Menu da Rede

Membro da Direção Nacional do PCO. Secretário de Agitação e Propaganda do Partido. Formado em Ciências Sociais.

  • Capa
  • Blogs
  • A vida chata e sem graça dos identitários

Inimigos do humor

A vida chata e sem graça dos identitários

Escondidos detrás de uma aparência alternativa, os identitários são mauricinhos e patricinhas que não suportam ser contrariados e se ofendem com qualquer coisa

A humanidade lutou por muitos séculos para poder ter liberdade, que ainda está longe de ter sido completamente conseguida. É fato, contudo, que hoje há mais liberdade em muitos aspectos do que nos séculos anteriores.

Houve o tempo em que simplesmente não se podia falar. Pensar qualquer coisa diferente do que estava estabelecido pelo poder dominante era proibido.

A luta pela liberdade de expressão proporcional uma incrível evolução na literatura, no teatro, nas artes em geral. Desenvolveu também a imprensa e as ciências.

Mas a luta pela plena liberdade da humanidade, que ainda precisa evoluir muito para ser conquistada, tem muitos inimigos. Um inimigo atual é a ideologia que se convencionou chamar de identitarismo.

Criada nas salas das universidades norte-americanas e de outros países imperialistas, essa ideologia esconde o extremo reacionarismo detrás de uma falsa defesa das minorias oprimidas. É isso o que faz do identitarismo uma ideologia pérfida e que está contaminando inclusive setores da esquerda ligados à classe média, facilmente influenciada por ideias universitárias e divulgadas pela imprensa imperialista.

Se o mundo fosse dominado pelos identitários a humanidade retrocederia no mínimo ao que era na época da Inquisição, quando não se podia falar, nem pensar em nada que não fosse o estritamente considerado “correto” para os padrões estabelecidos por uma horda de fanáticos controlados pelas instituições dominantes.

Felizmente, a humanidade não vai regredir, o identitarismo não passa de mais uma ideologia burguesa que virou moda na classe média, mas que logo será substituída por outra ou será simplesmente atropelada pela realidade do povo que não tem nenhuma familiaridade com ela.

Então, já que não domina o mundo, o identitarismo é apenas um momento chato e sem graça na vida das pessoas. O povo é obrigado a conviver com universitários, pseudo-esquerdistas e pseudo-intelectuais que decidiram que o mais importante na vida é controlar o que as pessoas vão falar. Para isso, gostam de clamar censura para as instituições burguesas contra aqueles que discordam deles.

Outra peculiaridade dos chatos identitários é a tentativa de intimidar e assediar moralmente os que não concordam com eles.

Para colocar em prática essa política de gente chata, eles são capazes de tudo, até mesmo assassinar a língua portuguesa, mudando artificialmente e erroneamente os gêneros das palavras. A imprensa golpista, principal porta-voz do imperialismo no Brasil, é quem impulsiona babaquices identitárias como a linguagem neutra.

O interessante é que, como a Globo, a Folha de S. Paulo, em suma, o imperialismo, incentivam essa babaquice, os identitários não têm medo de passar vergonha com suas teorias pseudo-intelectuais e anti-científicas.

Mas é preciso avisar os identitários que, embora ainda não saibam, eles estão passando vergonha, e muita vergonha.

O mais chato de tudo é que os identitários querem acabar com a graça no mundo. Tudo é ofensivo, tudo é desrespeitoso. É o mundo dos mauricinhos e patricinhas fantasiados de alternativos que não suportam ser contrariados.

Se depender deles não haverá mais humor, como de fato o humor está em baixa nessa época de gente chata. Se depender deles não tem literatura, não tem música, não tem arte, não tem jornalismo e não tem ciência. Se depender deles, voltaremos à Idade Média. Mas como dissemos acima, felizmente a humanidade não vai regredir.

Enquanto não nos livramos completamente dos identitários, a gente pode se divertir um pouco rindo deles mesmos e do papel ridículo que fazem no mundo.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.