Menu da Rede

Debate do SBT serviu novamente para divulgar a terceira-via

Roberto França

Professor de Geopolítica da Universidade Federal da Integração Latino-Amerina - Unila. Militante do PCO, colunista e redator no Diário Causa Operária, redator no Jornal Causa Operária

  • Capa
  • Colunistas
  • Quem lustra o Big Stick de Biden? Brasil x Colômbia

Vassalos do imperialismo

Quem lustra o Big Stick de Biden? Brasil x Colômbia

Brasil tenta de todas as formas retirar o título da Colômbia, de vassalo máximo do imperialismo. Bastidores da visita de A. Blinken

A política do Big Stick que perdura – Fontes abertas

Receba o DCO no Email

Geopolítica do imperialismo

A política chamada de Big Stick foi implantada pelo Presidente Theodore Roosevelt Jr., entre 1901 e 1909, que assumiu após o famoso assassinato de Willian McKinley pelo anarquista, Leon Czolgosz, que seria executado por eletrochoque em 1901. Antes de morrer Czolgosz disse: “Eu matei o presidente porque ele era o inimigo da boa gente, dos bons trabalhadores. Não sinto remorso pelo meu crime”.

McKinlley foi eleito no vácuo da Grande Depressão, chamada de Pânico de 1893 e que perduraria até o início do século XX, apoiado por liga de anarquistas e outras forças consideradas, à época”, de “progressistas”, apesar do discurso vitorioso baseado no discurso “prosperidade e prata livre, que tem a ver com a política econômica do bimetalismo, contrariamente à defesa de Roosevelt do padrão-ouro.

McKinley, entretanto, como todo presidente estadunidense desde George Washington, seguiu o ritmo ditado pela Doutrina Monroe, uma geopolítica de cunho isolacionista e “anticolonial” do Presidente James Monroe entre 1817 e 1825. Em 2 de dezembro de 1823 Monroe fez discurso anual presidencial ao Congresso enaltecendo a “diplomacia e a defesa dos Estados Unidos”, bem como o fortalecimento das forças armadas da União.

O discurso de 2 de dezembro de 1823 é um esboço da política dos Estados Unidos, que, especialmente após a Guerra Civil (1861 – 1865). No discurso é apresentado a disposição em tomar o Alasca do Império Russo, expansão da população da União à Oeste e a vontade de potência, com elementos de geopolítica de caráter tipicamente imperial, porém, sob um discurso “pacífico” para os padrões dos Estados Unidos.

Entretanto, para fins desta coluna, nos deteremos à um país geoestrategicamente fundamental para a geopolítica do emergente imperialismo estadunidense, a Grã-Colômbia, uma República composta pelos atuais Equador, Venezuela, Colômbia e Panamá, que existiu entre 1821 a 1831. O Brasil, que é outro país de interesse para a coluna de hoje, não estava nos planos de James Monroe.

Quem dotaria a Doutrina Monroe de capacidade intervencionista seria o Almirante e geógrafo, Alfred Mahan, professor da Academia Militar (United States Military Academy), sediada em West Point, NY. Mahan, que lutou na Guerra da Secessão ao lado da União, conheceu, em 1877, aquele que sucederia a McKinley, Theodore Roosevelt.

O livro intitulado The Influence of Sea Power upon History, 1660–1783 é uma obra-prima de geopolítica e expõe todas as tarefas de dominação dos Estados Unidos em relação aos territórios em todo continente americano, a partir de uma grande armada marítima que pudesse fazer frente à “Rainha dos Mares”, a Inglaterra.

No livro é exposto tanto o crescimento da marinha dos Estados Unidos, como os países a serem tomados e como organizar a melhor forma de comércio, incluindo a construção do canal do Panamá e a construção de portos e bases no Pacífico, principalmente, a fim de não colidir com as colônias europeias no Caribe e Atlântico, muito embora não descartasse essa possibilidade.

Embora o Canal do Panamá tenha tido construção iniciada pela França em 1880, foi comprado justamente no governo Roosevelt, em 1904, que assumiu o término da obra, graças à visão geoestratégica de Mahan, associada à política do “fale macio, mas carregue um grande porrete”. Roosevelt utilizou pela primeira vez essa frase tão aclamada na Feira Estadual de Minnesota, em 2 de setembro de 1901, somente doze dias antes do assassinato do presidente William McKinley.

A dupla de “progressistas” foi responsável por uma série de intervenções e viciou os Estados Unidos em praticar a “diplomacia do dólar” e a “diplomacia das canhoneiras”. Entre os dois considerados “progressistas” foram realizadas intervenções em 1898, Porto Rico e Cuba; 1899, Nicarágua; 1902, Venezuela; 1903, República Dominicana e Colômbia; 1904, República Dominicana e Guatemala; 1906-1903, Cuba; 1907, República Dominicana; 1909. Essa política expõe o caráter da geopolítica dos Estados Unidos até os dias de hoje, que é acalentar as classes médias com demagogias como Square Deal, um programa de conservação de recursos naturais, controle mínimo sobre as corporações e relativa proteção dos consumidores.

Colômbia, o primeiro sul-americano a tomar o Big Stick

captura de tela 2021 10 27 191608 1
Charge do “progressista” Rooselvelt

A Colômbia conquistou sua independência em 1819 e dois anos depois constituiu a Grã-Colômbia, juntamente à Venezuela, Equador e Panamá, uma potência geoestratégica e com capacidade de fazer frente à política de dominação imperialista. Porém, com a política de James Monroe, a Colômbia foi desestabilizada pelos Estados Unidos, separando-se da Pátria Grande idealizada por Simón Bolívar, constituindo governos altamente reacionários e antipopulares. Transitou entre o conservadorismo político e o liberalismo.

Em 1903, o Panamá sofre intervenção como parte da forma de pagamento do Canal, separando-se da Colômbia, que perdeu seu território fundamental de articulação logística entre as embarcações que cruzavam os dois oceanos mais importantes do mundo, o Pacífico e o Atlântico. Essa perda territorial também foi resultado da Guerra do Mil Dias, entre liberais e conservadores.

Sendo o primeiro país eleito para intervenção pelos Estados Unidos, a Colômbia jamais vivenciou experiência que se aproximasse sequer de um “nacional-desenvolvimentismo”, em virtude do aprofundamento da disputa interna entre duas facções políticas que guerreavam entre si para ser o sócio majoritário do país da América do Norte. Algo mais próximo de uma experiência “nacionalista e popular” foi lançada pelo Partido Liberal, para o mandato de 1950 a 1954, o ex-Prefeito de Bogotá, Jorge Eliécer Gaitán.

Gaitán foi assassinado em 1948, levando à uma reação popular violenta conhecida por El Bogotazo, uma revolta que destruiu o Centro de Bogotá e levou a morte do suposto assassino, Juan Roa Sierra, de forma bárbara e brutal. Evidentemente que Gaitán não era um revolucionário, mas sua biografia e o modo como a população se ergueu, demonstra a possibilidade de um pequeno período de conciliação e reformas.

Após esse evento a Colômbia vivenciaria uma das maiores ondas de violência e extrapolação da luta de classes, chegando nas décadas de 1950 e 1960, à formação de organizações de esquerda sob forte organização no campo e na cidade. Em 1964, a partir dessas contradições surge as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – Exército do Povo (FARC-EP), sendo constituído por quase 16 mil guerrilheiros no auge, quando as FARC ameaçavam, de fato, o poder das oligarquias urbanas e rurais que sempre dominaram a Colômbia.

Antes mesmo da famosa “Guerra às Drogas”, entre as décadas de 1980 e 1990, os Estados Unidos já compunham grupos Paramilitares para combater a guerrilha, autoproclamada Revolucionária, colocando a Colômbia em estado permanente de sítio e de profunda violência, levando à miséria de milhões de pessoas, que cada vez mais, contraditoriamente, eram empurradas para o narcotráfico, desde a produção até a logística de distribuição. Após a “Guerra as Drogas” a Colômbia continua sendo um país miserável e controlado por traficantes e governos cada vez mais reacionários, até chegar ao governo atual de Iván Duque, o mais ditador entre todos os governos desse país.

Iván Duque e suas relações com os Estados Unidos: a visita de Antony Blinken

Iván Duque Marquez é a expressão máxima do pensamento oligárquico, conservador e burguês de seu país. Sua trajetória política está relacionada a uma tradição oligárquica da Colômbia profunda, sempre na ala mais à direita da direita colombiana. Sua vinculação com o estabilishment, sempre pendurado em altos cargos governamentais e órgãos financeiros internacionais para a América Latina.

Além da carreira política vinculada à tradição conservadora da Colômbia, sendo ideólogo do conservadorismo e do pensamento de extrema-direita, Duque foi braço direito do Governo Álvaro Uribe, que até 2018, quando ocorreu a última eleição para Presidente, foi o serviçal de maior prestígio dos Estados Unidos por colocar a Colômbia em estágio de violência mais extrema e ditatorial que qualquer período anterior.

Após vitória de Ivan Duque em 2018, somado ao acordo de paz feito pelo seu antecessor, Juan Manuel Santos, com as FARC-EP em 2016, uma série de medidas antipopulares foram tomadas pelo governo sem que pensassem que os conflitos que já duram mais de 60 anos, pudessem chegar às cidades e recrudescer no campo, por militantes egressos das FARC.

O governo neoliberal de Duque realiza uma série de reformas, utilizando um grande aparato repressivo, com forte financiamento dos Estados Unidos. Entre essas reformas estão o financiamento de gastos públicos com elevação do Imposto sobre Valor Agregado (IVA), que incidiu em aumento de preços em todas as cadeias produtivas, que foi o estopim para as jornadas de manifestações entre 2019 e 2021, encerrando brevemente o ciclo a partir de novos acordos com o Congresso, inclusive a pequena representação de esquerda.

Após as jornadas de protestos, Duque chamou seu dono para uma conversa supostamente sobre uma “pauta ambiental”, que é a “Defesa da Amazônia”. No último dia 20, Antony Blinken, Secretário de Estado dos Estados Unidos, esteve em Bogotá para negociar um novo Pacto.

De acordo com a francesa e imperialista RFI:

O chefe da diplomacia americana, Antony Blinken, garantiu nesta quinta-feira (21) que o governo dos Estados Unidos lançará um pacto regional para reduzir o desmatamento em toda a Amazônia, em um esforço para mitigar uma das causas do aquecimento global. A declaração foi feita durante uma visita do secretário de Estado à Colômbia. O representante de Washington chegou a ser questionado sobre a política ambiental do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, mas se recusou a responder. “Podemos dar grandes passos para lidar com a crise climática”, disse Blinken após um passeio pelo jardim botânico de Bogotá. Durante a visita, ele conheceu alguns projetos apoiados pelo governo dos Estados Unidos para promover o turismo, o cultivo do cacau e outras alternativas econômicas à extração de madeira

Não menos imperialista, a France 24 explica que “Blinken saúda parceria EUA-Colômbia, mas busca mudança do foco militar”. De acordo com a France 24, Blinken, elogiou “o líder de direita da Colômbia como um parceiro-chave em preocupações fundamentais, incluindo a migração, enquanto ele buscava se afastar do foco militar das alianças dos EUA na América Latina”.

O periódico destaca, ainda, que Blinken falou a Duque que é preciso “acabar com a impunidade como sabemos também é uma das melhores maneiras de prevenir abusos de direitos daqui para frente”, sobre as mortes de pessoas que protestavam contra o governo Duque, mas Blinken chamou Duque de “um amigo muito valioso dos Estados Unidos”.

Por trás do suposto Pacto para defender a Amazônia, a questão migratória foi abordada como arma contra a Venezuela. De acordo com a reportagem da France 24, “a Colômbia já abriga 1,3 milhão de migrantes da vizinha Venezuela, cuja economia está em queda livre sob o forte esquerdista Nicolas Maduro – um inimigo amargo de Duque, que na quarta-feira denunciou novamente a “ditadura ignominiosa, corrupta e traficante”.

No mesmo dia, o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro apoiava a iniciativa de uma comissão bilateral com a Colômbia para avançar na normalização das relações diplomáticas e comerciais. “Parece-me um passo tremendo que o Congresso da Colômbia e a Assembleia Nacional da Venezuela tenham concordado com uma comissão bilateral”. Essa movimentação de Maduro no tabuleiro é um alerta de defesa, preparando-se contra uma possível intervenção dos Estados Unidos, que alimentaria a Colômbia com militares e paramilitares na fronteira.

DUQUE: GAROTO DE RECADO DE BOLSONARO OU GRANDE LÍDER LATINO-AMERICANO PARA ASSUNTOS ESTADUNIDENSES?

No dia 19 de outubro, um dia antes da visita de Blinken à Colômbia, o Secretário de Estado estava em visita à Lasso no Equador, enquanto Bolsonaro recebia Iván Duque em Brasília. O que foi tratado com Lasso seguiu a mesma pauta migratória apresentada na Colômbia, o que sinaliza para uma política de intensificação da pressão sobre os governos sul-americanos, especialmente após vazamentos do Pandora Papers, uma organização que faz parte do consórcio da Open Society. Lasso encontra-se em situação difícil e recrudesceu a repressão no Equador.

Enquanto Blinken não pode se encontrar com Bolsonaro para manter o Plano Biden de não se “sujar com Bolsonaro”. Contudo, a visita de Iván Duque o coloca como um garoto de recados dos planos entre Estados Unidos e Brasil, que inclui, muito provavelmente, a mesma pauta migratória e militar, já que as forças armadas estadunidenses têm feito visitas constantes ao Brasil.

O governo brasileiro, aparentemente utilizou-se de mais uma mentira sobre a visita de Duque, pois o site oficial expõe um acordo já realizado em 2017, O Acordo de Complementação Econômica nº 72 (ACE 72), enquanto veículos da mídia tradicional, como por exemplo, Estado de Minas, chega a falar em um suposto “pacto pela Amazônia”, o que amplia as especulações em torno de um projeto militar amplo para a região combater opositores e a Venezuela.

Enfim, quem é o maior vassalo da América do Sul

Difícil de concluir quem é o maior vassalo.

Biden e seu Capacho

Depreende-se que o Brasil quer servir de base estadunidense, e cumprir um papel de executor dos planos dos Estados Unidos, porém, a Colômbia possui uma história de amor aos Estados Unidos, uma esquerda “espontaneísta” e um direitista que serve de office boy de Joe Biden e de Bolsonaro ao mesmo tempo. Por essas razões, a Colômbia continua com o título de vassalo mor da América do Sul mais distante de se livrar da tirania da extrema-direita, porém, o Brasil dá passos largos para tornar-se a bola da vez do Big Stick de Joe Biden, porém, lustra o taco às escondidas, como os michês que frequentam o Planalto.

A opinião dos colunistas não reflete, necessariamente, a posição deste diário.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais

A ditadura do judiciário contra os trabalhadores

7/9: Uma demonstração de força e covardia

Onde está a democracia no tempo de TV e nos recursos eleitorais?

Esquerda se junta à direita na defesa do sistema eleitoral

Esquerda desnorteada, pede que Moraes nos salve de Bolsonaro

Leandro Brugnago Denuncia a Ditadura do STF

Em Brasília, lotar as ruas como na Cinelândia e em Diadema

Depois de Jonhson, Biden será a próxima vítima da guerra?

Uma política para a CUT e os sindicatos diante do recorde de fome

É a fome!

alexandre moraes stf 913.jpg

O PCO não está só na luta pelas liberdades democráticas

STF fora do controle popular é ditadura!

10 mil contra 11

pm rj

Parar as chacinas, dissolver a Polícia

“Garimpeiro não é bandido, é trabalhador”

Os “amigos da onça” são uma ameaça contra Lula

A disputa  é pelo comando do golpe e não para impedí-lo

Ficou provado que “centrais de brinquedo” não mobilizam ninguém

Querem “roubar” o candidato dos trabalhadores

Romper a paralisia e reverter o fiasco do 1º de Maio

Policial não é trabalhador

Todos na rua, por Lula ou nada!

Revogar a reforma trabalhista tendo Alckmin à frente?

CSN, garis, professores x Conclat: dois caminhos, duas políticas

De São Paulo a Dubai, de Budapeste a Islamabad e de 1915 a 2022

O Brasil é favorito na copa?

Criminalização do nazismo é desculpa para incriminar o comunismo

Para arrancar os 33,24% convocar uma greve nacional da Educação

33,24% seminário

Doria e prefeitos armam golpe contra reajuste de 33,24%

lulajá

Não apoiar Lula por conta de seus aliados é um erro a ser evitado

Contra o golpe do reajuste de 0% para o piso dos professores

conferência sindical mesa

Conferência aprovou luta contra reformas e por Lula presidente

O golpe de Boulos e do PSOL contra o PT e em favor da direita

alckmin e doria firmam parcerias entre estado e município

Os ataques de Doria aos professores e o fracasso da frente ampla

Iniciar uma campanha militante e de massas em torno de Lula

Agora! Natália Pimenta no Pânico da Jovem Pan

Todos na Paulista: é Lula contra Bolsonaro e toda a direita

Petistas reagem à chapa com Alckmin e chantagem do PSB

Às ruas por Lula presidente com vice das lutas populares

ato paulista 7:11:21

Dia 12 é na Paulista por Fora Bolsonaro e Lula presidente

carteira vazia

Recessão e inflação: defender os salários com “gatilho”

alckmin e aceio paulista

Nós professores não queremos Alckmin. Nenhum trabalhador quer!

A esquerda que se opõe às ideias e à luta revolucionária

Contra o roubo dos salários, lutar pelo “gatilho salarial”

Unir já toda a esquerda e o povo por Lula presidente!

20 novembro

Neste sábado: abaixo o massacre do povo negro, Lula presidente!

Bloco Vermelho presta apoio a Cuba e convoca ato de solidariedade

“Plenária Vermelha”: uma vitoria contra a politica de capitulação

lula pco abc

Plenária Nacional do Bloco Vermelho agrupa contra a frente ampla

Mais de 150 assinaturas convocam Plenária Lula Presidente

cartaz plenária nacional

Dirigentes do PT, PCO, CUT e PCPB convocam Plenária Nacional

Aprender da derrota diante de Doria em SP

Servidores/SP: é preciso ir além da “pressão” parlamentar

Uma Plenária Nacional por Fora Bolsonaro e Lula presidente

A “esquerda” que luta contra a candidatura de Lula

“Centrais” golpistas atacam a CUT para defender carrascos do povo

PSOL decide não ter candidato mas não aprova apoio a Lula

Inflação dispara e mostra tendência geral de agravamento da crise

Fora todos os carrascos dos trabalhadores dos atos da esquerda!

Gilmar Mendes libera grandes empresas de pagar trabalhadores

Crise divide a direita e votação da “reforma” é adiada

BolsoDoria quer privatizar Sabesp, Petrobras e portos

Globo escancara o golpe da 3ª via e transmitirá primárias do PSDB

Quem vai deter Bolsonaro?

Dia 7/9, tomar as ruas contra a ditadura de Bolsonaro e Doria

BolsoDoria quer limpar o caminho para Bolsonaro desfilar

As lições do dia 18/8 e a mobilização de 7 de setembro

Por ruas ainda mais vermelhas, sem a direita, por fora Bolsonaro

Wilson Witzel depõe hoje na mais nova sessão da CPI da Covid

Direita manobra e mantém mecanismos ditatoriais mesmo sem LSN

1º de Maio na Sé: vitória da mobilização contra a paralisia

Mais um passo na privatização da CEF

Contra as demissões é preciso ocupar a LG

Presença de Lula ‘enfraquece’ a direita

Com Lula, por um governo dos trabalhadores

24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais

A ditadura do judiciário contra os trabalhadores

7/9: Uma demonstração de força e covardia

Onde está a democracia no tempo de TV e nos recursos eleitorais?

Esquerda se junta à direita na defesa do sistema eleitoral

Esquerda desnorteada, pede que Moraes nos salve de Bolsonaro

Leandro Brugnago Denuncia a Ditadura do STF

Em Brasília, lotar as ruas como na Cinelândia e em Diadema

Depois de Jonhson, Biden será a próxima vítima da guerra?

Uma política para a CUT e os sindicatos diante do recorde de fome

É a fome!

alexandre moraes stf 913.jpg

O PCO não está só na luta pelas liberdades democráticas

STF fora do controle popular é ditadura!

10 mil contra 11

pm rj

Parar as chacinas, dissolver a Polícia

“Garimpeiro não é bandido, é trabalhador”

Os “amigos da onça” são uma ameaça contra Lula

A disputa  é pelo comando do golpe e não para impedí-lo

Ficou provado que “centrais de brinquedo” não mobilizam ninguém

Querem “roubar” o candidato dos trabalhadores

Romper a paralisia e reverter o fiasco do 1º de Maio

Policial não é trabalhador

Todos na rua, por Lula ou nada!

Revogar a reforma trabalhista tendo Alckmin à frente?

CSN, garis, professores x Conclat: dois caminhos, duas políticas

De São Paulo a Dubai, de Budapeste a Islamabad e de 1915 a 2022

O Brasil é favorito na copa?

Criminalização do nazismo é desculpa para incriminar o comunismo

Para arrancar os 33,24% convocar uma greve nacional da Educação

33,24% seminário

Doria e prefeitos armam golpe contra reajuste de 33,24%

lulajá

Não apoiar Lula por conta de seus aliados é um erro a ser evitado

Contra o golpe do reajuste de 0% para o piso dos professores

conferência sindical mesa

Conferência aprovou luta contra reformas e por Lula presidente

O golpe de Boulos e do PSOL contra o PT e em favor da direita

alckmin e doria firmam parcerias entre estado e município

Os ataques de Doria aos professores e o fracasso da frente ampla

Iniciar uma campanha militante e de massas em torno de Lula

Agora! Natália Pimenta no Pânico da Jovem Pan

Todos na Paulista: é Lula contra Bolsonaro e toda a direita

Petistas reagem à chapa com Alckmin e chantagem do PSB

Às ruas por Lula presidente com vice das lutas populares

ato paulista 7:11:21

Dia 12 é na Paulista por Fora Bolsonaro e Lula presidente

carteira vazia

Recessão e inflação: defender os salários com “gatilho”

alckmin e aceio paulista

Nós professores não queremos Alckmin. Nenhum trabalhador quer!

A esquerda que se opõe às ideias e à luta revolucionária

Contra o roubo dos salários, lutar pelo “gatilho salarial”

Unir já toda a esquerda e o povo por Lula presidente!

20 novembro

Neste sábado: abaixo o massacre do povo negro, Lula presidente!

Bloco Vermelho presta apoio a Cuba e convoca ato de solidariedade

“Plenária Vermelha”: uma vitoria contra a politica de capitulação

lula pco abc

Plenária Nacional do Bloco Vermelho agrupa contra a frente ampla

Mais de 150 assinaturas convocam Plenária Lula Presidente

cartaz plenária nacional

Dirigentes do PT, PCO, CUT e PCPB convocam Plenária Nacional

Aprender da derrota diante de Doria em SP

Servidores/SP: é preciso ir além da “pressão” parlamentar

Uma Plenária Nacional por Fora Bolsonaro e Lula presidente

A “esquerda” que luta contra a candidatura de Lula

“Centrais” golpistas atacam a CUT para defender carrascos do povo

PSOL decide não ter candidato mas não aprova apoio a Lula

Inflação dispara e mostra tendência geral de agravamento da crise

Fora todos os carrascos dos trabalhadores dos atos da esquerda!

Gilmar Mendes libera grandes empresas de pagar trabalhadores

Crise divide a direita e votação da “reforma” é adiada

BolsoDoria quer privatizar Sabesp, Petrobras e portos

Globo escancara o golpe da 3ª via e transmitirá primárias do PSDB

Quem vai deter Bolsonaro?

Dia 7/9, tomar as ruas contra a ditadura de Bolsonaro e Doria

BolsoDoria quer limpar o caminho para Bolsonaro desfilar

As lições do dia 18/8 e a mobilização de 7 de setembro

Por ruas ainda mais vermelhas, sem a direita, por fora Bolsonaro

Wilson Witzel depõe hoje na mais nova sessão da CPI da Covid

Direita manobra e mantém mecanismos ditatoriais mesmo sem LSN

1º de Maio na Sé: vitória da mobilização contra a paralisia

Mais um passo na privatização da CEF

Contra as demissões é preciso ocupar a LG

Presença de Lula ‘enfraquece’ a direita

Com Lula, por um governo dos trabalhadores

Blogues

A ditadura do judiciário contra os trabalhadores

7/9: Uma demonstração de força e covardia

Onde está a democracia no tempo de TV e nos recursos eleitorais?

Esquerda se junta à direita na defesa do sistema eleitoral

Esquerda desnorteada, pede que Moraes nos salve de Bolsonaro

Leandro Brugnago Denuncia a Ditadura do STF

Em Brasília, lotar as ruas como na Cinelândia e em Diadema

Depois de Jonhson, Biden será a próxima vítima da guerra?

Uma política para a CUT e os sindicatos diante do recorde de fome

É a fome!

alexandre moraes stf 913.jpg

O PCO não está só na luta pelas liberdades democráticas

STF fora do controle popular é ditadura!

10 mil contra 11

pm rj

Parar as chacinas, dissolver a Polícia

“Garimpeiro não é bandido, é trabalhador”

Os “amigos da onça” são uma ameaça contra Lula

A disputa  é pelo comando do golpe e não para impedí-lo

Ficou provado que “centrais de brinquedo” não mobilizam ninguém

Querem “roubar” o candidato dos trabalhadores

Romper a paralisia e reverter o fiasco do 1º de Maio

Policial não é trabalhador

Todos na rua, por Lula ou nada!

Revogar a reforma trabalhista tendo Alckmin à frente?

CSN, garis, professores x Conclat: dois caminhos, duas políticas

De São Paulo a Dubai, de Budapeste a Islamabad e de 1915 a 2022

O Brasil é favorito na copa?

Criminalização do nazismo é desculpa para incriminar o comunismo

Para arrancar os 33,24% convocar uma greve nacional da Educação

33,24% seminário

Doria e prefeitos armam golpe contra reajuste de 33,24%

lulajá

Não apoiar Lula por conta de seus aliados é um erro a ser evitado

Contra o golpe do reajuste de 0% para o piso dos professores

conferência sindical mesa

Conferência aprovou luta contra reformas e por Lula presidente

O golpe de Boulos e do PSOL contra o PT e em favor da direita

alckmin e doria firmam parcerias entre estado e município

Os ataques de Doria aos professores e o fracasso da frente ampla

Iniciar uma campanha militante e de massas em torno de Lula

Agora! Natália Pimenta no Pânico da Jovem Pan

Todos na Paulista: é Lula contra Bolsonaro e toda a direita

Petistas reagem à chapa com Alckmin e chantagem do PSB

Às ruas por Lula presidente com vice das lutas populares

ato paulista 7:11:21

Dia 12 é na Paulista por Fora Bolsonaro e Lula presidente

carteira vazia

Recessão e inflação: defender os salários com “gatilho”

alckmin e aceio paulista

Nós professores não queremos Alckmin. Nenhum trabalhador quer!

A esquerda que se opõe às ideias e à luta revolucionária

Contra o roubo dos salários, lutar pelo “gatilho salarial”

Unir já toda a esquerda e o povo por Lula presidente!

20 novembro

Neste sábado: abaixo o massacre do povo negro, Lula presidente!

Bloco Vermelho presta apoio a Cuba e convoca ato de solidariedade

“Plenária Vermelha”: uma vitoria contra a politica de capitulação

lula pco abc

Plenária Nacional do Bloco Vermelho agrupa contra a frente ampla

Mais de 150 assinaturas convocam Plenária Lula Presidente

cartaz plenária nacional

Dirigentes do PT, PCO, CUT e PCPB convocam Plenária Nacional

Aprender da derrota diante de Doria em SP

Servidores/SP: é preciso ir além da “pressão” parlamentar

Uma Plenária Nacional por Fora Bolsonaro e Lula presidente

A “esquerda” que luta contra a candidatura de Lula

“Centrais” golpistas atacam a CUT para defender carrascos do povo

PSOL decide não ter candidato mas não aprova apoio a Lula

Inflação dispara e mostra tendência geral de agravamento da crise

Fora todos os carrascos dos trabalhadores dos atos da esquerda!

Gilmar Mendes libera grandes empresas de pagar trabalhadores

Crise divide a direita e votação da “reforma” é adiada

BolsoDoria quer privatizar Sabesp, Petrobras e portos

Globo escancara o golpe da 3ª via e transmitirá primárias do PSDB

Quem vai deter Bolsonaro?

Dia 7/9, tomar as ruas contra a ditadura de Bolsonaro e Doria

BolsoDoria quer limpar o caminho para Bolsonaro desfilar

As lições do dia 18/8 e a mobilização de 7 de setembro

Por ruas ainda mais vermelhas, sem a direita, por fora Bolsonaro

Wilson Witzel depõe hoje na mais nova sessão da CPI da Covid

Direita manobra e mantém mecanismos ditatoriais mesmo sem LSN

1º de Maio na Sé: vitória da mobilização contra a paralisia

Mais um passo na privatização da CEF

Contra as demissões é preciso ocupar a LG

Presença de Lula ‘enfraquece’ a direita

Com Lula, por um governo dos trabalhadores

Movimentos

A ditadura do judiciário contra os trabalhadores

7/9: Uma demonstração de força e covardia

Onde está a democracia no tempo de TV e nos recursos eleitorais?

Esquerda se junta à direita na defesa do sistema eleitoral

Esquerda desnorteada, pede que Moraes nos salve de Bolsonaro

Leandro Brugnago Denuncia a Ditadura do STF

Em Brasília, lotar as ruas como na Cinelândia e em Diadema

Depois de Jonhson, Biden será a próxima vítima da guerra?

Uma política para a CUT e os sindicatos diante do recorde de fome

É a fome!

alexandre moraes stf 913.jpg

O PCO não está só na luta pelas liberdades democráticas

STF fora do controle popular é ditadura!

10 mil contra 11

pm rj

Parar as chacinas, dissolver a Polícia

“Garimpeiro não é bandido, é trabalhador”

Os “amigos da onça” são uma ameaça contra Lula

A disputa  é pelo comando do golpe e não para impedí-lo

Ficou provado que “centrais de brinquedo” não mobilizam ninguém

Querem “roubar” o candidato dos trabalhadores

Romper a paralisia e reverter o fiasco do 1º de Maio

Policial não é trabalhador

Todos na rua, por Lula ou nada!

Revogar a reforma trabalhista tendo Alckmin à frente?

CSN, garis, professores x Conclat: dois caminhos, duas políticas

De São Paulo a Dubai, de Budapeste a Islamabad e de 1915 a 2022

O Brasil é favorito na copa?

Criminalização do nazismo é desculpa para incriminar o comunismo

Para arrancar os 33,24% convocar uma greve nacional da Educação

33,24% seminário

Doria e prefeitos armam golpe contra reajuste de 33,24%

lulajá

Não apoiar Lula por conta de seus aliados é um erro a ser evitado

Contra o golpe do reajuste de 0% para o piso dos professores

conferência sindical mesa

Conferência aprovou luta contra reformas e por Lula presidente

O golpe de Boulos e do PSOL contra o PT e em favor da direita

alckmin e doria firmam parcerias entre estado e município

Os ataques de Doria aos professores e o fracasso da frente ampla

Iniciar uma campanha militante e de massas em torno de Lula

Agora! Natália Pimenta no Pânico da Jovem Pan

Todos na Paulista: é Lula contra Bolsonaro e toda a direita

Petistas reagem à chapa com Alckmin e chantagem do PSB

Às ruas por Lula presidente com vice das lutas populares

ato paulista 7:11:21

Dia 12 é na Paulista por Fora Bolsonaro e Lula presidente