Menu da Rede

christieu2019s

Arte e capitalismo: ativos de especulação na mão da burguesia

  • Capa
  • Sem teto
  • Aumentam em 660% famílias ameaçadas de despejo por Doria

Política criminosa

Aumentam em 660% famílias ameaçadas de despejo por Doria

Em plena pandemia, João Doria, o "cientifico", é campeão em crimes de despejos contra o povo paulista.

Em vez de programas de habitação, governo Doria humilha a população despejando-a – Foto: Reprodução

Receba o DCO no Email

Na cidade de São Paulo, em um ano, o número de famílias despejadas em plena pandemia do coronavírus aumentou 660%. O levantamento foi feito pela Companhia Nacional Despejo Zero. A companhia mostrou o empobrecimento da população paulista e detectou que mais de 36.800 pessoas estão ameaçadas. O levantamento foi elaborado com dados das entidades da área de moradia, cerca de cem organizações.

As famílias vivem apreensivas com relação às ameaças e iminência de despejo, como é o caso da ocupação Jorge Hereda, no Jardim Brasília, na Zona Leste, organizada por um movimento de moradia. Segundo Matheus Lira, do movimento Unificação das Lutas de Cortiços e Moradia, “todo mundo tá com medo, lógico, porque ninguém tem aonde ir. Muitas pessoas que procuram o espaço para moradia estão em situação de desemprego, foram despejadas, moravam de aluguel, por conta da pandemia, perdeu o emprego”.

Artigos Relacionados

“Eu cheguei a pagar 500 reais no aluguel, só que ainda tinha água, tinha luz, o bujão que tá caro, o alimento, a mistura. Para o nosso salário que a gente ganha, um salário mínimo, não dá para viver”, disse Matheus Lira.
Na cidade de São Paulo, de acordo com dados da Fundação Getúlio Vargas, existe um déficit de 500 mil moradias. O Tribunal de Justiça de São Paulo informou que 901 ações de despejos foram realizadas apenas no mês de julho, a maioria delas por falta de pagamento do aluguel. A tendência é aumentar ainda mais diante da grave crise financeira que acomete o país sob administração de fascistas como João Doria (PSDB) e Jair Bolsonaro (sem partido).

Para a coordenadora de Incidência Política da Habitat Brasil, Raquel Ludemir, “Você ficar sem sua casa num contexto de pandemia, isso significa não só uma violação ao direito de moradia, mas também tem efeitos no direito a saúde, educação e violação de vários outros direitos básicos nesse contexto”.

Essa é a política de habitação do governo fascistas de João Doria: despejos. No início da pandemia, demagogicamente passando uma imagem de político científico e democrático para se diferenciar de Jair Bolsonaro, que o ajudou a se eleger, Doria se mostrou a favor da vacina, de sua produção no estado, mas o que ficou provado é que o provável candidato da terceira via é tão nefasto quanto Bolsonaro. Engomado, dissimulado, Doria vem cometendo seguidos ataques à população, população esta que mais sofreu com o falso combate à pandemia, durante a qual a produção da vacina local não fora eficiente como propagaram a imprensa e os aliados do governador. A mais rica cidade da América Latina vive há mais de vinte anos sob o colapso de um governo neoliberal que oprime a população, que ver ano após ano seu Estado jogar milhares de cidadãos nas ruas, abandonados, sofrendo com a fome e miséria.

João Doria, esse político nefasto, reacionário, bolsonarista, uma farsa criada pela burguesia e imprensa monopolista, pode ser o escolhido da elite entreguista do país para viabilizar a terceira via, uma opção política neoliberal, com cara de mal menor, mas no fundo – de forma semelhante ao senhor da guerra dos Estados Unidos, Joe Biden – é o mal maior, aquele que não medirá esforços para despejar a população, cortar gastos sociais e colocar a Polícia Militar, seus verdadeiros e únicos militantes, para conter a revolta social que não demorará para explodir em todo país.

É preciso denunciar a política criminosa de despejos de Doria e outros governadores e prefeitos direitistas do Brasil, que estão intensificando os ataques aos índios, quilombolas e demais povos oprimidos, aproveitando o contexto político de crise para colocar Bolsonaro como o único fascista do Brasil, quando na verdade existem variantes do fascista-mor muito mais perigosas do que o presidente.

Que no dia 7 de setembro dos excluídos, da classe trabalhadora, todos saiam às ruas para protestar e começar a trabalhar pela formação de comitês de autodefesa de todas essas comunidades em risco, a fim de que a população unida contenha esses ataques. Da justiça burguesa e escrava desses ditadores não podemos esperar nada, senão cinismo e uso indevido das leis para reiterar os sucessivos crimes praticados contra o povo.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.