Menu da Rede

Assista ao Resumo do Dia ao vivo

  • Capa
  • Editorial
  • União Brasil: a montanha parida pelos ratos

Novo partido

União Brasil: a montanha parida pelos ratos

Fusão do PSL com o DEM leva à criação do maior partido de direita, com mais deputados e verbas do País

União Brasil realizou convenção de fundação dia 6 – Whatsapp

Receba o DCO no Email

Do cruzamento da legenda de aluguel que abrigou Bolsonaro com o partido herdeiro da ARENA, nasceu no último dia 6 o União Brasil. O novo partido será presidido por Luciano Bivar (PSL) e terá ACM Neto (DEM) como secretário-geral, bem como a maior bancada na Câmara dos Deputados (81 parlamentares) e a maior fatia dos fundos partidário (R$138 milhões anuais) e eleitoral (R$320 milhões) se o Tribunal Superior Eleitoral aceitar a fusão das legendas.

Com o que parece ser uma enorme potência eleitoral aparente, a União ostenta três pré-candidatos à Presidencia, o primeiro ministro da Saúde (DEM) do governo Bolsonaro, Luiz Henrique Mandetta, o apresentador José Luiz Datena (PSL) e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). E é aí que as coisas se complicam. Mesmo se somadas, as intenções de voto dos candidatos da União Brasil não são maiores que as margens de erro das pesquisas. Apesar disso, ACM Neto faz bravata: “a prioridade será lançar um candidato à Presidência da República”. 

Artigos Relacionados

Visto por outro lado, pode ser tomado como o partido do futuro caso mantenha em suas fileiras 16% dos assentos na Câmara. Se continuar a ser a maior bancada partidária, converter-se-ia em elemento de peso na relação do próximo governo com o Congresso. Mesmo isso, no entanto, é incerto. 

O maior partido de direita pode ver suas fileiras diminuírem, em breve, segundo analistas políticos afirmaram na imprensa burguesa. 

Entre os 81 deputados e sete senadores da nova legenda, muitos ainda estão ligados ao governo Bolsonaro, devem seus mandatos à vitória do presidente. O PSL, de onde vêm dois terços da bancada da Câmara do futuro União Brasil, ganhou 53 cadeiras depois de ter passado 20 anos elegendo, no máximo, um deputado por eleição. Sem vínculo com Bolsonaro em 2022, a legenda que inchou em 2018 pode muito bem murchar.

O DEM, por sua vez, é um dos partidos tradicionais da burguesia e um dos mais enfraquecidos conforme a crise do regime político se aprofundou ao longo da última década. Elegeu seus 28 deputados e ajudou a eleger outros em coligações com outras legendas de confiança da classe dominante como o PSDB, PSD, PTB, PSB, PDT etc. 

Resultando da fusão com o PSL, o União Brasil continuaria com os problemas de ambas as legendas: a dependência que o DEM tem da unidade com os demais partidos de direita e a artificialidade da legenda de aluguel que o PSL é. 

Para o DEM, foi-se o tempo de glórias em que o herdeiro da ARENA se manteve como tal, um pilar da ditadura militar, ou como PFL, um esteio dos governos dos anos 80 e 90, de Sarney a FHC. 

Para o PSL, resta a esperança de não naufragar depois de ter perdido o motor do seu crescimento. É grande a concorrência com outras legendas de extrema direita (tradicionais como o PTB, PRB, PP ou variantes declaradamente bolsonaristas, como o PTC, Avante, Patriotas e outros).

Por sua vez, a promessa de “trabalhar muito para evitar um segundo turno entre Lula e Bolsonaro”, feita por ACM Neto, põe em relevo um dado da situação: a união da extrema direita bolsonarista com a direita tradicional é a única saída para os setores dominantes da burguesia se manterem no atual estágio de crise do regime político e desagregação dos seus partidos de confiança. Mostra que, diante da polarização e de a “terceira via” não garantir o seu espaço, a direita tradicional já encontrou seu lugar como aliada do bolsonarismo, com ou sem Bolsonaro.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.