Menu da Rede

20211024150250 1635096648042 1 1 (1)

Cristiano Ronaldo chuta jogador. E se fosse Neymar?

  • Capa
  • Editorial
  • A esquerda e os movimentos sociais precisam se unir aos indígenas

Luta pela terra

A esquerda e os movimentos sociais precisam se unir aos indígenas

Esquerda e movimentos de luta pela terra devem inserir as reivindicações indígenas e impulsionar a luta pelo fora Bolsonaro e a reforma agrária já

Indígenas fecham rodovias em todo país durante votação do Marco Temporal – Foto: reprodução

Receba o DCO no Email

As mobilizações contra a aprovação pelo Supremo Tribunal Federal (STF) da tese do Marco Temporal mostraram duas importantes lições para o movimento de luta contra a direita “civilizada” e o governo de Jair Bolsonaro. A primeira é a enorme tendência de mobilização existente entre a população brasileira que está sendo atacada diretamente pelos golpistas.

Foram duas importantes mobilizações durante algumas semanas para acompanhar a votação do Marco Temporal pelos ministros golpistas do STF, que se mostraram as maiores mobilizações indígenas desde 1988. Na primeira foram 6 mil indígenas e na segunda, na Marcha das Mulheres Indígenas, também mobilizadas contra o Marco Temporal, concentraram-se mais de 5 mil indígenas no acampamento em Brasília.

Essas duas enormes mobilizações mostraram que quando há uma campanha de mobilização e organização, as pessoas vão às ruas lutar contra a direita e o governo Bolsonaro.

A outra questão que ficou evidente foi a total ausência dos partidos de esquerda e de movimentos de luta pela terra nessa mobilização indígena contra o Marco Temporal. Apesar de algum apoio pontual em alimentação e transporte, não se viu um peso grande da esquerda na mobilização, apenas alguns discursos parlamentares que não servem para nada.

A ausência da esquerda nessas mobilizações enfraquece o movimento indígena e permite que os latifundiários, juntamente com os ministros do STF, façam algumas manobras para enfraquecer o movimento e encontrar uma maneira adequada de atacar os indígenas e suas terras.

Outro ponto é que, com a ausência de partidos da esquerda e de movimentos da luta pela terra, as reivindicações dos povos indígenas ficam à mercê das organizações não-governamentais, que não têm nenhuma ligação real com o movimento indígena e suas reivindicações básicas e imediatas. Essas ONGs financiam algumas “lideranças” conhecidas e algumas entidades “representativas”, mas que servem apenas aos interesses de países estrangeiros e setores da sociedade cujos interesses são alheios aos indígenas.

A política dessas ONGs foi vista dentro do acampamento, na tentativa de expulsar bandeiras de partidos políticos e de manipular uma grande mobilização combativa para transformá-lo em um movimento pacifista e de passeatas em defesa da “natureza” para agradar os países estrangeiros. Uma forma de captar recursos para essas organizações.

Os indígenas estão sendo duramente atacados pela direita e pelo governo Bolsonaro e sua luta é importante para toda a população brasileira que sofre com os desmandos da direita, dos latifundiários e da pistolagem no campo. Para reverter esse quadro e colocar um programa real de defesa dos interesses dos povos indígenas, é preciso que a esquerda jogue peso nessas mobilizações e insira a pauta do movimento indígena na luta nacional pelo Fora Bolsonaro.

É preciso apoiar com estrutura para as mobilizações e mobilizar toda a população trabalhadora para a causa indígena, que é a mesma dos trabalhadores do campo e de outras comunidades tradicionais como os quilombolas. A causa principal é comum: a luta pela terra. Mas também uma série de reivindicações básicas para o desenvolvimento do campo e das populações indígenas, como postos de saúde, médicos, água, energia, escolas e muitas outras coisas para o desenvolvimento e segurança dos índios. E não apenas a defesa abstrata da natureza realizada pelas ONGs e países europeus, que na verdade possuem interesses antipopulares e imperialistas por trás dessas reivindicação.

A participação da esquerda é importante para obrigar o Estado a financiar os programas de desenvolvimento das terras indígenas e sua população, e não essas entidades que vivem de propaganda para captar recursos estrangeiros e que muitas vezes se colocam contra o desenvolvimento do país.

Partidos de esquerda e movimentos de luta pela terra devem inserir a pauta de reivindicações dos indígenas e unificar a luta pela reforma agrária, pelas demarcações e pelo fim do latifúndio, e que o Estado financie programas para o desenvolvimento das terras indígenas.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.