Menu da Rede

PM agride mulher com tapa na cara e revolta moradores

Tal como o povo

Sim, somos politicamente incorretos

Identitários vivem no mundo da lua e não fazem a menor ideia de como é a realidade da classe trabalhadora

Foto real de como é a vida em muitas favelas do Brasil – Foto: Reprodução

Receba o DCO no Email

O identitarismo, imposto pelo imperialismo sobre a esquerda, fez com que setores da pequena burguesia de esquerda, liberal, tenham se tornado os maiores defensores do regime político burguês. Em última instância, os maiores defensores da lei e da ordem.

Isso os coloca em contradição com os interesses dos trabalhadores. Os trabalhadores não estão interessados em lugar de fala, em linguagem neutra, em veganismo. 

Nas favelas e nos bairros operários, algumas das cenas mais comuns são grupos de vizinhos confraternizando-se por qualquer coisa e fazendo um “churrasquinho de gato”. Ou soltando rojões, às vezes sem motivo nenhum, mesmo que de madrugada. Ninguém está preocupado com a sensibilidade auditiva do seu “pet”.

Na periferia, “viado” praticamente não é xingamento. Todo mundo usa com os amigos. O mesmo vale para “negão”. Ou “gordo”. A mulher não está preocupada se alguém vai se dirigir a um grupo de pessoas e falar “amigos e amigas” ou “amigues”.

Essas pessoas não vivem em um conto de fadas. Quem se preocupa com essas besteiras nunca pisou numa favela, num morro. Vive anos luz da realidade da imensa maioria da população, esmagada diariamente pela exploração do patrão, do governo, da polícia. Essas pessoas não podem se dar ao luxo de se preocupar com idiotices como lugar de fala e gênero neutro. Estão passando fome, não têm acesso à saúde e educação, seus barracos estão infestados de ratos e quando chove se encharcam.

A classe operária quer comida na mesa, quer emprego, quer churrasquinho no final de semana na laje. Quer comprar um carro porque está cansada de ficar de pé por duas horas em ônibus lotado porque o governo não aumenta a frota, apesar do preço absurdo da passagem.

Quando o PCO é acusado de ser machista, misógino, homofóbico, racista, gordofóbico, especista, negacionista ou ─ pasme, leitor ─ bolsonarista (!), é porque se recusa a escapar da realidade e ir viver em um mundo de fantasias, o mundo ideal, o mundo onde a classe média não enxerga nada além do próprio umbigo, um mundo em que ela é a todo-poderosa que transforma tudo para ficar à sua imagem e semelhança.

Os militantes do PCO vivem no mundo real. Muitos deles vivem exatamente nos mesmos lugares descritos logo acima, nas favelas, nos morros, na periferia. Quando o PCO defende o direito irrestrito ao armamento de toda a população é porque vê os camponeses pobres de Rondônia sendo exterminados pelos jagunços de latifundiários ou os moradores do Jacarezinho sendo massacrados pela polícia.

Quando o PCO defende que todo e qualquer indivíduo tenha o direito de falar o que quiser, de xingar, de ofender, de se expressar livremente, é porque liga a televisão ou vai na banca de jornal e não vê nenhum canal ou nenhum jornal pertencente a alguma organização popular. É porque seus quadros e militantes estudam a história da humanidade e sabem que houve um tempo em que nenhum cidadão podia questionar a Igreja ou o rei sem ser queimado na fogueira ou pendurado em uma forca. Ou quando até mesmo o riso era punido pelo Estado todo-poderoso. Quando o PCO defende que todos ─ dos nazistas aos comunistas ─ possam manifestar seu pensamento, é porque seus membros viram a notícia de uma mulher que foi presa por chamar de “filho da puta” um presidente ilegítimo que matou 600 mil pessoas e continua impune.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.