Menu da Rede

Putin:Ações da Europa no setor de energia é “suicídio econômico”

  • Capa
  • Colunistas
  • Ricardo Nunes: defender a língua guarani, não seus falantes

Moda identitária

Ricardo Nunes: defender a língua guarani, não seus falantes

Enquanto prefeito faz demagogia com o índio, tribo guarani em SP está abandonada pela prefeitura

Aldeia Takoa Pyau não tem saneamento básico – Foto: Reprodução

Receba o DCO no Email

Nesta semana, o desconhecido prefeito de São Paulo Ricardo Nunes (MDB) enviou um projeto à Câmara Municipal que tornaria a língua guarani a segunda língua oficial da cidade.

Com isso, o idioma indígena seria ensinado nas escolas, principalmente nos territórios indígenas, incentivada a ser usada nos meios de comunicação e tornaria obrigatório produzir campanhas publicitárias institucionais em português e guarani.

Um desavisado poderia até pensar: – “que bonito, o novo prefeito de São Paulo, substituto do fascista Bruno Covas, está preocupado com os índio0s”. Pura ilusão! O fascista Ricardo Nunes está entrando na moda identitária, a moda que finge se preocupar com os oprimidos, enquanto os mantém ainda sob opressão.

Em São Paulo, na zona noroeste, há uma aldeia guarani da etnia Tekoa Pyau com 600 indígenas, aos pés do pico Jaraguá. Os identitários do PSDB, no entanto, não se importam com as condições em que essa população vive.

A realidade desta aldeia é de pura miséria! O projeto incentivará o estudo nas escolas, mas quais escolas? As caindo aos pedaços, sem estrutura básica, como água potável, sem merenda. Quem não lembra do episódio da ração do Doria para as escolas de São Paulo, imagina o tipo de ração que mandariam para as crianças indígenas?

Para demonstrar a precariedade da maior aldeia guarani na cidade de São Paulo, em fevereiro deste ano, um jovem da tribo precisou fazer uma vaquinha virtual para trocar a caixa de eletricidade e disjuntores do poste da aldeia que queimou e deixou 92 famílias sem energia durante a pandemia. O prefeito Ricardo Nunes, antes de mandar projeto para a Câmara sobre a língua guarani, deveria garantir energia para essa população, mas serviços básicos não são a preocupação dos identitários…

Não precisa conhecer pessoalmente o local, uma busca rápida sobre a aldeia na internet e será fácil notar que a população está abandonada pela prefeitura, os Takoa sobrevivem a base de campanhas de caridade para arrecadar alimentos e suprir outras necessidades. Do governo estadual e municipal, as únicas iniciativas que temos notícia são de reintegração de posse. Direito à terra, como podemos ver, não é tema para o prefeito.

O projeto de tornar a língua guarani “cooficial”, assim como a campanha em torno da derrubada de estátuas de escravocratas, etc. é uma luta em defesa de um índio imaginário, pois os índios de carne e osso da atualidade estão passando por maus bocados na mão dos governos ditos democráticos, como o de João Doria. Esses golpistas estão prostituindo a luta do índio para fazer campanha eleitoral, trata-se apenas disso.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.