Menu da Rede

Hamas convoca: unir os povos do Oriente Médio contra o sionismo

  • Capa
  • Polêmica
  • A CUT entre a mobilização dos trabalhadores e a capitulação

Plenária termina hoje

A CUT entre a mobilização dos trabalhadores e a capitulação

Ao mesmo tempo em que aprovou o apoio a Lula como única opção dos trabalhadores diante das alternativas golpistas, direção da CUT adota política burocrática para enfrentar a crise

É preciso quebrar a paralisia, reabrir todos os sindicatos, impulsionar as oposições sindicais contra os pelegos e mobilizar nas ruas – Foto: Arquivo DCO

Receba o DCO no Email

Termina nesse domingo, a 16ª Plenária Nacional da Central Única dos Trabalhadores (CUT), iniciada no último dia 21.

Pela primeira vez na história da Central o encontro foi realizado de forma virtual, evidenciando o enorme 16ª Plenária da CUT-PR encerra com reorganização interna e fortalecimento  da lutadistanciamento da realidade das direções com o mundo real dos trabalhadores, no qual mais de 90% dos que ainda têm emprego, estão trabalhando presencialmente. Destaque-se que ao contrário da burocracia sindical que fechou os sindicatos por quase dois anos (milhares ainda estão fechados) a maioria da classe trabalhadora nunca pôde se afastar do trabalho, fica em homem office, o que foi reservado para setores da classe média e para uma parcela dos trabalhadores do ramo dos serviços.

Outra marca da Plenária é que – mesmo sendo virtual – e com baixíssimos custos (os gastos elevados sempre foi um pretexto para reduzir o tamanho dos congresso sindicais) ela teve apenas 950 delegados inscritos (e na maioria das atividades, menos de 600 participantes) “representando” cerca de 4 mil sindicatos filiados à CUT e mais de 15 milhões de trabalhadores a eles vinculados.

Dessa forma, o encontro, foi dominado por dirigentes sindicais, em grande número da própria estrutura da CUT (dirigentes nacionais, estaduais, das confederações, grandes sindicatos etc.) e ao contrário dos seu primeiro congresso em que predominavam os trabalhadores da base, esses eram uma raridade na 16ª Plenária.

Tamanha burocratização da maior organização dos trabalhadores do País e da América Latina, junto com a paralisia da imensa maioria dos sindicatos em meio à crise, expõe a crise das organizações que dependem da participação passiva dos trabalhadores para terem uma existência real (não meramente cartorial) e para cumprirem com os objetivos que justificam sua existência têm como razão de ser a defesa do valor da força de trabalho e a sua própria existência, para o que é preciso estar junto aos trabalhadores nos seus locais de trabalho e na sua luta cotidiana contra os patrões e os governos.

Destaque-se que o encontro de deu de forma virtual e profundamente limitada, quando os dirigentes da CUT e seu ativismo estão entre os principais responsáveis reais pelos atos que nos últimos meses (desde maio) levaram centenas de milhares de pessoas às ruas pelo “fora Bolsonaro” e contra seus ataques e de toda a direita golpista contra o povo brasileiro.
 
Um passo à frente…
 
No dia 20 foi realizado um ato virtual de abertura que contou com a participação dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff que falaram dos retrocessos provocados pelo golpe de Estado e realizaram uma análise dos desafios colocados para os trabalhadores no próximo período.Com recado de Lula, começa a 16ª Plenária da CUT Paraná - CUT Paraná

De forma positiva, o encontro debateu a necessidade da CUT se opor à política reacionária da burguesia golpista da “terceira via”, declarando seu apoio  à candidatura de Lula, ainda que sem assumir uma necessária posição independente e de classe diante da situação, o que significa luta pela vitória de Lula – único candidato da esquerda e representativo do movimento operário, capaz de derrotar a direita – e por um governo dos trabalhadores.

Na Resolução aprovada na Plenária da CUT, pode-se ler:

“A CUT denuncia as articulações chamadas pela grande imprensa de “terceira via” como portadoras da mesma política que favorece o grande capital privado contra as necessidades básicas e urgentes do povo, cujo sentido é o de, de forma fraudulenta, traçar um sinal de igual entre Bolsonaro e Lula (“nem um, nem outro”). Não há terceira via, mas somente dois projetos em disputa, um de caráter democrático e popular que tem em Lula sua maior representação; e outro de caráter neoliberal que tem se mostrado incompatível com a democracia. As posições desses partidos nas votações que dizem respeito aos interesses de nossa classe, é que é o critério de seleção de quem são os verdadeiros aliados da classe trabalhadora e quem são seus inimigos, ainda que disfarçados de ‘democratas’”.

Esse debate precisa ser levado, de forma democrática, para todas as instâncias da CUT, para os sindicatos e no locais de trabalho, de forma a unificar os setores mais organizados e combativos da classe trabalhadora e mobilizar os trabalhadores em torno de uma perspectiva própria, a defesa da candidatura de Lula, por um governo dos trabalhadores da cidade e do campo, apoiando sua candidatura de forma incondicional, ao mesmo tempo em que se aprova um programa de luta dos trabalhadores por suas reivindicações, seja qual for o governo.

Essa perspectiva também aparece na Resolução que destaca ser necessário:

intervir no debate eleitoral com a Plataforma da Classe Trabalhadora, apresentando propostas para as questões que afligem o povo trabalhador: para enfrentamento do desemprego, da precarização das condições de trabalho; deve também organizar e mobilizar para a luta em torno de bandeiras mais universalistas: salário mínimo, redução de jornada, regulamentação crescente de direitos para trabalhadores de aplicativos e plataformas, defesa da renda básica e políticas públicas, sustentabilidade ambiental visando alcançar o conjunto da classe

… com freio de mão puxado 

A questão da “reorganização da Central”, a pretexto de  enfrentar as mudanças  na realidade foi apresentada como tema central da Plenária.

O tema foi apresentado no dia ontem pelo presidente da CUT, Sérgio Nobre, que apresentou dados da Pesquisa sobre o Mercado de trabalho realizada pelo IBGE e destacados pelo DIEESE, segundo os quais:

  • Temos população ativa de 173 milhões de brasileiros
  • 74 milhões, fora do mercado de trabalho, por falta de oportunidades
  • deste, 14 milhões de desempregados “oficiais”
  • 89 milhões de pessoas ocupadas
  • Do total de ocupados, 51% trabalham de forma precária, sem qualquer proteção social

A direção da CUT expõe como problema que o “atual modelo sindical representa apenas os trabalhadores da economia formal” (“em tese 49%”, destacou Nobre).

Ainda segundo o presidente da CUT, as estimativas apontam que convenções acordos chegam a apenas 2/3 dos trabalhadores formais (dos 49%), ou seja, atingem pouco mais de 16% dos trabalhadores diretamente. Ele assinalou ainda que autônomos e microempreendedores chegam a 25%, número que tende a crescer com a “pejotização”.

Nobre, em nome da direção da CUT, apresentou como “desafios”:

  • Trabalhar para representar o conjunto da classe
  • Criar sindicatos com base mais amplas, maior representatividade, já que “na atual estrutura cabe apenas celetistas e efetivos
  • Ver “como receber autônomos, associações de classes [que não são sindicatos, NR] e entidades dos movimentos culturais etc. que tem na CUT uma referência

Para isso apontou de forma genérica propostas de mudanças de estrutura (que devem ser votadas no dia de hoje) e a necessidade de “mudanças culturais”. Mas passou ao longe de debater os problemas políticos e centrais que afastam a CUT e a quase totalidade das organizações sindicais dos trabalhadores.

De um ponto de vista geral, a direção cutista não só expressou uma postura passiva diante da situação, que não leva em consideração o papel decisivo da luta de classes, da qual a CUT foi criada para ser um motor e não para buscar uma adequação dos trabalhadores à realidade imposta diante do avanço da crise capitalista, como também expôs uma clara tendência de capitulação diante da situação. Os capitalistas em crise, impõe um retrocesso nas condições de trabalho e de vida da classe trabalhadora (como é o caso do desemprego/subemprego da maioria) e a CUT não aponta como questão vital a luta contra o desemprego, a organização dos desempregados nos sindicatos (Comitês de Luta), uma campanha pela imediata redução da jornada de trabalho etc. para subverter a situação, mas destaca a importância de “associar” os novos escravos, que trabalho sem direitos, sem nada (como os trabalhadores de aplicativos),  apenas para garantir maior representatividade da Central.

O problema central é além de buscar agrupar todos, ver quais são as forças propulsoras para lutar contra aquilo que os capitalista moribundos querem impor. Não se trata de um “mundo novo” – como muitos dirigentes e esquerdistas falam – mas de um estágio da decomposição capitalista que não consegue sequer garantir a exploração dos seus escravos

O papel da CUT é organizar a luta de classes, unificar em torno dos setores mais organizados os demais, oferecer eixos comuns, como a luta pela redução da jornada de trabalho (trabalhar menos para que todos trabalhem); defender, com os métodos de luta  próprios dos trabalhadores e não “com pires na mão” no parlamento os direitos dos servidores e os serviços públicos; os salários afetados pela inflação (com uma Plataforma da “Classe Trabalhadora” como diz a resolução aprovada) e apontar uma perspectiva de classe diante da situação, a luta por Lula presidente, com um governo dos trabalhadores, ou seja, ter uma perspectiva própria da CUT diante da situação (que não deve se confundir com a política dos que querem um novo governo de conciliação de classes que deu no golpe e no retrocesso que vivemos.

Se um dos problemas centrais é ampliar a representação dos trabalhadores para promover a unidade da classe contra os patrões, umas tarefas, por exemplo, é lutar pela conquista pela CUT dos importantes sindicato operários que ainda estão nas mãos dos pelegos, como e o caso dos Sindicatos dos Metalúrgicos vinculados à  Federação dos Metalúrgicos de SP, ligada à máfia da Força Sindical, que têm em sua base mais de 600 mil trabalhadores; ou os poderosos sindicatos dos Metalúrgicos de São José dos Campos (SP), dominado à décadas pela Conlutas/PSTU;  ou ainda o Sindicatos dos Metalúrgicos de Volta Redonda (RJ), semi-destruído pela Força Sindical.

Para dar conta dessa e de outras tarefas reais de mobilização dos trabalhadores, é preciso luta – a começar pela CUT – contra a política reacionária da esquerda pequeno burguesa que, seguindo a direita golpista, colocou o movimento sindical colocou-se em “quarentena”, fechou os sindicatos (e até as sedes da CUT), deixou de publicar até mesmo informativos sindicais (na imensa maioria dos sindicatos) e se dirigiu – quando muito – a uma atividade de tipo parlamentar, buscando “negociar” ou mendigar mudanças da parte dos patrões e dos governos sem organizar qualquer luta real dos trabalhadores para fazer valer seus interesses: “fique em casa e morra sem lutar”.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais

Esquerda se junta à direita na defesa do sistema eleitoral

Esquerda desnorteada, pede que Moraes nos salve de Bolsonaro

Leandro Brugnago Denuncia a Ditadura do STF

Em Brasília, lotar as ruas como na Cinelândia e em Diadema

Depois de Jonhson, Biden será a próxima vítima da guerra?

Uma política para a CUT e os sindicatos diante do recorde de fome

É a fome!

alexandre moraes stf 913.jpg

O PCO não está só na luta pelas liberdades democráticas

STF fora do controle popular é ditadura!

10 mil contra 11

pm rj

Parar as chacinas, dissolver a Polícia

“Garimpeiro não é bandido, é trabalhador”

Os “amigos da onça” são uma ameaça contra Lula

A disputa  é pelo comando do golpe e não para impedí-lo

Ficou provado que “centrais de brinquedo” não mobilizam ninguém

Querem “roubar” o candidato dos trabalhadores

Romper a paralisia e reverter o fiasco do 1º de Maio

Policial não é trabalhador

Todos na rua, por Lula ou nada!

Revogar a reforma trabalhista tendo Alckmin à frente?

CSN, garis, professores x Conclat: dois caminhos, duas políticas

De São Paulo a Dubai, de Budapeste a Islamabad e de 1915 a 2022

O Brasil é favorito na copa?

Criminalização do nazismo é desculpa para incriminar o comunismo

Para arrancar os 33,24% convocar uma greve nacional da Educação

33,24% seminário

Doria e prefeitos armam golpe contra reajuste de 33,24%

lulajá

Não apoiar Lula por conta de seus aliados é um erro a ser evitado

Contra o golpe do reajuste de 0% para o piso dos professores

conferência sindical mesa

Conferência aprovou luta contra reformas e por Lula presidente

O golpe de Boulos e do PSOL contra o PT e em favor da direita

alckmin e doria firmam parcerias entre estado e município

Os ataques de Doria aos professores e o fracasso da frente ampla

Iniciar uma campanha militante e de massas em torno de Lula

Agora! Natália Pimenta no Pânico da Jovem Pan

Todos na Paulista: é Lula contra Bolsonaro e toda a direita

Petistas reagem à chapa com Alckmin e chantagem do PSB

Às ruas por Lula presidente com vice das lutas populares

ato paulista 7:11:21

Dia 12 é na Paulista por Fora Bolsonaro e Lula presidente

carteira vazia

Recessão e inflação: defender os salários com “gatilho”

alckmin e aceio paulista

Nós professores não queremos Alckmin. Nenhum trabalhador quer!

A esquerda que se opõe às ideias e à luta revolucionária

Contra o roubo dos salários, lutar pelo “gatilho salarial”

Unir já toda a esquerda e o povo por Lula presidente!

20 novembro

Neste sábado: abaixo o massacre do povo negro, Lula presidente!

Bloco Vermelho presta apoio a Cuba e convoca ato de solidariedade

“Plenária Vermelha”: uma vitoria contra a politica de capitulação

lula pco abc

Plenária Nacional do Bloco Vermelho agrupa contra a frente ampla

Mais de 150 assinaturas convocam Plenária Lula Presidente

cartaz plenária nacional

Dirigentes do PT, PCO, CUT e PCPB convocam Plenária Nacional

Aprender da derrota diante de Doria em SP

Servidores/SP: é preciso ir além da “pressão” parlamentar

Uma Plenária Nacional por Fora Bolsonaro e Lula presidente

A “esquerda” que luta contra a candidatura de Lula

“Centrais” golpistas atacam a CUT para defender carrascos do povo

PSOL decide não ter candidato mas não aprova apoio a Lula

Inflação dispara e mostra tendência geral de agravamento da crise

Fora todos os carrascos dos trabalhadores dos atos da esquerda!

Gilmar Mendes libera grandes empresas de pagar trabalhadores

Crise divide a direita e votação da “reforma” é adiada

BolsoDoria quer privatizar Sabesp, Petrobras e portos

Globo escancara o golpe da 3ª via e transmitirá primárias do PSDB

Quem vai deter Bolsonaro?

Dia 7/9, tomar as ruas contra a ditadura de Bolsonaro e Doria

BolsoDoria quer limpar o caminho para Bolsonaro desfilar

As lições do dia 18/8 e a mobilização de 7 de setembro

Por ruas ainda mais vermelhas, sem a direita, por fora Bolsonaro

Wilson Witzel depõe hoje na mais nova sessão da CPI da Covid

Direita manobra e mantém mecanismos ditatoriais mesmo sem LSN

1º de Maio na Sé: vitória da mobilização contra a paralisia

Mais um passo na privatização da CEF

Contra as demissões é preciso ocupar a LG

Presença de Lula ‘enfraquece’ a direita

Com Lula, por um governo dos trabalhadores

24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais

Esquerda se junta à direita na defesa do sistema eleitoral

Esquerda desnorteada, pede que Moraes nos salve de Bolsonaro

Leandro Brugnago Denuncia a Ditadura do STF

Em Brasília, lotar as ruas como na Cinelândia e em Diadema

Depois de Jonhson, Biden será a próxima vítima da guerra?

Uma política para a CUT e os sindicatos diante do recorde de fome

É a fome!

alexandre moraes stf 913.jpg

O PCO não está só na luta pelas liberdades democráticas

STF fora do controle popular é ditadura!

10 mil contra 11

pm rj

Parar as chacinas, dissolver a Polícia

“Garimpeiro não é bandido, é trabalhador”

Os “amigos da onça” são uma ameaça contra Lula

A disputa  é pelo comando do golpe e não para impedí-lo

Ficou provado que “centrais de brinquedo” não mobilizam ninguém

Querem “roubar” o candidato dos trabalhadores

Romper a paralisia e reverter o fiasco do 1º de Maio

Policial não é trabalhador

Todos na rua, por Lula ou nada!

Revogar a reforma trabalhista tendo Alckmin à frente?

CSN, garis, professores x Conclat: dois caminhos, duas políticas

De São Paulo a Dubai, de Budapeste a Islamabad e de 1915 a 2022

O Brasil é favorito na copa?

Criminalização do nazismo é desculpa para incriminar o comunismo

Para arrancar os 33,24% convocar uma greve nacional da Educação

33,24% seminário

Doria e prefeitos armam golpe contra reajuste de 33,24%

lulajá

Não apoiar Lula por conta de seus aliados é um erro a ser evitado

Contra o golpe do reajuste de 0% para o piso dos professores

conferência sindical mesa

Conferência aprovou luta contra reformas e por Lula presidente

O golpe de Boulos e do PSOL contra o PT e em favor da direita

alckmin e doria firmam parcerias entre estado e município

Os ataques de Doria aos professores e o fracasso da frente ampla

Iniciar uma campanha militante e de massas em torno de Lula

Agora! Natália Pimenta no Pânico da Jovem Pan

Todos na Paulista: é Lula contra Bolsonaro e toda a direita

Petistas reagem à chapa com Alckmin e chantagem do PSB

Às ruas por Lula presidente com vice das lutas populares

ato paulista 7:11:21

Dia 12 é na Paulista por Fora Bolsonaro e Lula presidente

carteira vazia

Recessão e inflação: defender os salários com “gatilho”

alckmin e aceio paulista

Nós professores não queremos Alckmin. Nenhum trabalhador quer!

A esquerda que se opõe às ideias e à luta revolucionária

Contra o roubo dos salários, lutar pelo “gatilho salarial”

Unir já toda a esquerda e o povo por Lula presidente!

20 novembro

Neste sábado: abaixo o massacre do povo negro, Lula presidente!

Bloco Vermelho presta apoio a Cuba e convoca ato de solidariedade

“Plenária Vermelha”: uma vitoria contra a politica de capitulação

lula pco abc

Plenária Nacional do Bloco Vermelho agrupa contra a frente ampla

Mais de 150 assinaturas convocam Plenária Lula Presidente

cartaz plenária nacional

Dirigentes do PT, PCO, CUT e PCPB convocam Plenária Nacional

Aprender da derrota diante de Doria em SP

Servidores/SP: é preciso ir além da “pressão” parlamentar

Uma Plenária Nacional por Fora Bolsonaro e Lula presidente

A “esquerda” que luta contra a candidatura de Lula

“Centrais” golpistas atacam a CUT para defender carrascos do povo

PSOL decide não ter candidato mas não aprova apoio a Lula

Inflação dispara e mostra tendência geral de agravamento da crise

Fora todos os carrascos dos trabalhadores dos atos da esquerda!

Gilmar Mendes libera grandes empresas de pagar trabalhadores

Crise divide a direita e votação da “reforma” é adiada

BolsoDoria quer privatizar Sabesp, Petrobras e portos

Globo escancara o golpe da 3ª via e transmitirá primárias do PSDB

Quem vai deter Bolsonaro?

Dia 7/9, tomar as ruas contra a ditadura de Bolsonaro e Doria

BolsoDoria quer limpar o caminho para Bolsonaro desfilar

As lições do dia 18/8 e a mobilização de 7 de setembro

Por ruas ainda mais vermelhas, sem a direita, por fora Bolsonaro

Wilson Witzel depõe hoje na mais nova sessão da CPI da Covid

Direita manobra e mantém mecanismos ditatoriais mesmo sem LSN

1º de Maio na Sé: vitória da mobilização contra a paralisia

Mais um passo na privatização da CEF

Contra as demissões é preciso ocupar a LG

Presença de Lula ‘enfraquece’ a direita

Com Lula, por um governo dos trabalhadores

Blogues

Esquerda se junta à direita na defesa do sistema eleitoral

Esquerda desnorteada, pede que Moraes nos salve de Bolsonaro

Leandro Brugnago Denuncia a Ditadura do STF

Em Brasília, lotar as ruas como na Cinelândia e em Diadema

Depois de Jonhson, Biden será a próxima vítima da guerra?

Uma política para a CUT e os sindicatos diante do recorde de fome

É a fome!

alexandre moraes stf 913.jpg

O PCO não está só na luta pelas liberdades democráticas

STF fora do controle popular é ditadura!

10 mil contra 11

pm rj

Parar as chacinas, dissolver a Polícia

“Garimpeiro não é bandido, é trabalhador”

Os “amigos da onça” são uma ameaça contra Lula

A disputa  é pelo comando do golpe e não para impedí-lo

Ficou provado que “centrais de brinquedo” não mobilizam ninguém

Querem “roubar” o candidato dos trabalhadores

Romper a paralisia e reverter o fiasco do 1º de Maio

Policial não é trabalhador

Todos na rua, por Lula ou nada!

Revogar a reforma trabalhista tendo Alckmin à frente?

CSN, garis, professores x Conclat: dois caminhos, duas políticas

De São Paulo a Dubai, de Budapeste a Islamabad e de 1915 a 2022

O Brasil é favorito na copa?

Criminalização do nazismo é desculpa para incriminar o comunismo

Para arrancar os 33,24% convocar uma greve nacional da Educação

33,24% seminário

Doria e prefeitos armam golpe contra reajuste de 33,24%

lulajá

Não apoiar Lula por conta de seus aliados é um erro a ser evitado

Contra o golpe do reajuste de 0% para o piso dos professores

conferência sindical mesa

Conferência aprovou luta contra reformas e por Lula presidente

O golpe de Boulos e do PSOL contra o PT e em favor da direita

alckmin e doria firmam parcerias entre estado e município

Os ataques de Doria aos professores e o fracasso da frente ampla

Iniciar uma campanha militante e de massas em torno de Lula

Agora! Natália Pimenta no Pânico da Jovem Pan

Todos na Paulista: é Lula contra Bolsonaro e toda a direita

Petistas reagem à chapa com Alckmin e chantagem do PSB

Às ruas por Lula presidente com vice das lutas populares

ato paulista 7:11:21

Dia 12 é na Paulista por Fora Bolsonaro e Lula presidente

carteira vazia

Recessão e inflação: defender os salários com “gatilho”

alckmin e aceio paulista

Nós professores não queremos Alckmin. Nenhum trabalhador quer!

A esquerda que se opõe às ideias e à luta revolucionária

Contra o roubo dos salários, lutar pelo “gatilho salarial”

Unir já toda a esquerda e o povo por Lula presidente!

20 novembro

Neste sábado: abaixo o massacre do povo negro, Lula presidente!

Bloco Vermelho presta apoio a Cuba e convoca ato de solidariedade

“Plenária Vermelha”: uma vitoria contra a politica de capitulação

lula pco abc

Plenária Nacional do Bloco Vermelho agrupa contra a frente ampla

Mais de 150 assinaturas convocam Plenária Lula Presidente

cartaz plenária nacional

Dirigentes do PT, PCO, CUT e PCPB convocam Plenária Nacional

Aprender da derrota diante de Doria em SP

Servidores/SP: é preciso ir além da “pressão” parlamentar

Uma Plenária Nacional por Fora Bolsonaro e Lula presidente

A “esquerda” que luta contra a candidatura de Lula

“Centrais” golpistas atacam a CUT para defender carrascos do povo

PSOL decide não ter candidato mas não aprova apoio a Lula

Inflação dispara e mostra tendência geral de agravamento da crise

Fora todos os carrascos dos trabalhadores dos atos da esquerda!

Gilmar Mendes libera grandes empresas de pagar trabalhadores

Crise divide a direita e votação da “reforma” é adiada

BolsoDoria quer privatizar Sabesp, Petrobras e portos

Globo escancara o golpe da 3ª via e transmitirá primárias do PSDB

Quem vai deter Bolsonaro?

Dia 7/9, tomar as ruas contra a ditadura de Bolsonaro e Doria

BolsoDoria quer limpar o caminho para Bolsonaro desfilar

As lições do dia 18/8 e a mobilização de 7 de setembro

Por ruas ainda mais vermelhas, sem a direita, por fora Bolsonaro

Wilson Witzel depõe hoje na mais nova sessão da CPI da Covid

Direita manobra e mantém mecanismos ditatoriais mesmo sem LSN

1º de Maio na Sé: vitória da mobilização contra a paralisia

Mais um passo na privatização da CEF

Contra as demissões é preciso ocupar a LG

Presença de Lula ‘enfraquece’ a direita

Com Lula, por um governo dos trabalhadores

Movimentos

Esquerda se junta à direita na defesa do sistema eleitoral

Esquerda desnorteada, pede que Moraes nos salve de Bolsonaro

Leandro Brugnago Denuncia a Ditadura do STF

Em Brasília, lotar as ruas como na Cinelândia e em Diadema

Depois de Jonhson, Biden será a próxima vítima da guerra?

Uma política para a CUT e os sindicatos diante do recorde de fome

É a fome!

alexandre moraes stf 913.jpg

O PCO não está só na luta pelas liberdades democráticas

STF fora do controle popular é ditadura!

10 mil contra 11

pm rj

Parar as chacinas, dissolver a Polícia

“Garimpeiro não é bandido, é trabalhador”

Os “amigos da onça” são uma ameaça contra Lula

A disputa  é pelo comando do golpe e não para impedí-lo

Ficou provado que “centrais de brinquedo” não mobilizam ninguém

Querem “roubar” o candidato dos trabalhadores

Romper a paralisia e reverter o fiasco do 1º de Maio

Policial não é trabalhador

Todos na rua, por Lula ou nada!

Revogar a reforma trabalhista tendo Alckmin à frente?

CSN, garis, professores x Conclat: dois caminhos, duas políticas

De São Paulo a Dubai, de Budapeste a Islamabad e de 1915 a 2022

O Brasil é favorito na copa?

Criminalização do nazismo é desculpa para incriminar o comunismo

Para arrancar os 33,24% convocar uma greve nacional da Educação

33,24% seminário

Doria e prefeitos armam golpe contra reajuste de 33,24%

lulajá

Não apoiar Lula por conta de seus aliados é um erro a ser evitado

Contra o golpe do reajuste de 0% para o piso dos professores

conferência sindical mesa

Conferência aprovou luta contra reformas e por Lula presidente

O golpe de Boulos e do PSOL contra o PT e em favor da direita

alckmin e doria firmam parcerias entre estado e município

Os ataques de Doria aos professores e o fracasso da frente ampla

Iniciar uma campanha militante e de massas em torno de Lula

Agora! Natália Pimenta no Pânico da Jovem Pan

Todos na Paulista: é Lula contra Bolsonaro e toda a direita

Petistas reagem à chapa com Alckmin e chantagem do PSB

Às ruas por Lula presidente com vice das lutas populares

ato paulista 7:11:21

Dia 12 é na Paulista por Fora Bolsonaro e Lula presidente

carteira vazia

Recessão e inflação: defender os salários com “gatilho”

alckmin e aceio paulista

Nós professores não queremos Alckmin. Nenhum trabalhador quer!

A esquerda que se opõe às ideias e à luta revolucionária

Contra o roubo dos salários, lutar pelo “gatilho salarial”

Unir já toda a esquerda e o povo por Lula presidente!

20 novembro

Neste sábado: abaixo o massacre do povo negro, Lula presidente!