Menu da Rede

Putin:Ações da Europa no setor de energia é “suicídio econômico”

  • Capa
  • Polêmica
  • PSOL, o partido preferido da imprensa golpista

Números revelam

PSOL, o partido preferido da imprensa golpista

Até mesmo o PSDB fica atrás quando o assunto são os chamegos da imprensa capitalista com o partido de Guilherme Boulos

Capa fictícia da Folha de S.Paulo – Montagem: DCO

Receba o DCO no Email

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) é a legenda que mais recebeu menções positivas do Partido da Imprensa Golpista (PIG) — o conglomerado de imprensa canalha e pró-imperialista que fez toda a propaganda do golpe de Estado e que ajuda a sustentar o governo Bolsonaro. A informação é parte de um levantamento feito pelo Manchetômetro, um portal especializado na cobertura da chamada grande imprensa. O estudo levou em consideração o conteúdo produzido pelo telejornal Jornal Nacional e pelos jornais Folha de S.Paulo, O Estado de S. Paulo, Valor Econômico e O Globo.

A pesquisa não deixa margem para dúvidas. Não trata de quaisquer “menções” ao PSOL — o que já seria muito desproporcional à sua relevância para o regime político — mas sim de menções positivas — em outras palavras, elogios. A mesma máfia que pediu incessantemente a prisão de Lula, que organizou a campanha pelo golpe de 2016, que apoia todas as medidas econômicas da direita e que trata os militantes do MST como terrorista estaria, ao mesmo tempo, promovendo um partido que se diz de esquerda. A quem isso conviria?

Artigos Relacionados

À esquerda, obviamente que não convém. Uma esquerda que é tratada a pão de ló pelos inimigos dos trabalhadores — e que, principalmente, sequer critica essa imprensa — apenas se desmoraliza. Como vai falar que a Globo mente e manipula, que falsifica os números para proteger o governo e que calunia e implanta intrigas para atacar a esquerda, se a mesma Globo está lá, todo dia, pintando o PSOL como a última Coca Cola no deserto?

É óbvio que quem tem a ganhar com isso tudo é a própria imprensa golpista. Por um lado, elogiar um setor da esquerda passa a impressão de que jornais imundos como a Folha de S.Paulo e O Globo — que apoiaram a ditadura militar de 1964-1985 e que apoiam as mais aberrantes ditaduras implantadas pelo imperialismo — são órgãos “plurais”, que promovem diferentes “pontos de vista”. Seriam jornais que mereceriam o dinheiro e o crédito de todos os “brasileiros”, pois seria um jornal de “todos”, comprometido com “a verdade”, “o bem comum” etc., e não um instrumento a serviço de uma classe.

Por outro lado, a promoção de um setor da esquerda serve para cooptar esse setor. Serve para que se acostumem cada vez mais com os privilégios do regime, de tal modo que se tornem completamente dependentes da burguesia. Um político como Guilherme Boulos (PSOL), por exemplo, deve toda a sua carreira à imprensa golpista, principalmente à Folha de S. Paulo e a O Globo. Em nenhum momento de sua trajetória, Boulos procurou ter um jornal próprio, nem um esquema de agitação e propaganda militante. Ou seja, se, em algum momento, a imprensa golpista decidir não mais promover Boulos, sua carreira estará acabada, o que fará com que Boulos, para  manter sua carreira, esteja disposto a qualquer coisa que seus patrões mandarem.

A cooptação de um setor da esquerda por parte da burguesia não é um processo tão fácil, por mais que a classe dominante esbanje meios de corromper qualquer um. Normalmente, a burguesia procura cooptar aquele setor que possua alguma influência sobre a esquerda, mas que não seja verdadeiramente ligado a um movimento de massas, pois tende a ser muito pressionado em um momento de radicalização. A burguesia tem por preferência aqueles setores mais avulsos — essencialmente pequeno-burgueses —, obcecados por uma carreira no funcionalismo público, sem interesses bem definidos, que estejam, portanto, prontos para vender a alma para os capitalistas.

E é por isso que o PIG encontrou no PSOL o partido perfeito para promover. Um partido formado por professores acadêmicos, advogados, que nunca liderou uma greve, nem qualquer movimento importante e que, portanto, estará disposto a defender com unhas e dentes a política do imperialismo.

Basta olhar a história do PSOL, e qualquer um verá, como regra, o apoio ao imperialismo travestido de demagogia pseudo — e bote pseudo nisso — esquerdista.

Apenas para citar alguns exemplos, podemos mencionar as eleições presidenciais de 2006, quando a candidata do PSOL, Heloísa Helena, liderança nacional da campanha contra o direito ao aborto, se refere a Lula como “bandido”, usando a bandeira nacional ao fundo, parecendo uma verdadeira bolsonarista. Ou a campanha “Não vai ter Copa”, em 2014, quando o PSOL se juntou às ONGs financiadas pelo Departamento de Estado norte-americano para desestabilizar o governo do PT.

O principal projeto da imprensa golpista no PSOL agora é, sem dúvidas, promover Guilherme Boulos, cotado hoje a pré-candidato ao governo de São Paulo para dividir o voto de Fernando Haddad (PT). Conforme demonstrado cabalmente por reportagem deste Diário, Boulos é empregado de um instituto dirigido por Leandro Daiello, ex-chefe da Lava Jato, e pelo refundador do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen. Esse instituto ainda possui uma parceria com a think thank Global Americans, que é financiada pela CIA, a agência de inteligência do imperialismo norte-americano.

Figuras como Guilherme Boulos e partidos como o PSOL são exemplos daquilo que vem sendo chamado de “nova esquerda”, da qual o chileno Gabriel Boric é o símbolo. Isto é, uma esquerda desconectada das massas, profundamente imperialista e que usa e abusa da demagogia para atacar o nacionalismo burguês.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.