Menu da Rede

Brasil tem recorde de endividados em 2021

Luan Monteiro

Militante do Partido da Causa Operária e da Aliança da Juventude Revolucionária no Rio de Janeiro. Diagramador do jornal impresso Causa Operária, do jornal Partido e outras publicações. Formado em História e estudante da UERJ.

  • Capa
  • Colunistas
  • O identitarismo só protege os funcionários da frente ampla

Racismo ou direitismo?

O identitarismo só protege os funcionários da frente ampla

Esquerda frenteamplista saiu em defesa da presidenta da UNE, Bruna Brelaz, após entrevista para a imprensa golpista

Presidenta da UNE – Reprodução/Twitter

Receba o DCO no Email

A entrevista que a recém-empossada presidenta da UNE, Bruna Brelaz, deu para a Folha de S.Paulo teve grande repercussão nos veículos da esquerda. De tantas declarações absurdas, a maior delas provavelmente foi a de que há uma “rede de ódio” dentro da esquerda e que isso precisaria ser combatido. Como já mencionado em outra coluna aqui  no Diário Causa Operária, a fala de Brelaz explicita todo o seu medo das reações populares, como o que aconteceu com Ciro Gomes na Av. Paulista, em São Paulo.

De alguma forma, parece que a presidenta já estava prevendo o que viria acontecer após apresentar suas posições direitistas de forma bem clara, à todo o público. O cenário de mobilizações intensas indicou que não há espaço para a frente ampla e para a direita nas ruas. Da mesma forma, não só a população comum, mas também o conjunto da esquerda mais atuante, que tem de fato ido às ruas pela derrubada do governo Bolsonaro, não tolera mais essas alianças absurdas com a direita que promoveu o golpe de 2016.

Após defender o diálogo com o PSDB e com o MBL – responsáveis direto pelo golpe -, Bruna Brelaz sofreu mais uma vez as consequências de seu direitismo, sendo “vítima” da “rede de ódio” que, no final das contas, é apenas a manifestação de indignação de todo um setor militante que está de saco cheio desses dirigentes que não dirigem nada.

Ao ser novamente criticada, os apoiadores da frente ampla saíram correndo em sua defesa. Não faltou “sororidade” por parte de figuras do PCdoB, PSOL e PCB para dizer que Brelaz teria sido vítima de racismo, de machismo e o que mais fosse possível. A Revista Fórum, por exemplo, repercutiu as manifestações em defesa de Brelaz, como a de Jandira Feghali, também do PCdoB, que denunciou os “radicais bolsonaristas e outros de esquerda”.

No caso em questão, a presidenta da UNE alega ter sido vítima de racismo após alguém ter mencionado que ela seria mais uma negra servindo à casa grande. E é exatamente disso que se trata. No passado, vimos setores da esquerda ficarem ofendidos quando Fernando Holiday foi chamado de capitão-do-mato. O apontamento aqui, em ambos os casos, tem um cunho muito mais político do que racial. Ambos são serviçais que atuam, em diferentes escalas, à serviço da burguesia, a verdadeira exploradora da classe trabalhadora, dos negros, das mulheres, etc.

Essa demagogia só serve para defender um setor minoritário. A real política desses setores da frente ampla foi muito bem colocada pela própria Brelaz, quando disse que o PT estaria mais preocupado com o debate eleitoral, pelo fato de Lula estar liderando as pesquisas e menos comprometido com a frente ampla. “Isso é interessante para o PT, só que não acho interessante para o Brasil”, afirmou Brelaz. Na sequência da entrevista, a presidenta da UNE segue defendendo que o PT tenha mais atuação no projeto da frente ampla, que dialogue mais com os setores da direita.

Por trás de toda demagogia com as mulheres e os negros, há um trabalho intensivo para anular a candidatura de Lula e abrir espaço para o candidato da terceira via, da qual o PCdoB é um dos grandes entusiastas. Esse identitarismo nunca serviu para defender a ex-presidenta Dilma do golpe de 2016. Ou para defender as companheiras militantes do PCO que receberam uma cuspida de um dos funcionários de Ciro Gomes no último ato do dia 2 de outubro. É uma farsa completa!

Se fôssemos levar a luta contra essas opressões com tamanha demagogia, estaríamos aqui fazendo uma grande defesa de Lula pelo fato de ser nordestino. Lula é atacado diariamente pela imprensa golpista com todo tipo de calúnia, com acusações infundadas e muito mais. A disputa aqui, no final das contas, é meramente política. Não há porquê dessa esquerda, que não possui vínculo algum com os trabalhadores, defender a candidatura de Lula. Essa esquerda atua à reboque da política da direita, que é a de justamente tirar Lula da disputa política.

A presidenta da UNE, eleita sob um congresso farsante realizado virtualmente, sem a presença dos estudantes, deve arcar com as consequência de sua política direitista. A defesa das mulheres e dos negros aqui só serve para defender os funcionários da frente ampla, como a própria Bruna Brelaz, como Tabata Amaral, que recentemente ingressou no golpista PSB, como Isa Penna, que enfrentou a orientação nacional do PSOL e participou do ato do MBL no dia 12 de setembro e muitas outras. Todas foram criticadas por suas posições direitistas e, no caso de Tabata Amaral, por sua política abertamente neoliberal. O difícil para Bruna, neste caso, vai ser convencer todos os estudantes e trabalhadores de que ela de fato não está à serviço da Casa Branca ou, em termos mais contemporâneos, à serviço da burguesia.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.