Menu da Rede

Burguesia não está disposta a deixar Lula governar para o povo

Victor Assis

Militante do Partido da Causa Operária desde 2016 e membro do Coletivo de Negros João Cândido. Colunista do Diário e apresentador da Causa Operária TV.

  • Capa
  • Colunistas
  • As desventuras de um prefeito do interior de Alagoas após a COP26

Exclusivo

As desventuras de um prefeito do interior de Alagoas após a COP26

Relato em primeira mão de nativo da cidade de Paragarituama

Cidade de Paragarituama – Imagem: Autoria desconhecida

Receba o DCO no Email

Trago aqui o relato de um grande amigo meu, nascido e criado na cidade Paragarituama, situada no noroeste alagoano, entre as cidades Canapi e Inhapi.

Nossa história começa com um discurso histórico do prefeito Toinho Amoroso, proferido no dia 12 de novembro.

Artigos Relacionados

“Meus povos, minhas povas de Paragarituama! Eu queria abraçar…. o ventríloquo esquerdo…. do coração de cada um de vocês. Só não abraço… porque o governo… não mandou álcool em gel para passar nas nossas veias”.

O público aplaudiu, e algumas senhorinhas chegaram a corar.

“Eu queria dizer… duas coisas. A primeira… é que vocês… não vão ter que sair mais de casa… para pagar o oferendo da igreja!”

O público aplaudiu com muito mais força.

“Vocês… agora… vão poder pagar pelo pixel!”

Toinho Amoroso era uma espécie de Sr. Satan com cabelos acajus e apenas 1,5m de altura.

“Eu fui… nas Europas… e falei: ‘o meu povo quer pagar em pixel. E só vou sair daqui… quando me derem… um saco de pixel… para eu levar para Paragarituama’!”

Toinho Amoroso seguiu enrolando por mais meia hora. Até que finalmente falou:

“A segunda coisa… e mais importante. Isso aqui… vai ser… uma revolução em Paragarituama… Nem a família de Biá, nem a família de Manduca… quando tiveram na prefeitura dessa cidade… nunca fizeram uma coisa tão eletrificante!”

Manduca e Biá eram os grandes rivais de Toinho Amoroso.

“Eu fui… na cidade de Engasgou, nas Escócias, e me deram a receita… da imortalidade. Nenhum cidadão, nenhuma cidadona… de Paragarituama… vai mais precisar morrer… de morte morrida. De matada… só vai ter se o delegado Maurício não trabalhar direito”.

O delegado Maurício, o solteiro mais disputado da cidade, acenou para as mulheres que gritavam na Praça da Batata.

“O segredo é que a gente precisa… parar de comer carne!”

O silêncio foi absoluto.

“A carne… é o que está matando… todos nós. O corangavíru… veio da carne da China. A gripe do porco… vem do porco. Os câncer… vêm da carne. Noé e Abraão… matavam os bichos para oferecer a Deus. Mas não comiam sua carne!”

As mesmas senhorinhas que coraram anteriormente agora balançavam a cabeça, concordando com o prefeito.

“Tem índio… que verve… mais de 500 anos… balançando o chocalho… E é porque… só come… mandioca”.

Os maiores puxa-saco do prefeito puxaram uma salva de palmas. Palmas para quem? Para os índios? Para a mandioca? Para Toinho Amoroso? Ninguém soube ao certo.

“De agora em diante, vou falar para vocês. Aqui, em Paragarituama, vai ser proibido comer carne. E eu conto… com o delegado Maurício… para que a gente consiga… salvar o nosso povo”.

Toinho Amoroso nunca falara tão sério em sua vida. Na primeira semana, fechou seis dos treze mercadinhos da cidade, acusados de comércio ilegal de proteína animal. Pelo menos cem pessoas foram colocadas na cadeia ao tentar contrabandear carne de cidades vizinhas. Outras seiscentas foram presas em inspeções de casa em casa. Isso tudo em uma cidade de 4.134 habitantes.

“Quatro mil, cento e trinta e dois. Os safados do Biá e do Manduca não são habitantes, só aparecem aqui em época de eleição”.

Depois de algumas semanas, a situação começou a se estabilizar. Aos poucos, os moradores de Paragarituama foram cedendo às maluquices do prefeito. Até que…

“Dona Fernanda descansou. Dormindo. De morte morrida”.

“Ah, velha safada. Estava comendo carne esse tempo todo. Bem que eu desconfiei”.

“Católica do jeito que era, ela não ia desobedecer o padre. Ela não comia carne, seu Toinho”.

“É claro que comia! Como mais teria morrido de morte morrida? Vicente, ligue agora para o delegado Maurício! Mande ele prender o defunto na cadeia pública”.

E assim foi feito. Jogaram o corpo de Dona Fernanda em um caixão, passaram uma corrente e colocaram numa cela. No jornal do dia seguinte, todo mundo viu a foto da ex-Dona Fernanda jazindo atrás das grades.

A ação teve consequências. A filha de Dona Fernanda organizou um pequeno comício, com cerca de vinte pessoas, em frente à delegacia. Biá veio correndo e fez um duro discurso, criticando Toinho Amoroso por ser “insensível” e por ter deportado a porquinha Joice, de propriedade de sua família.

O prefeito reuniu seus assessores para uma reunião de emergência. Acabou decidindo por liberar o corpo de Dona Fernanda e prender Biá e a filha da defunta.

O jornal da cidade, chefiado pelo sobrinho mais velho de Toinho Amoroso, chamou todos para o enterro de Dona Fernanda, que aconteceria no fim da tarde seguinte.

“Eu queria dizer a vocês… Fernanda é um exemplo… um orgulho para a nossa querida cidade de Paragarituama”.

Quase mil pessoas assistiam à cena.

“Eu não chorei com sua morte… porque, se eu chorasse, eu não estaria aqui hoje. Estaria chorando até agora”.

Uma das senhorinhas soltou um gritinho.

“Por isso, pedi a Deus que, na manhã de hoje, chovesse. Essa chuva que teve hoje… são as lágrimas que Dona Fernanda merece. São as lágrimas de todos os cidadãos e cidadonas… da cidade de Paragarituama”.

E seguiu.

“Queria pedir desculpas… em nome do delegado Maurício… por ter prendido a Dona Fernanda. Ele pensou que ela tinha traído o nosso povo… e comido… aquilo que o satanás quer que a gente coma”.

Toinho Amoroso fez uma pausa dramática.

“A verdade é que Dona Fernanda comeu carne. Mas ela comeu, justamente, para provar à sua filha e ao traidor do Biá que carne mata. Por isso, vou mandar fazer uma estátua… em homenagem à Dona Fernanda… na Praça da Batata… e colocar no lugar… da estátua do nosso fundador”.

O público aplaudiu em peso.

“Também mandei prender… os traidores da nossa bela cidade. A filha de Dona Fernanda e Biá serão enforcados às dez horas… na Praça da Batata”!

O público ficou na dúvida. Aplaudia? Comemorava? Demonstrava surpresa? Xingava Biá?

“E tem mais… Eu chamei aqui… O doutor em tropologia… Vanderlei Medeiros. Ele é de São Paulo… Ele quer estudar… essa que é a primeira cidade da história do ser humano… a proibir a carne. Também trouxe aqui… da Universidade de São Paulo… o filósofo… Guilherme Irê… para ensinar para a gente… que a carne faz mal”.

Dois homens brancos e louros, fazendo o maior esforço possível para não fazer cara de nojo, acenaram para o público.

“Você, Jesulino, o nosso magnifício coveiro cearense, veja só que coisa maravilhosa. Eles disseram que se você… parar de comer carne… a cabeça dos seus filhos… e dos seus netos… vai ficar menor. Você, dona Laura, veja bem… se continuar comendo linhaça… sua pança de Flávio Dino… vai virar uma tauba… de passar ferro”!

Toinho Amoroso conseguiu citar cinquenta motivos pelos quais o vegetarianismo seria um avanço para a cidade alagoana.

“Comer ovo… está liberado! Mas só ovo trazido de outras roças… ou então… que for plantado. Porque não quero ninguém… criando galinha na primeira cidade… que o doutor Medeiros chama… de mitifri“.

“É meat free, senhor”.

“Aqui… em Paragarituama… as palavras têm som diferente. Porque o vento sai das pedras, quica nas nuvens… e desce na diagonal. Por isso… aqui… a gente fala… mitifri“.

Os universitários prefiriram não entrar na discussão.

“Com isso, meus amados… eu digo só mais uma coisa. Em Fortaleza, eles comeram tanta carne, que estão virando zumbis do alquidédi. Vejam só o povo revirando o lixo, atrás de osso. É isso que Biá quer fazer com vocês!”

Agora, sim, o público entendeu o recado e começou a vaiar e a xingar Biá.

“Aqui… nosso povo… não passa fome. Aqui… ninguém… vai virar zumbi. Eu agaranto.. para todo e toda cidadona… que for honrado… que não for macumbeiro… que tiver um retrato meu em casa… que criar as filhas… do jeito certo… que criar os filhos… feito homem… sem sandália cróqui… nem cabelo laranja… nem assistindo filme da Coreia… vocês… eu agaranto… vão ganhar… dessa voz lubrificante que vos fala… uma saca de batata… uma caixa de repolho… três ovos… uma cabeça de alho… e um saquinho de feijão debulhado… todo dia”.

Era o que o povo precisava. Toinho foi ovacionado.

Dali em diante, as coisas começaram a dar bastante certo. Os moradores de Paragarituama, satisfeitos porque não precisavam mais comprar comida — viviam com as doações de Toinho. Toinho, mais do que satisfeito com sua popularidade: foi reeleito para mais quatro anos, tinha acabado com Biá e conseguido alimentar todo o seu povo em um momento em que o País começava a passar fome, graças ao dinheiro que os pesquisadores da USP passavam para ele.

Mesmo os dois gaúchos que faziam churrasco todo fim de semana estavam felizes. Depois de um período deprimidos, passaram a valorizar os espetinhos de beringela.

Guilherme Irê e Vanderlei Medeiros passaram a morar permanentemente em Paragarituama, numa mesma casa, viajando esporadicamente para apresentar o resultado das suas pesquisas na primeira cidade meat free da história.

“Vocês são gays?”

“Sim. Algum problema?”

“Não. Só peço aos senhores… sabe… que não façam isso em público. Sabe como é, né? Vai nessa que vai ver onde vai parar…”

A partir de um determinado momento, uma terceira pessoa passou a morar na casa de Guilherme Irê e Vanderlei Medeiros. Era Tablita Peperoni, a intérprete das falas dos estudiosos da USP. Por exemplo:

“Precisamos aprender a lidar com a problemática dos gêneros nas sociedades pós-modernas das periferias do sistema, nem que para isso tenhamos que lançar mãos dos mecanismos carcerários que hoje são usados contra a esmagadora maioria dos pretos, pretas e pretes, principalmente a mulher negra lésbica”.

“A partir de agora, quem xingar algum viado, vai para a cadeia”.

Tablita trabalhava bem, e sabia lidar com todo o palavreado esquisito de Irê e Medeiros. A única vez em que meteu Toinho em uma enrascada foi quando o prefeito precisou comprar uma passagem para que ela acompanhasse os universitários em uma palestra no Paraná.

“Seu nome é Fábio Bezerra?! Como assim seu nome é Fábio… Bezerra?!”

“Meu nome de nascimento. Hoje sou Tablita Peperoni. Só uso o nome de Fábio quando pedem meus documentos”.

Com os moradores de Paragarituama, houve alguns problemas, é claro. Mas Toinho Amoroso soube tirá-los de letra.

“Prefeito, as crianças estão demorando o dobro do tempo para aprender a tabuada”.

“Então agora toda escola vai ser integral, para eles estudarem o dobro do tempo”.

“Prefeito, os alunos estão desmaiando na sala de aula”.

“Vicente, encomenda um caminhão de Biotônico Fontoura aí”.

“Prefeito, os patrões estão tudo reclamando que o pessoal tá preguiçoso e mole no trabalho”.

“Pega uma cambada dos mais preguiçosos e leva de carroça para a Bahia”.

Até que, em um dado momento, uma informação deu um nó na cabeça de Toinho Amoroso.

“Senhor, tenho aqui um relatório dos ambientalistas. Nos últimos dois anos, a quantidade de gases emitidos pelos moradores de Paragarituama aumentou 2.700%, devido à ingestão de repolho, ovos e outros alimentos”.

“O relatório é científico?”

“É. Incontestável”.

Toinho Amoroso ficou branco. Convocou na mesma hora o gabinete de crise.

“Guilherme Irê, Vanderlei Medeiros! Estamos destruindo a camada de ozônio”.

Guilherme Irê e Vanderlei Medeiros não moveram um músculo.

“É sério que você, esse tempo todo, estava preocupado com a camada de ozônio?”

“Mas… mas é claro. Foi isso o que disseram em Engasgou. Se… se a gente continuasse comendo carne, as calotas polares iam derreter e os ursos…”

Uma lágrima escorreu dos olhos de Toinho. Lembrara de seu ursinho de pelúcia, o Pimpão.

“Toinho, relaxa. A única vez que vi um peido matar alguém foi no filme do South Park. Querer impedir a emissão de gás carbono é tão inútil quanto ter xoxota e ir morar em Pelotas”.

“Mas… você não defende o meio ambiente? Pera aí… Você fez uma piada homofóbica?”

Os três se olharam. Não falaram nada, mas todos entenderam a mesma coisa. Acabou. O prefeito iria romper com todo o esquema.

Medeiros e Irê decidiram se antecipar. Ligaram para o instituto onde trabalhavam e que dava o dinheiro para o projeto meat free. Conseguiram a autorização que precisavam.

Em menos de duas horas, Medeiros e Irê já estavam na Praça da Batata. As pessoas não paravam de chegar.

“Amigues de Paragarituama, viemos aqui fazer uma importante revelação. Toinho Amoroso quer castigar os nossos corpos! Vamos mostrar a vocês um áudio que mostra o prefeito agindo como um homofóbico”.

E colocaram para tocar a conversa em que Toinho falava: “vai nessa que vai ver onde vai parar”.

Ninguém se mexeu. Na verdade, ninguém ligou. O silêncio absoluto foi, enfim, rompido pela voz de Toinho Amoroso, que gritava do outro lado da praça.

“Meu povos… minha povas de Paragarituama. Esses dois… são dois impostores. Dois falsos vegetarianos! Dois falsos gays”!

Toinho Amoroso lembrou de uma cena desagradável que presenciara entre Irê, Medeiros e um par de línguas.

“Quer dizer, dois gays, que são falsos anti-homofóbicos! Eles só vieram para cá… para usar a gente… no doutorado deles nos Estados Unidos. Olhem aqui… o que achei… na bolsa deles”.

Toinho Amoroso tirou uma peça de picanha gigante na bolsa. A embalagem estava lacrada, com uma etiqueta escrito “Made in USA“.

“Nossos filhos estão fracos… nossos alunos não aprendem mais… porque eles mentiram para a gente”.

Vanderlei Medeiros e Guilherme Irê demonstraram a intenção de abrir a boca para se explicar. Mas não conseguiram. Todos partiram furiosos para cima dos universitários.

Não deu cinco minutos, e uma fogueira já ardia bem no centro da Praça da Batata. O corpo de Guilherme Irê, amarrado a um tronco, foi o primeiro a defumar. Vanderlei Medeiros implorou, gritou, mas teve o mesmo destino.

O pensamento dos moradores de Paragarituama era o mesmo. Estavam há muito tempo sem comer carne. E para nada! Ninguém aguentava mais. Bastou que o primeiro arrancasse um dedo, para que todos os outros 4.130 habitantes da cidade, sem exceção alguma, enfiassem na boca algum pedaço de seus inimigos.

Comeram quase tudo: cabeça, ombros, joelhos, costelas. Só sobrou, de cada universitário, uma parte entre a lombar e as coxas.

No final, dois franzinos jovens gaúchos pediram para comer a única parte que sobrou.

Toinho Amoroso ficou pensativo. Lembrou de tudo o que tinha passado, e chegou à seguinte conclusão: os verdadeiros inimigos dele estavam na brasa. Não iria mais brigar com o seu povo.

“Fiquem à vontade”, disse rindo, entregando um garfo para cada um.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais

A ditadura do judiciário contra os trabalhadores

7/9: Uma demonstração de força e covardia

Onde está a democracia no tempo de TV e nos recursos eleitorais?

Esquerda se junta à direita na defesa do sistema eleitoral

Esquerda desnorteada, pede que Moraes nos salve de Bolsonaro

Leandro Brugnago Denuncia a Ditadura do STF

Em Brasília, lotar as ruas como na Cinelândia e em Diadema

Depois de Jonhson, Biden será a próxima vítima da guerra?

Uma política para a CUT e os sindicatos diante do recorde de fome

É a fome!

alexandre moraes stf 913.jpg

O PCO não está só na luta pelas liberdades democráticas

STF fora do controle popular é ditadura!

10 mil contra 11

pm rj

Parar as chacinas, dissolver a Polícia

“Garimpeiro não é bandido, é trabalhador”

Os “amigos da onça” são uma ameaça contra Lula

A disputa  é pelo comando do golpe e não para impedí-lo

Ficou provado que “centrais de brinquedo” não mobilizam ninguém

Querem “roubar” o candidato dos trabalhadores

Romper a paralisia e reverter o fiasco do 1º de Maio

Policial não é trabalhador

Todos na rua, por Lula ou nada!

Revogar a reforma trabalhista tendo Alckmin à frente?

CSN, garis, professores x Conclat: dois caminhos, duas políticas

De São Paulo a Dubai, de Budapeste a Islamabad e de 1915 a 2022

O Brasil é favorito na copa?

Criminalização do nazismo é desculpa para incriminar o comunismo

Para arrancar os 33,24% convocar uma greve nacional da Educação

33,24% seminário

Doria e prefeitos armam golpe contra reajuste de 33,24%

lulajá

Não apoiar Lula por conta de seus aliados é um erro a ser evitado

Contra o golpe do reajuste de 0% para o piso dos professores

conferência sindical mesa

Conferência aprovou luta contra reformas e por Lula presidente

O golpe de Boulos e do PSOL contra o PT e em favor da direita

alckmin e doria firmam parcerias entre estado e município

Os ataques de Doria aos professores e o fracasso da frente ampla

Iniciar uma campanha militante e de massas em torno de Lula

Agora! Natália Pimenta no Pânico da Jovem Pan

Todos na Paulista: é Lula contra Bolsonaro e toda a direita

Petistas reagem à chapa com Alckmin e chantagem do PSB

Às ruas por Lula presidente com vice das lutas populares

ato paulista 7:11:21

Dia 12 é na Paulista por Fora Bolsonaro e Lula presidente

carteira vazia

Recessão e inflação: defender os salários com “gatilho”

alckmin e aceio paulista

Nós professores não queremos Alckmin. Nenhum trabalhador quer!

A esquerda que se opõe às ideias e à luta revolucionária

Contra o roubo dos salários, lutar pelo “gatilho salarial”

Unir já toda a esquerda e o povo por Lula presidente!

20 novembro

Neste sábado: abaixo o massacre do povo negro, Lula presidente!

Bloco Vermelho presta apoio a Cuba e convoca ato de solidariedade

“Plenária Vermelha”: uma vitoria contra a politica de capitulação

lula pco abc

Plenária Nacional do Bloco Vermelho agrupa contra a frente ampla

Mais de 150 assinaturas convocam Plenária Lula Presidente

cartaz plenária nacional

Dirigentes do PT, PCO, CUT e PCPB convocam Plenária Nacional

Aprender da derrota diante de Doria em SP

Servidores/SP: é preciso ir além da “pressão” parlamentar

Uma Plenária Nacional por Fora Bolsonaro e Lula presidente

A “esquerda” que luta contra a candidatura de Lula

“Centrais” golpistas atacam a CUT para defender carrascos do povo

PSOL decide não ter candidato mas não aprova apoio a Lula

Inflação dispara e mostra tendência geral de agravamento da crise

Fora todos os carrascos dos trabalhadores dos atos da esquerda!

Gilmar Mendes libera grandes empresas de pagar trabalhadores

Crise divide a direita e votação da “reforma” é adiada

BolsoDoria quer privatizar Sabesp, Petrobras e portos

Globo escancara o golpe da 3ª via e transmitirá primárias do PSDB

Quem vai deter Bolsonaro?

Dia 7/9, tomar as ruas contra a ditadura de Bolsonaro e Doria

BolsoDoria quer limpar o caminho para Bolsonaro desfilar

As lições do dia 18/8 e a mobilização de 7 de setembro

Por ruas ainda mais vermelhas, sem a direita, por fora Bolsonaro

Wilson Witzel depõe hoje na mais nova sessão da CPI da Covid

Direita manobra e mantém mecanismos ditatoriais mesmo sem LSN

1º de Maio na Sé: vitória da mobilização contra a paralisia

Mais um passo na privatização da CEF

Contra as demissões é preciso ocupar a LG

Presença de Lula ‘enfraquece’ a direita

Com Lula, por um governo dos trabalhadores

24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais

A ditadura do judiciário contra os trabalhadores

7/9: Uma demonstração de força e covardia

Onde está a democracia no tempo de TV e nos recursos eleitorais?

Esquerda se junta à direita na defesa do sistema eleitoral

Esquerda desnorteada, pede que Moraes nos salve de Bolsonaro

Leandro Brugnago Denuncia a Ditadura do STF

Em Brasília, lotar as ruas como na Cinelândia e em Diadema

Depois de Jonhson, Biden será a próxima vítima da guerra?

Uma política para a CUT e os sindicatos diante do recorde de fome

É a fome!

alexandre moraes stf 913.jpg

O PCO não está só na luta pelas liberdades democráticas

STF fora do controle popular é ditadura!

10 mil contra 11

pm rj

Parar as chacinas, dissolver a Polícia

“Garimpeiro não é bandido, é trabalhador”

Os “amigos da onça” são uma ameaça contra Lula

A disputa  é pelo comando do golpe e não para impedí-lo

Ficou provado que “centrais de brinquedo” não mobilizam ninguém

Querem “roubar” o candidato dos trabalhadores

Romper a paralisia e reverter o fiasco do 1º de Maio

Policial não é trabalhador

Todos na rua, por Lula ou nada!

Revogar a reforma trabalhista tendo Alckmin à frente?

CSN, garis, professores x Conclat: dois caminhos, duas políticas

De São Paulo a Dubai, de Budapeste a Islamabad e de 1915 a 2022

O Brasil é favorito na copa?

Criminalização do nazismo é desculpa para incriminar o comunismo

Para arrancar os 33,24% convocar uma greve nacional da Educação

33,24% seminário

Doria e prefeitos armam golpe contra reajuste de 33,24%

lulajá

Não apoiar Lula por conta de seus aliados é um erro a ser evitado

Contra o golpe do reajuste de 0% para o piso dos professores

conferência sindical mesa

Conferência aprovou luta contra reformas e por Lula presidente

O golpe de Boulos e do PSOL contra o PT e em favor da direita

alckmin e doria firmam parcerias entre estado e município

Os ataques de Doria aos professores e o fracasso da frente ampla

Iniciar uma campanha militante e de massas em torno de Lula

Agora! Natália Pimenta no Pânico da Jovem Pan

Todos na Paulista: é Lula contra Bolsonaro e toda a direita

Petistas reagem à chapa com Alckmin e chantagem do PSB

Às ruas por Lula presidente com vice das lutas populares

ato paulista 7:11:21

Dia 12 é na Paulista por Fora Bolsonaro e Lula presidente

carteira vazia

Recessão e inflação: defender os salários com “gatilho”

alckmin e aceio paulista

Nós professores não queremos Alckmin. Nenhum trabalhador quer!

A esquerda que se opõe às ideias e à luta revolucionária

Contra o roubo dos salários, lutar pelo “gatilho salarial”

Unir já toda a esquerda e o povo por Lula presidente!

20 novembro

Neste sábado: abaixo o massacre do povo negro, Lula presidente!

Bloco Vermelho presta apoio a Cuba e convoca ato de solidariedade

“Plenária Vermelha”: uma vitoria contra a politica de capitulação

lula pco abc

Plenária Nacional do Bloco Vermelho agrupa contra a frente ampla

Mais de 150 assinaturas convocam Plenária Lula Presidente

cartaz plenária nacional

Dirigentes do PT, PCO, CUT e PCPB convocam Plenária Nacional

Aprender da derrota diante de Doria em SP

Servidores/SP: é preciso ir além da “pressão” parlamentar

Uma Plenária Nacional por Fora Bolsonaro e Lula presidente

A “esquerda” que luta contra a candidatura de Lula

“Centrais” golpistas atacam a CUT para defender carrascos do povo

PSOL decide não ter candidato mas não aprova apoio a Lula

Inflação dispara e mostra tendência geral de agravamento da crise

Fora todos os carrascos dos trabalhadores dos atos da esquerda!

Gilmar Mendes libera grandes empresas de pagar trabalhadores

Crise divide a direita e votação da “reforma” é adiada

BolsoDoria quer privatizar Sabesp, Petrobras e portos

Globo escancara o golpe da 3ª via e transmitirá primárias do PSDB

Quem vai deter Bolsonaro?

Dia 7/9, tomar as ruas contra a ditadura de Bolsonaro e Doria

BolsoDoria quer limpar o caminho para Bolsonaro desfilar

As lições do dia 18/8 e a mobilização de 7 de setembro

Por ruas ainda mais vermelhas, sem a direita, por fora Bolsonaro

Wilson Witzel depõe hoje na mais nova sessão da CPI da Covid

Direita manobra e mantém mecanismos ditatoriais mesmo sem LSN

1º de Maio na Sé: vitória da mobilização contra a paralisia

Mais um passo na privatização da CEF

Contra as demissões é preciso ocupar a LG

Presença de Lula ‘enfraquece’ a direita

Com Lula, por um governo dos trabalhadores

Blogues

A ditadura do judiciário contra os trabalhadores

7/9: Uma demonstração de força e covardia

Onde está a democracia no tempo de TV e nos recursos eleitorais?

Esquerda se junta à direita na defesa do sistema eleitoral

Esquerda desnorteada, pede que Moraes nos salve de Bolsonaro

Leandro Brugnago Denuncia a Ditadura do STF

Em Brasília, lotar as ruas como na Cinelândia e em Diadema

Depois de Jonhson, Biden será a próxima vítima da guerra?

Uma política para a CUT e os sindicatos diante do recorde de fome

É a fome!

alexandre moraes stf 913.jpg

O PCO não está só na luta pelas liberdades democráticas

STF fora do controle popular é ditadura!

10 mil contra 11

pm rj

Parar as chacinas, dissolver a Polícia

“Garimpeiro não é bandido, é trabalhador”

Os “amigos da onça” são uma ameaça contra Lula

A disputa  é pelo comando do golpe e não para impedí-lo

Ficou provado que “centrais de brinquedo” não mobilizam ninguém

Querem “roubar” o candidato dos trabalhadores

Romper a paralisia e reverter o fiasco do 1º de Maio

Policial não é trabalhador

Todos na rua, por Lula ou nada!

Revogar a reforma trabalhista tendo Alckmin à frente?

CSN, garis, professores x Conclat: dois caminhos, duas políticas

De São Paulo a Dubai, de Budapeste a Islamabad e de 1915 a 2022

O Brasil é favorito na copa?

Criminalização do nazismo é desculpa para incriminar o comunismo

Para arrancar os 33,24% convocar uma greve nacional da Educação

33,24% seminário

Doria e prefeitos armam golpe contra reajuste de 33,24%

lulajá

Não apoiar Lula por conta de seus aliados é um erro a ser evitado

Contra o golpe do reajuste de 0% para o piso dos professores

conferência sindical mesa

Conferência aprovou luta contra reformas e por Lula presidente

O golpe de Boulos e do PSOL contra o PT e em favor da direita

alckmin e doria firmam parcerias entre estado e município

Os ataques de Doria aos professores e o fracasso da frente ampla

Iniciar uma campanha militante e de massas em torno de Lula

Agora! Natália Pimenta no Pânico da Jovem Pan

Todos na Paulista: é Lula contra Bolsonaro e toda a direita

Petistas reagem à chapa com Alckmin e chantagem do PSB

Às ruas por Lula presidente com vice das lutas populares

ato paulista 7:11:21

Dia 12 é na Paulista por Fora Bolsonaro e Lula presidente

carteira vazia

Recessão e inflação: defender os salários com “gatilho”

alckmin e aceio paulista

Nós professores não queremos Alckmin. Nenhum trabalhador quer!

A esquerda que se opõe às ideias e à luta revolucionária

Contra o roubo dos salários, lutar pelo “gatilho salarial”

Unir já toda a esquerda e o povo por Lula presidente!

20 novembro

Neste sábado: abaixo o massacre do povo negro, Lula presidente!

Bloco Vermelho presta apoio a Cuba e convoca ato de solidariedade

“Plenária Vermelha”: uma vitoria contra a politica de capitulação

lula pco abc

Plenária Nacional do Bloco Vermelho agrupa contra a frente ampla

Mais de 150 assinaturas convocam Plenária Lula Presidente

cartaz plenária nacional

Dirigentes do PT, PCO, CUT e PCPB convocam Plenária Nacional

Aprender da derrota diante de Doria em SP

Servidores/SP: é preciso ir além da “pressão” parlamentar

Uma Plenária Nacional por Fora Bolsonaro e Lula presidente

A “esquerda” que luta contra a candidatura de Lula

“Centrais” golpistas atacam a CUT para defender carrascos do povo

PSOL decide não ter candidato mas não aprova apoio a Lula

Inflação dispara e mostra tendência geral de agravamento da crise

Fora todos os carrascos dos trabalhadores dos atos da esquerda!

Gilmar Mendes libera grandes empresas de pagar trabalhadores

Crise divide a direita e votação da “reforma” é adiada

BolsoDoria quer privatizar Sabesp, Petrobras e portos

Globo escancara o golpe da 3ª via e transmitirá primárias do PSDB

Quem vai deter Bolsonaro?

Dia 7/9, tomar as ruas contra a ditadura de Bolsonaro e Doria

BolsoDoria quer limpar o caminho para Bolsonaro desfilar

As lições do dia 18/8 e a mobilização de 7 de setembro

Por ruas ainda mais vermelhas, sem a direita, por fora Bolsonaro

Wilson Witzel depõe hoje na mais nova sessão da CPI da Covid

Direita manobra e mantém mecanismos ditatoriais mesmo sem LSN

1º de Maio na Sé: vitória da mobilização contra a paralisia

Mais um passo na privatização da CEF

Contra as demissões é preciso ocupar a LG

Presença de Lula ‘enfraquece’ a direita

Com Lula, por um governo dos trabalhadores

Movimentos

A ditadura do judiciário contra os trabalhadores

7/9: Uma demonstração de força e covardia

Onde está a democracia no tempo de TV e nos recursos eleitorais?

Esquerda se junta à direita na defesa do sistema eleitoral

Esquerda desnorteada, pede que Moraes nos salve de Bolsonaro

Leandro Brugnago Denuncia a Ditadura do STF

Em Brasília, lotar as ruas como na Cinelândia e em Diadema

Depois de Jonhson, Biden será a próxima vítima da guerra?

Uma política para a CUT e os sindicatos diante do recorde de fome

É a fome!

alexandre moraes stf 913.jpg

O PCO não está só na luta pelas liberdades democráticas

STF fora do controle popular é ditadura!

10 mil contra 11

pm rj

Parar as chacinas, dissolver a Polícia

“Garimpeiro não é bandido, é trabalhador”

Os “amigos da onça” são uma ameaça contra Lula

A disputa  é pelo comando do golpe e não para impedí-lo

Ficou provado que “centrais de brinquedo” não mobilizam ninguém

Querem “roubar” o candidato dos trabalhadores

Romper a paralisia e reverter o fiasco do 1º de Maio

Policial não é trabalhador

Todos na rua, por Lula ou nada!

Revogar a reforma trabalhista tendo Alckmin à frente?

CSN, garis, professores x Conclat: dois caminhos, duas políticas

De São Paulo a Dubai, de Budapeste a Islamabad e de 1915 a 2022

O Brasil é favorito na copa?

Criminalização do nazismo é desculpa para incriminar o comunismo

Para arrancar os 33,24% convocar uma greve nacional da Educação

33,24% seminário

Doria e prefeitos armam golpe contra reajuste de 33,24%

lulajá

Não apoiar Lula por conta de seus aliados é um erro a ser evitado

Contra o golpe do reajuste de 0% para o piso dos professores

conferência sindical mesa

Conferência aprovou luta contra reformas e por Lula presidente

O golpe de Boulos e do PSOL contra o PT e em favor da direita

alckmin e doria firmam parcerias entre estado e município

Os ataques de Doria aos professores e o fracasso da frente ampla

Iniciar uma campanha militante e de massas em torno de Lula

Agora! Natália Pimenta no Pânico da Jovem Pan

Todos na Paulista: é Lula contra Bolsonaro e toda a direita

Petistas reagem à chapa com Alckmin e chantagem do PSB

Às ruas por Lula presidente com vice das lutas populares

ato paulista 7:11:21

Dia 12 é na Paulista por Fora Bolsonaro e Lula presidente

carteira vazia

Recessão e inflação: defender os salários com “gatilho”