Menu da Rede

Acompanhe o Resumo do Dia na COTV

Grilagem de Terras

Terra indígena Ituna-itatá corre o risco de sumir do mapa

Latifúndio e Bolsonaro estão invadindo terra indígena no Pará e colocam em risco indígenas isolados.

Terra Indígena Ituna Itatá. – Foto: Reprodução

Receba o DCO no Email

A terra indígena Ituna Itatá corre risco iminente de desaparecer. Nesta semana, expira a “restrição de uso da Terra Indígena”,  um dos mecanismos utilizados pela Fundação Nacional do Índio (Funai) para preservar terras indígenas que ainda não foram demarcadas, apesar do direito previsto na Constituição. 

Parlamentares do centrão financiados pelo agronegócio junto com o presidente Jair Bolsonaro e com o próprio presidente da Funai Marcelo Augusto Xavier vêm fazendo forte pressão para aprovação de medidas anti indígenas, que visam acabar com os territórios destinados pela constituição a esses povos e em consonância a isso pressionam para o fim da medida restritiva que visa proteger os índios isolados. No lugar dos isolados, eles desejam a posse dessas terras nas mãos dos  madeireiros, garimpeiros e fazendeiros e para tanto vem contando com a ajuda do STF que seguidas vezes adiou o julgamento do Marco Temporal em 2021 arrastando para 2022, colaborando para perpetuar a situação precária em que se encontram os índios brasileiros.

Dentre as vozes mais ativas nesse sentido está o senador e pastor evangélico Zequinha Marinho (PSC-PA) que enviou um ofício ao ex-ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos exigindo a anulação da restrição de uso das terras Ituna Itatá, terras essas que vem sendo uma das TI mais desmatadas ainda que com a restrição, com 397,4 hectares de floresta desmatada só no ano de 2020.

No ofício encaminhado ao ex-ministro, o senador alegou o desconhecimento da existência do povo isolado que ocupa o território, além de acusar servidores da Funai em operação de fiscalização de estarem “queimando casas, destruindo tudo na região, e causando verdadeiro terror”. No entanto, a base de dados oficial da instituição indica que os responsáveis pelas atividades predatórias na região são os fazendeiros e grileiros.

Segundo Angela Kaxuyana, da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab): “se o governo Bolsonaro acabar com as restrições de uso será mais um desastre e um atentado contra a vida desses povos. Faz parte do grande plano de desmonte da política indigenista no nosso país”.

É preciso lutar por Lula Presidente com um programa que exija a demarcação de todas as terras indígenas.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.