Menu da Rede

Investigação aponta culpa de israelenses

Matheus Vetter

Operário metalúrgico, nascido em Blumenau, Santa Catarina. Membro da Corrente Sindical Causa Operária. Dirigente Nacional do PCO.

  • Capa
  • Colunistas
  • Moradores da Vila Bromberg apontam a saída: formar comitês de luta

Organizar os Trabalhadores

Moradores da Vila Bromberg apontam a saída: formar comitês de luta

Moradores da Vila Bromberg se organizam em comitês de luta para enfrentar o despejo

Reunião do Comitê de Luta de Blumenau – Matheus Vetter

Receba o DCO no Email

No dia 5 de outubro, os moradores da Vila Bromberg em Blumenau, Santa Catarina, foram surpreendidos ao acordar para iniciar mais um dia de trabalho e se deparar com um cerco criminoso organizado pelo prefeito da cidade, Mário Hildebrandt (Podemos), com apoio da Polícia Militar do Governador Carlos Moisés (PSL). O objetivo do cerco foi notificar as famílias que teriam 60 dias para demolir suas casas e se retirar do local.

5a5170ed 0cff 4276 8efd 6ca52c208890

A alegação da prefeitura para o pedido de despejo é que a população que está tendo que enfrentar o desemprego, a alta da inflação e a pandemia de COVID-19 cortou algumas árvores para ter um teto sobre as suas cabeças. Isso mesmo: passaram por cima de uma lei nacional, que proíbe os despejos até dezembro de 2021, por conta de supostos “crimes ambientais”, enquanto os garimpeiros e latifundiários desmatam à vontade.

b7661350 3bee 44b4 9047 b918fbbf0173
 

Nos reunimos com a comunidade nos dia 13 e 15 para organizar um plano de luta contra os despejos. Este plano consiste em mobilizar as comunidades da cidade em uma luta unificada, uma vez que o secretário de defesa civil da cidade, com o cessar da pandemia, deve estabelecer uma comissão multidisciplinar deve atuar nos bolsões de áreas de risco para fazer uma análise das edificações, notificar os moradores da existência do risco e orientar sobre as medidas.

Blumenau é a cidade de Santa Catarina com mais domicílios em aglomerados subnormais, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O termo é usado para moradias que estão agrupadas em regiões carentes de serviços públicos essenciais, como abastecimento de água, disponibilidade de energia elétrica e saneamento básico. Além disso, também integra casas construídas em terrenos públicos ou particulares de forma desordenada.

Segundo o Censo Demográfico de 2010 (período de relativa estabilidade econômica no país), eram 6,8 mil domicílios nessa situação em Blumenau, divididos em 17 regiões precárias, o que equivale a 6,7% do total de moradias particulares na cidade. Nesses locais, moram mais de 23 mil pessoas, em uma média de 3,4 moradores por domicílio. 

Cabe lembrar que estes números são de 2010, momento de relativa estabilidade econômica no país, de lá para cá o desemprego mais que triplicou e por consequência as moradias em área irregular.

07ffd25e f7c4 46a7 8c42 ed75a282c293

 

50f9fd5a 5a9f 4df6 93d8 ed51d1a2ae8a


Na última quarta-feira o Comitê de Luta – Blumenau chamou uma reunião para discutir um plano de luta contra os despejos na cidade, participaram desta reunião PCO, PT, PCdoB e PCB, moradores da Vila Bromberg, Morro da Garuva, Morro Dona Edith e Aldeia Urbana(Ocupação Urbana de indígenas Xokleng).

Nesta reunião foram encaminhadas importantes resolução como, a criação do Comitê de Luta da Vila Bromberg, que se reunirá toda terça-feira às 19h na comunidade e um ato público para o dia 04 de novembro em frente à prefeitura, além de 10 mil panfletos e carro de som nos bairros convocando a população a se somar a luta contra BolsoMário, o Despejador.

É um avanço na organização da luta contra os despejos na cidade e que pode servir de exemplo para outros locais, levando em consideração que esta questão deve ser um dos grandes problemas da classe trabalhadora em 2022.

Formar comitês de luta, organizar os trabalhadores, derrotar a burguesia!

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.