de Araraquara, pelo simples motivo de que todos estavam trabalhando. Henry Silva montou uma encenação para se aparecer nas redes sociais. Não é verdade que ele seguiu os militantes e nem que chamou a Polícia Militar. Simplesmente, ele enganou seus seguidores e criou uma situação farsesca para ganhar projeção (política). Basta verificar nas redes sociais que não há foto ou vídeo do suposto ocorrido. Como aprendiz de político burguês, Henry Silva está aprendendo a mentir, falsificar e enganar, em primeiro lugar seus seguidores, tal como Jair Bolsonaro quando diz que não pode fazer nada em relação à inflação dos preços dos combustíveis e alimentos. Falta-lhe muito nessa arte, porém a encenação grotesca demonstra que está no caminho certo.

Não é segredo que Henry Silva aspira subir na vida. Como o “fascismo também é uma carreira”, o motorista de Uber desempregado e também  vítima – ironia da História – da política neoliberal de Jair Bolsonaro, que ele apoia ferozmente, quer um lugar ao sol na burocracia do Estado capitalista. O golpe de publicidade contra seus próprios seguidores tem esse objetivo: dar-lhe projeção e torná-lo apto a conseguir um cargo no Estado por indicação política de algum partido de extrema-direita bolsonarista, seja em Araraquara, São Paulo ou Brasília. Ele quer aparecer como um cruzado na luta contra a esquerda e o comunismo, quer montar um currículo político para conseguir um novo emprego público, já que aparentemente não tem as qualidades para se beneficiar da meritocracia que tanto defende.

Cabe destacar que Henry Silva é parte da escória social capturada pelo fascismo, uma verdadeira “poeira da Humanidade”, aterrorizada e posta para defender os responsáveis pela sua própria miséria. No vídeo-farsa, ele ainda diz que não vai aceitar a campanha Fora Bolsonaro e Lula Presidente na cidade, agindo como se fosse um membro do DOI-CODI ou do DOPS da época da ditadura militar. Falta a Henry os instrumentos dos órgãos de repressão política, como o pau de arara, cadeira do dragão, um porão recheado de sádicos torturadores, estupradores, assassinos e um bom forno para incinerar corpos de militantes de esquerda.  Seus xingamentos e ameaças ao PCO são expressão da sua própria impotência, pois Araraquara se destaca por contínuas mobilizações de rua pelo Fora Bolsonaro.

Dificilmente Henry Silva teria coragem de perseguir os militantes do PCO no bairro Maria Luiza ou em qualquer outro bairro operário, local onde vive a população pobre e esmagada pela opressão capitalista, vítima de todos os tipos de arbitrariedades pelas forças de repressão do Estado. Recentemente, na transmissão “Você sem emprego e bandido com emprego?”, realizada no dia 29 de setembro, Henry atacou o prefeito Edinho Silva (PT) por causa de um programa de reintegração social e emprego para a população carcerária da cidade. Segundo ele, os presos devem trabalhar à força para cobrir seus custos nas penitenciárias, o que significaria transformá-las de vez em campos de concentração e trabalhos forçados, muito similares aos campos de concentração nazistas. Poderia Henry Silva chegar no Maria Luiza e defender para os familiares dos presos que seus entes queridos deveriam ser submetidos a trabalhos forçados?

É preciso que fique claro que a transmissão do dia 8 de outubro não passou de um golpe de publicidade para que o fascista se projete politicamente. Ele quer a famigerada “mamata” no Estado capitalista, tal como seu antecessor, Rodrigo Ribeiro, que se tornou assessor do deputado estadual Douglas Garcia (PTB). Ambos se destacam nos ataques ao governo Edinho Silva e ao Partido dos Trabalhadores e na perseguição sistemática a estudantes, professores e militantes de esquerda da cidade. Pelo que se observa, ser um perseguidor profissional, defender a tortura, trabalhos forçados, a ditadura militar, miséria para o povo e pedir o extermínio da esquerda são atributos muito apreciados para conseguir um cargo no aparelho do Estado pela via da extrema-direita.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.