Menu da Rede

Acompanhe o Resumo do Dia na COTV

COVID-19

Dois anos de pandemia, um balanço

Conheça o resumo dos principais acontecimentos relacionados desde 2020 no que concerne à pandemia.

A Pfizer, em conjunto com o governo dos Estado Unidos, criou um monopólio no mercado mundial de vacinas, levando a frente sua política usurária e subordinando a ela os países atrasados. – Foto: Dado Ruvic/REUTERS

Receba o DCO no Email

Desde que a pandemia começou, a esquerda brasileira adotou a política de ficar a reboque da direita – o mais famoso caso foi na reivindicação do “fique em casa”, palavra de ordem que mascarava a tentativa de impedir mobilizações populares sob a justificativa de “combate ao vírus”. 

Muitos escândalos surgiram durante o período: por exemplo, a indústria farmacêutica, como qualquer conglomerado usurário capitalista, visa ao lucro antes de tudo; disso, decorre as várias tentativas das empresas, em especial da Pfizer, de monopolizar o setor. Dessa competição de tubarões capitalistas, surgem vários interesses contraditórios aos dos trabalhadores, aos quais os ditos “cientistas” da imprensa burguesa não denunciam, antes os apoiam.

Um desses interesses para o fim de monopolizar o setor foi, no Brasil, a proibição do uso da Sputnik V – vacina russa que já é amplamente usada na Argentina, por exemplo. Para atender à vontade dos monopólios internacionais – inclusive dos governos imperialistas –, a ANVISA barrou a vacina e a imprensa burguesa defendeu a posição da agência; a esquerda, com a política de não se opor e atacar a terceira via, acaba se perdendo politicamente, não denunciando tais abusos.

Outro absurdo foi o perpetrado pela FDA, agência de saúde americana, que trabalha de maneira total para os monopólios da indústria farmacêutica. A FDA, a respeito da vacina da Pfizer, determinou que as 500 mil páginas apresentadas pela empresa para a agência permanecessem privadas, sendo totalmente entregues apenas em 2058. Isso, naturalmente, é um escândalo, afinal as informações sobre a vacina deveriam ser de conhecimento público, amplamente divulgadas.

O que chama a atenção e preocupa, em especial, é a posição confusa da esquerda para com o problema. Por exemplo, em relação ao escândalo supracitado, importantes setores da esquerda têm adotado a política errada de defender irrestritamente os monopólios – eles acusam quem deles discorda de “negacionismo”, de serem “contra a ciência”. Ao fim e ao cabo, esses setores acabam ficando, com a política de seguir, cegamente, as instituições burguesas ditas científicas, a reboque do imperialismo também nessa questão fundamental.

Outro tema que levantou histeria na esquerda pequeno-burguesa, promovida pela imprensa capitalista, foi a questão da vacinação de crianças. Para atender aos interesses dos Estados Unidos, a imprensa brasileira e os órgãos públicos, tais quais a ANVISA – que, aliás, é controlada de fora – fizeram pressão pela “vacinação infantil”. Isto é, crianças menores de 12 anos deveriam ser vacinadas – obviamente, esses setores defendem que seja utilizada a Pfizer. 

Essa campanha é feita mesmo com o índice de mortes infantis sendo baixíssimo, estando por volta de 1 por milhão. Enquanto isso, a universidade John Hopkins aponta que o número de casos em crianças de miocardite (uma complicação que não necessariamente leva à morte), resultado da vacinação, gira em torno das 50 por milhão. Além da miocardite, há também outras complicações que podem decorrer em crianças por conta da vacina.

Tendo em vista este cenário, não faz o menor sentido embarcar em uma campanha pela vacinação infantil, como se fosse ponto crucial e decisivo para o destino da pandemia – até porque faltam vacinas para os adultos e pessoas que realmente necessitam dela. Trata-se, apenas, de uma campanha para gerar lucro à indústria farmacêutica americana, impulsionada pelo governo dos Estados Unidos e ecoada por seus lacaios.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.