Menu da Rede

ex ministro sergio moro durante discurso de filiacao ao podemos 0

Moro vai para as eleições com o objetivo de sabotar Lula

  • Capa
  • Política
  • Bolsonaro e direita “civilizada” se unem para vender os Correios

Correios

Bolsonaro e direita “civilizada” se unem para vender os Correios

Projeto de autoria de Gil Cutrim (Republicanos) pretende vender 100% da estatal à capitalistas imperialistas, deixando o povo à beira da miséria

Correios – Foto: Reprodução

Receba o DCO no Email

Na tarde do dia 5 de agosto, quinta-feira, foi aprovado na Câmara dos Deputados o texto-base para a privatização dos Correios. A entrega da estatal que emprega mais de 100 mil trabalhadores foi aprovada por 286 votos a 173.

O projeto é de autoria do deputado Gil Cutrim (Republicanos-MA), que defende a completa privatização da estatal, e, sem surpresa, teve apoio da dita “direita civilizada”, que, portanto, abriu caminhos para um maior esmagamento do povo. Curiosamente, Gil Cutrim (ex-PDT) é aliado de Flávio Dino, atual governador do Maranhão, ex-PCdoB e atual PSB — também conhecido como um dos maiores entusiastas da frente ampla e da aliança com a direita.

O que chama a atenção são os supostos aliados da esquerda contra Bolsonaro: partidos como PSDB, Cidadania, Solidariedade, Avante e PV votaram a favor da privatização, com quase a totalidade de seus deputados mantendo esta posição. Já os aliados que são supostamente parte da esquerda, como PDT e PSB, tiveram pelo menos 3 votos cada de seus deputados a favor da entrega dos Correios.

A política de Paulo Guedes, ministro da economia de Bolsonaro, já visava o entreguismo desde o começo. É a política da burguesia e do imperialismo, uma política de direita que demonstra a sua contradição com a população, que, por sua vez, está prestes a ser esmagada ainda mais.

Os partidos citados acima tiveram destaque nos meios de esquerda por participarem das mobilizações contra o governo Bolsonaro, formando uma suposta oposição que auxiliaria na luta popular. A votação da privatização dos Correios é apenas mais um dos fatos que desmentem essa posição, demonstrando o verdadeiro lado da direita “democrática”, “antifascista” e “científica” — o próprio Diogo Mac Cord, secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, afirmou em julho que o objetivo do governo é privatizar 100% da estatal, mesma posição do relator do texto-base, aliado de Dino, e, portanto, integrante da frente ampla.

A privatização dos Correios irá impactar diretamente seus 100 mil funcionários, assim como suas famílias. Além disso, significará um sucateamento e encarecimento dos serviços, assim como a desagregação das agências pelo mais de 5.000 municípios pelo Brasil afora, dificultando o acesso do povo a esta importante forma de comunicação — a empresa irá virar seus objetivos completamente ao lucro (mesmo que este já exista), desviando seus olhos de seu objetivo principal: atender o povo.

A privatização dos Correios segue pelo mesmo caminho da Eletrobrás e da Petrobrás: estas continuam acontecendo, avançando com o apoio da direita golpista, sem nenhuma aparente oposição. Bolsonaro segue sua política ao lado do chamado “centrão”, sem obstáculos aparentes.

É por esse motivo que a população precisa se mobilizar. Os trabalhadores precisam, com urgência, organizar uma greve com ocupações e paralisação total das atividades para protestar contra esse grande ataque contra si e contra toda a população brasileira. Essa mobilização tem como dia ideal o dia 18 de agosto, quando a mobilização nacional pélo Fora Bolsonaro, assim como a mobilização de diversos trabalhadores de outras categorias, já está sendo organizada.

A esquerda também precisa se mexer. A luta contra as privatizações deve ser uma das pautas principais dos atos. É também necessário romper qualquer tipo de aliança com a direita nos atos, uma vez que, como visto, esta está do lado de Bolsonaro em questões fundamentais. 

A CPI e uma ou outra declaração isolada não definem a posição da direita sobre Bolsonaro. Os direitistas e a imprensa golpista são representantes e porta-vozes da burguesia, e tem como um de seus objetivos no momento estabelecer um caminho para a terceira via que, por sua vez, independente de qual figura específica ocupará essa posição, irá executar a mesma política de Bolsonaro, podendo inclusive o fazer de maneira muito pior, promovendo um maior esmagamento do povo, da esquerda e do país.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.