• Capa
  • Editorial
  • Burguesia segue torturando Abimael Guzmán após sua morte

Vingança

Burguesia segue torturando Abimael Guzmán após sua morte

Justiça peruana definirá se entrega o corpo de Guzmán à família ou dá-lhe sumiço.

Abimael Guzmán – Foto: reprodução

Receba o DCO no Email

Preso em 1992, ano do golpe de Fujimori no Peru, Abimael Guzmán, líder do Sendero Luminoso, morreu, aos 86 anos, na prisão. Mesmo após morto (talvez assassinado…quem sabe?!), Guzmán continua causando polêmica. A justiça peruana ainda está decidindo se entrega o cadáver do líder insurgente à sua família (o que seria o mais natural) ou se o coloca direto na fornalha.

Se observado apenas o ponto de vista legal, seria um total contrassenso, quando não uma imoralidade total, negar o direito da família de enterrar Guzmán. Mais do que isso, é uma total covardia destruir um cadáver simplesmente por vingança.

É na palavra vingança que devemos nos focar. Sejam os métodos de Guzmán e do Sendero Luminoso errados ou não, deve-se salientar o papel de ambos na história. O Peru é um país explorado violentamente pelo imperialismo. O Sendero Luminoso surgiu, então, como um movimento de reação de uma parcela oprimida. Isto não pode ser ignorado, goste-se ou não das ações de Guzmán e seus liderados.

Negar um enterro digno a Abimael Guzmán mostra, porém, uma faceta da história que tanto a burguesia quanto a imprensa burguesa tentam esconder. A popularidade do ex-líder do Sendero Luminoso. Fosse uma figura insignificante, um “Zé Ninguém”, não haveria polêmica alguma sobre o enterro de um simples defunto. Entretanto, alguém da popularidade de Guzmán está longe de ser um “Zé Ninguém”.

O próprio argumento do Ministério da Justiça do Peru comprova que Guzmán não era qualquer um. Segundo o ministro Aníbal Torres, “o Ministério Público deve… evitar que seja enterrado como qualquer outro preso, o que faria com que prestassem culto e homenagem a ele.”

Mais até do que vingança contra Guzmán e sua figura, a ação do Estado peruano é contra o Sendero Luminoso e qualquer memória da população peruana de que é possível, sim, rebelar-se contra a opressão. Poder-se-ia até dizer, de maneira irônica, que é uma tentativa de “cancelamento” de Abimael Guzmán e do Sendero Luminoso.

Isto mostra que o governo peruano não é tão “esquerdista” como diz boa parte da esquerda latino-americana. Menos “esquerdista” ainda é a posição canalha do “progressista” El País ao afirmar que Guzmán representa o “mal” no Peru.

Outro ponto não menos importante é observar o quão dispostos estão todos a negar direitos civis, apenas para satisfazer os interesses dos poderosos. Embarcar na histeria moralista da propaganda oficial da burguesia é o primeiro passo para a negação de todos os direitos.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.