Menu da Rede

Doria desiste da candidatura à Presidência da República

  • Capa
  • Polêmica
  • Juliano Medeiros comemora o ministério neoliberal de Boric

Oportunismo político

Juliano Medeiros comemora o ministério neoliberal de Boric

Presidente Nacional do PSOL vai à público em sua conta no Twitter comemorar a demagogia identitária que é a composição ministerial de Boric

Juliano Medeiros não passa de um palhaço político – Montagem: DCO

Receba o DCO no Email

A campanha de Gabriel Boric, no Chile, deu o que falar entre a esquerda pequeno-burguesa brasileira. Diversas figuras da política nacional comemoraram aos prantos a vitória do direitista, chegando, de alguma forma, à conclusão de que sua eleição significava uma reversão na conjuntura de forças na América Latina contra o imperialismo. Agora, foi a vez de Juliana Medeiros pagar mico na internet.

Em sua conta no Twitter, o presidente nacional do PSOL comentou sobre a nova composição ministerial de Boric. Àqueles que não acompanharam, Boric anunciou que seus ministérios seriam compostos por maioria feminina, algo que, prontamente, acendeu o aviso identitário dos esquerdistas de todo o mundo.

O melhor – talvez o mais cômico – é que Juliano vai além e reforça sua posição em resposta à outro tweet:

Sabemos, porém, que o psolista está completamente enganado. Somente a indicação de Mario Marcel para o Ministério da Fazenda já coloca em xeque qualquer tipo de identitarismo que procura mascarar a política neoliberal no Chile. Isso porque Marcel é presidente do Banco Central desde 2016, desde Piñera, ou seja, a própria encarnação do neoliberalismo chileno.

Todavia, não se trata de um erro ignorante de Juliano Medeiros, mas sim de uma enganação deliberada que visa esconder o caráter direitista de Boric. A composição ministerial é, além de Marcel, inteiramente direitista. A maioria das pessoas são ligadas ao Partido Socialista do Chile, partido esse que defende uma política extremamente neoliberal. Sem contar na Ministra de Relações Exteriores, Antonia Urrejola, completamente alinhada com a política exterior dos Estados Unidos, ou seja, atacar a Nicarágua, Cuba, Venezuela etc.

Antes de qualquer coisa, deve ficar claro que a quantidade de mulheres nos ministérios não representa por si só absolutamente nenhum avanço na luta dos trabalhadores quando as mesmas formam um governo que serve aos interesses do imperialismo. É esse o verdadeiro problema que supera considerações demagógicas acerca do assunto.

Além disso, vemos, aqui, um investimento muito grande por parte de um setor da esquerda brasileira, principalmente o PSOL, em defender a candidatura de Boric, apesar de todos os sinais vermelhos de sua política neoliberal alinhada com o imperialismo.

A eleição de Boric não representa uma renovação, uma revolução dentro da esquerda. Mas sim, a tentativa de vender como progressista uma nova esquerda que, acima de qualquer coisa, é diretamente ligada ao imperialismo e à sua política para a América Latina.

A missão da esquerda frente a acontecimentos de qualquer tamanho deve ser a de elucidar a discussão, desmascarando aqueles que querem se infiltrar no movimento dos trabalhadores para favorecer o imperialismo. 

Ao contrário disso, existe uma campanha proposital pela despolitização da esquerda brasileira, algo que fica extremamente evidente pela “denúncia” de Emir Sader, que, de forma bastante original, caracterizou o PCO como uma seita por denunciar Boric, afirmando que não podemos nos colocar por não possuirmos votos nas eleições. Algo que, por si só, já é uma argumentação extremamente reacionária.

Diferente do que fazemos com o Lula, discutindo os motivos pelos quais achamos que ele deve ser apoiado nas eleições deste ano por todas as forças progressistas do país, esses setores da esquerda apresentam Boric quase como um milagre, sem entrar na discussão política de absolutamente nada. Ao mesmo tempo, torna-se um criminoso por fazer qualquer tipo de crítica a aliados dessa esquerda domesticada.

Exemplo claro disso é o que ocorreu com Boulos. Por meio deste Diário, o PCO expôs de maneira factual as relações de Boulos com o imperialismo norte-americano por meio do IREE e da think-tank Global Americans. A resposta de parte da esquerda? Escorraçar ou ignorar, sem qualquer tipo de discussão política, nossas polêmicas.

A experiência no Chile é extremamente valiosa para a luta contra o imperialismo ao redor do mundo. Se queremos ter uma compreensão política real, é preciso ver se as opiniões, os preconceitos, as teorias são, ou não são, confirmadas pelos fatos materiais. E, no caso de Boric, vemos exatamente o contrário.

Apesar de qualquer comentário exaltado, como o de Juliano Medeiros, Boric tem ligações claras com o imperialismo e, além disso, defende uma política neoliberal. Nesse sentido, deve ser denunciado por todos aqueles que alegam ter um posicionamento sério no campo progressista das ideias. Caso contrário, fica claro que são diletantes e oportunistas.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.