Menu da Rede

Após protestos governo suspende implantação de passaporte vacinal

Paulo Amaro Ferreira

Historiador e professor de História em Caxias do Sul/RS, colunista do Diário da Causa Operária

  • Capa
  • Colunistas
  • O PCO foi o partido mais importante da esquerda em 2021

PCO e luta de classes

O PCO foi o partido mais importante da esquerda em 2021

No cenário da luta de classes brasileira, o PCO se destaca por ser o partido que mais mobilizou para combater não só o governo Bolsonaro como o conjunto da direita golpista

Ato PCO 1º de Maio em São Paulo – Foto: Montagem/DCO

Receba o DCO no Email

O ano de 2021 iniciou sob o estigma da pandemia do coronavírus, que no Brasil alcançou índices estratosféricos devido ao descaso dos governos federal e estaduais, que não apresentaram nenhuma medida efetiva de combate à pandemia. Enquanto o governo federal negava a própria gravidade da doença, a maioria dos governos estaduais, dirigidos pela direita tradicional, limitaram-se a levantar a palavra de ordem do “fique em casa”, cômoda para aqueles que desejam não fazer nada mantendo a aparência de estar fazendo alguma coisa.

Em contrapartida, a maior parte da esquerda, com a desculpa de combater o bolsonarismo e o chamado “negacionismo” da extrema direita, submeteu-se à política da direita tradicional, limitando-se a repetir o mantra do “fique em casa”, como se isso fosse resolver os problemas da população, atingida não só pela pandemia, mas também pelo desemprego, pela miséria e pela fome.

Dessa forma, 2021 encaminhava-se para ser mais um ano perdido para a esquerda, não fosse pelo PCO, único partido que destoou da política hegemônica da esquerda e que se negou a aceitar o “fique em casa”, colocando em marcha um plano de mobilização para classe trabalhadora brasileira. Foi assim que o PCO organizou o ato do 1º de maio em São Paulo, enquanto o restante da esquerda decidiu realizar um “ato” simbólico pela internet, que acabou caindo no ridículo diante do ato presencial do PCO em São Paulo.

O ato demonstrou que a palavra de ordem “fique em casa” era na verdade um grande embuste, criado pela direita para paralisar a esquerda enquanto os governos saqueavam o país e acabavam com os direitos dos trabalhadores. A partir do 1º de maio, a militância de base dos partidos da esquerda, principalmente do PT, acabaram por pressionar as suas direções para que as mesmas saíssem dos seus castelos ou de baixo da cama, e passassem imediatamente a fazer algo de concreto para combater a pandemia. Lembremos que, até então, o Brasil sequer tinha um programa de vacinação para a pandemia, e a população se encontrava completamente vulnerável ao vírus e aos governos da direita.

Porém, o ato do 1º de maio desencadeou toda uma série de mobilizações de rua, de atos pelo Fora Bolsonaro, que obtiveram, entre outros resultados, uma maior agilidade por parte do governo no programa de vacinação para combater a pandemia, que foi, diga-se de passagem, a única medida concreta tomada contra a doença. Podemos, dessa forma, perguntar: se não fosse o PCO ter realizado o ato do 1º de maio, e desencadeado uma série de mobilizações, teria o governo brasileiro acelerado a vacinação no país? Podemos supor que não, sabendo a natureza não só do governo Bolsonaro como da maioria dos governos estaduais.

As manifestações de rua pelo Fora Bolsonaro tomaram um vulto gigantesco. Em algumas cidades, ultrapassaram o número de cem mil pessoas, demonstrando que se apoiavam em uma base real de insatisfação contra o governo. E foi justamente no momento de ascenso do movimento que a direita tentou sequestrar as manifestações, infiltrando elementos que buscavam transformar os atos da esquerda em atos do verde amarelo, contando com a colaboração de setores inteiros da esquerda, com destaque para o PSOL e o PCdoB. E foi aí que, mais uma vez, o PCO salvou a esquerda desse desastre, expulsando a direita dos atos e organizando o bloco vermelho nas manifestações, garantindo que as mesmas não fossem tomadas pelo verde amarelo. Vendo que as manifestações de rua desembocavam, inevitavelmente no apoio à candidatura de Lula, a direita usou os seus representantes dentro da esquerda (PSOL e PcdoB), para desmobilizar os atos, contando infelizmente com a omissão da direção do PT, que entregou a direção dos atos nas mãos da esquerda pequeno burguesa, permitindo a desmobilização das manifestações.

Contudo, o PCO novamente atuou como a vanguarda da esquerda, anunciando o lançamento da candidatura de Lula para presidente, jogando água no chopp da esquerda que deseja sabotar a candidatura de Lula, apoiando uma candidatura da chamada terceira via.

Por último, mas não menos importante, está a recente ação do PCO em revelar toda a podridão imperialista por trás do queridinho da esquerda pequeno burguesa brasileira, Guilherme Boulos, que foi desmascarado ao ter seu nome vinculado às principais personalidades golpistas do nosso país, sendo funcionário de um instituto “parceiro” da CIA. O episódio Boulos-IREE se desdobrou ainda em outras revelações, como a recém-descoberta do financiamento dos comitês da campanha “não vai ter copa” pela fundação Ford, o que não deixou mais dúvidas a qualquer pessoa intelectualmente honesta dentro da esquerda sobre os vínculos de Boulos com o imperialismo norte-americano. Ainda estão muito recentes estas revelações e provavelmente virão à tona mais algumas pilhas de chorume nesse caso Boulos/IREE/Ford. Porém, o conjunto da esquerda operária brasileira pode, desde já, agradecer mais uma vez ao PCO, por desmascarar aquele que provavelmente seria uma peça chave para a continuidade do golpe de estado no Brasil no ano que vem, mas que agora encontra-se desgastado por todas essas revelações, que poderíamos inclusive comparar às da vaza jato, que desmoralizaram o ex-juíz Sérgio Moro.

É preciso enfatizar que toda essa atuação e esse protagonismo do PCO na luta política nacional requer um esforço gigantesco. Dezenas de militantes têm batalhado incansavelmente, se desdobrado em muitos, além do que tudo isso requer também um esforço financeiro considerável, que só foi possível graças à contribuição de milhares de companheiros da esquerda brasileira. Méritos para o PCO, que tem conseguido colocar em movimento não só os militantes do partido, como também muitos companheiros de outros partidos e organizações, desejosos por travar um combate incansável contra os golpistas de todos os matizes. Para um partido irrelevante, como advogam alguns, o PCO demonstrou um grande poder de intervenção na luta política real do Brasil neste 2021. O ano vai quase se encerrando, mas não sem deixar uma verdade inquestionável: o PCO foi, sem dúvida, o partido mais importante para a esquerda brasileira em 2021.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.