Menu da Rede

20211024150250 1635096648042 1 1 (1)

Cristiano Ronaldo chuta jogador. E se fosse Neymar?

Crise no governo Fernández

O desastre argentino

Os golpistas na Argentina em 2019 imporam a vice presidência a candidata mais popular, Cristina Kirchner, assim fraudando as eleições, passados 2 anos uma enorme crise se abriu

Kirchner a candidata mais popular do país ocupa o cargo de vice presidenta devido ao golpe – Foto: Reprodução

Receba o DCO no Email

Na última semana, uma enorme crise política se abriu na Argentina. As eleições primarias aconteceram no domingo e resultaram na derrota do atual governo peronista para a direita. Na província de Buenos Aires, os resultados foram 33,64% contra 37,99% dos votos. Na eleição presidencial em 2019, Fernández venceu no primeiro turno com 48% os votos. A derrota é uma demonstração da crise gerada pelo governo que é fruto do golpe de Estado no país, a candidata mais popular, a ex-presidenta Cristina Kirchner, perseguida pelo imperialismo assim como o ex-presidente Lula acabou capitulando e se candidatando apenas a vice. Contudo, o líder da chapa e atual presidente, apesar de aliado com a esquerda, é um homem da direita, está ai o motivo para a impopularidade do governo.

O processo golpista que o imperialismo impôs continentalmente na América Latina se iniciou com o golpe de Estado em Honduras realizado em 2009 pelo governo Obama-Biden. A partir desse momento as investidas da direita cresceram exponencialmente em todos os países. Em 2015, o neoliberal Macri foi eleito em um processo semelhante ao da eleição brasileira de 2014, em meio a uma enorme campanha golpista, com a diferença de que neste caso o imperialismo teve sucesso. Foram 4 anos de destruição completa do país que jogou a população em uma gigantesca miséria, o retorno do antigo governo nacionalista assim, se houvesse um regime democrático, era quase inevitável.

Uma operação golpista ao estilo da Lava Jato se estabeleceu para impedir que a ex-presidenta e candidata mais popular Cristina Kirchner se tornasse novamente presidenta. Durante o processo se aceitou um acordo, semelhante ao feito na Bolívia, que a ala mais direitista do partido poderia assumir a liderança da chapa e nesse caso a própria Kirchner a vice-presidência, algo que não foi alcançado nem na Bolívia e nem no Equador. Desde o princípio já era previsível que Fernandez, um homem da direita, não faria o governo que a classe operária argentina desejava, e agora, após 2 anos, esse fato foi comprovado.

Após a derrota eleitoral, Kirchner, percebendo o desastre realizou uma guinada à esquerda passando a criticar as políticas neoliberais de Fernandez, alguns ministros ligados a ela por sua vez renunciaram e o auge de tudo foi quando o presidente cancelou sua viagem com medo o que seria feito quando a vice assumisse o poder por alguns dias. O crescente abismo entre o candidato aceito pela burguesia, Fernandez, e a candidata que de fato era a escolha da população, é o resultado do desenvolvimento da política golpista nos países latino americanos que só aceita uma esquerda domesticada ou nesse caso, uma direita com feições esquerdistas.

O desastre argentino é uma demonstração do fracasso total que foi a política adotada pela esquerda peronista, setor liderado por Kirchner, diante das investidas golpistas. Ao aceitar a imposição das instituições na realidade, foi aceita uma fraude eleitoral que de forma alguma resolveu a gigantesca crise social argentina e que por sua vez tira a popularidade da esquerda e abre margem para o fortalecimento da direita, como foi visto no resultado das primárias. A política que deveria ser adotada pela esquerda em 2019 é a mesma que deve ser adotado no atual momento, mobilizar os trabalhadores argentinos contra a direita golpista.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.