Menu da Rede

Rui Costa Pimenta desvenda o stalinismo, não perca!

  • Capa
  • Editorial
  • IdentiDoria: depois de gari, Doria prepara nova personagem

Demagogia

IdentiDoria: depois de gari, Doria prepara nova personagem

O governador do estado de São Paulo, João Doria, resolveu lançar mão do identitarismo como mote de sua campanha para eleições de 2022

IdentiDoria em “Prévias com Pagode” – Reprodução

Receba o DCO no Email

O governador do estado de São Paulo, João Doria, resolveu lançar mão do identitarismo como mote de sua campanha para eleições de 2022, na qual deve se apresentar como candidato a presidente, uma terceira via diante do cenário polarizado entre Lula (PT) e Bolsonaro (ex-PSL, sem partido). Para ganhar uma aparência mais popular, Doria divulgou um vídeo, em sua conta oficial no Twitter, onde aparece tocando junto a músicos negros sob a hashtag “Prévias com pagode”. Tal fato demonstra que a política identitária será utilizada para promoção justamente pelos maiores inimigos da população negra. 

Assim como o presidente Joe Biden, o candidato do PSDB pretende se eleger por meio da mesma demagogia identitária. Apesar de Kamala Harris ser uma capitã-do-mato que trabalhou para aumentar a repressão e encarceramento do povo negro dos Estados Unidos, o lançamento da chapa de presidente com uma vice negra foi suficiente para esquerda mergulhar de cabeça nessa miragem. Mesmo depois de eleito, a imprensa tem buscado impulsionar essa política como na divulgação entusiasta do Secretário de Defesa, Lloyd Austin, um negro que comandou massacres contra povos oprimidos do Oriente Médio no governo identitário de Barack Obama. 

Antigamente bastava comer um pastel na feira para tentar se passar por popular, mas o pagodeiro de calça apertada tem buscado inovar desde que se tornou prefeito da cidade de São Paulo (2016). Doria recebeu destaque na imprensa, que buscava promovê-lo, quando apareceu fantasiado de gari. O governo de Bruno Covas, que deu sequência às privatizações iniciadas por Doria, colocou o serviço municipal de limpeza urbana junto a uma dezena de outras autarquias que entrou para lista de entrega para os capitalistas. 

Da mesma forma que nunca teve qualquer comprometimento com os trabalhadores da limpeza, também não tem com os negros, apesar de buscar demonstrar intimidade com a cultura de periferia, neste caso, o samba. A polícia de Doria promoveu um verdadeiro massacre ao reprimir um baile funk na comunidade de Paraisópolis, deixando mortos nove jovens com idade de 14 a 23 anos. 

No país onde todos os anos a polícia mais sanguinária do mundo bate recordes de letalidade, em geral contra a população negra, Doria se apoiou na política de Bolsonaro. Mas não se tratou de um apoio da boca pra fora da política assassina do “bandido bom é bandido morto”, bem como do excludente de ilicitude que livra os policiais de seus crimes. Doria na prática criou uma máquina mortífera no padrão das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (ROTA), o Batalhão de Ações Especiais (BAEP), com batalhões espalhados e atuantes por todo o território estadual.

Na pandemia, os dias de lockdown, verdadeiro engodo e única medida de combate ao coronavírus, serviram somente para aumentar a repressão contra a juventude nas periferias. Assim, as mortes de negros no estado de São Paulo cresceram mais que o dobro das mortes de pessoas brancas em decorrência da Covid-19. É a população negra que está sendo atirada nas ruas por conta dos despejos que aumentaram em 70%, que estão sofrendo com os cortes de energia elétrica e de água, que está desempregada e passa fome. 

Assim como o banco Itaú, maior inimigo das mulheres e dos negros, fazem na propaganda, o PSDB tem como projeto aumentar a demagogia com esses setores tendo em vista as eleições. É preciso um combate intransigente aos tucanos golpistas, em especial a João Doria, que busca se apresentar como oposição a Bolsonaro e se apoiar na Frente Ampla com partidos da esquerda anti-lulistas.

As organizações de luta do povo negro devem rechaçar essa política de confusão e defender mais empregos, auxílio de um salário, fim dos cortes de luz, água e despejos. É preciso lutar pelo fim do governo Bolsonaro e do golpe de estado, por Lula Presidente, um Congresso do Povo e um Nova Constituinte.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.